Renzo Gracie empata com Sakuraba, mas Jiu-Jitsu vence no Metamoris 5

Share it
Renzo Gracie tenta surpreender Kazushi Sakuraba no Metamoris 5. Foto: Scott Hiran/Metamoris

Renzo Gracie tenta surpreender Kazushi Sakuraba (de laranja) no Metamoris 5. Fotos: Scott Hiran/Metamoris

O evento Metamoris foi criado sob uma premissa um pouco arriscada: a que prega que luta de Jiu-Jitsu necessariamente precisa ter finalização. Neste sentido, o Metamoris 5, realizado no sábado 22 de novembro, foi uma espécie de antídoto do próprio veneno. Um evento excelente, com apenas uma finalização.

Em todas as lutas de 20 minutos, apenas Garry Tonon foi capaz de subjugar seu oponente. No duelo sem kimono contra Zak Maxwell, logo na primeira luta realizada no Long Beach Convention Center, Garry tentou três vezes até arrochar a chave de joelho.

As demais lutas terminaram em empates, seguindo a lógica que em duelo de rivais de altíssimo nível os erros podem tardar a ocorrer, e o xeque-mate pode vir, ou não.

Vinny Magalhães encarou o faixa-marrom Matheus Diniz, duríssimo aluno de Marcelo Garcia que topou a luta em cima da hora. O ex-lutador do UFC foi mais perigoso graças a dois triângulos, mas Matheus resistiu.

Na terceira luta da tarde californiana, a primeira com pano, Keenan Cornelius e Yuri Simões começaram a mostrar do que o Jiu-Jitsu é capaz. Numa luta cheia de ação, Yuri começou atacando o calcanhar do americano, mas este resistiu e logo passou a guarda, chegando até as costas.

A ação só terminou com o soar do gongo, quando Yuri ainda arriscou um triângulo. O empate não incomodou nenhum torcedor, mas quem teria vencido se houvesse pontos e placar? Será que a luta seria mais parada ou idêntica? Não se sabe.

Na quarta luta do evento, uma surpresa para os fãs, Jake Shields apareceu dos vestiários para encarar o nipo-brasileiro Roberto Satoshi. Shields, mais pesado e mais talhado na luta sem kimono, conseguiu montar e atacar o braço, mas novamente não houve o golpe perfeito.

A única finalização do Metamoris 5

A única finalização do Metamoris 5

JT parte para cima de Rory MacDonald

Na penúltima disputa do Metamoris, o astro meio-médio do UFC Rory MacDonald mostrou que é corajoso como seu tutor GSP, e caiu dentro do evento para testar seu chão contra JT Torres, um campeão mundial de Jiu-Jitsu sem kimono.

Os dois trocaram chaves de tornozelo, mas a defesa de ambos estava em dia. Já no fim, JT levantou a galera com um triângulo invertido aliado a uma kimura, mas não finalizou.

Era hora da luta principal. Quatorze anos após seu primeiro encontro no Pride 10, no Japão, Renzo Gracie e Kazushi Sakuraba voltavam a se encarar num duelo. Renzo queria vingança mas lutou com sabedoria, sem se afobar.

Nos primeiros cinco minutos, Renzo usou sua guarda fechada. Até que Sakuraba tentou atacar o pescoço com um golpe de wrestling, e Renzo aproveitou para ficar por cima.

O Gracie trabalhou bem a passagem, chegou no cem-quilos e ouriçou a torcida ao trocar um bote no braço do norte-sul para uma kimura, no braço esquerdo do japonês.

Mas Saku estava com o gás e as defesas em dia, e mais um empate se consolidou.

“Tentei o meu melhor, mas Renzo é um ótimo lutador”, elogiou o Gracie Hunter.

Renzo agradeceu pela chance de voltar a entrar em forma, e revelou que seu joelho saiu do lugar durante um treino com Roberto Gordo, na véspera do Metamoris. “Tomei um analgésico e vim lutar assim mesmo”, disse o inspirador professor.

O Jiu-Jitsu, mesmo sem tantas finalizações, mostrou seu valor e voltou a vencer, mais uma vez.

Keenan e Yuri Simões buscaram a vitória até o fim.

Keenan e Yuri Simões buscaram a vitória até o fim.

Metamoris 5

Long Beach Convention Center, Long Beach, EUA

22 de novembro de 2014

Renzo Gracie e Kazushi Sakuraba empataram após 20 minutos
JT Torres e Rory MacDonald empataram
Jake Shields e Roberto Satoshi empataram (luta secreta)
Yuri Simões e Keenan Cornelius empataram
Vinny Magalhães e Matheus Diniz empataram
Garry Tonon finalizou Zak Maxwell na chave de calcanhar

Ler matéria completa Read more
There are 7 comments for this article
  1. Isaias Moraes at 11:55 am

    O otimismo da matéria soou um pouco melancólico , não precisava. O evento foi muito bom, talvez com algumas regras tipo ADCC ou falido e saudoso "Budo Challenge" , as lutas poderam ser mais dinâmicas.

  2. Marcus Vinícius Mendes at 3:43 pm

    ronda roussey x bia mesquita (com quimono e sem tempo);
    frank mir x rodolfo vieira (sem quimono e sem tempo);
    werdum x buchecha ( 20 min sem quimono);
    flávio canto x marcelo garcia (20 min com quimono);
    tiago camilo x leandro lo (20 min com quimono);
    hidehiko yoshida x pé de pano (20 min com quimono);
    kazuhiro nakamura x claudio calasans (20 min com quimono);
    yuki nakai x royler gracie (sem tempo e com quimono);
    toquinho x dean lister (sem quimono e sem tempo);
    matt hugues x rafael mendes (sem quimono e sem tempo);
    randy couture x zen machine (20 min sem quimono)

  3. Marcelo Dunlop at 1:04 am

    Isaias, você me parece bom de ideias. Já pensou em escrever um blog sobre Jiu-Jitsu? Não me entenda mal nem ache que suas opiniões incomodam, é o oposto. Mas é que eu já fui assim, um crítico "ranheta" de textos dos outros. Eu garanto, é muito mais prazeroso produzir algo diferente do que ficar apenas tentando melhorar os outros. Abraços

  4. Isaias Moraes at 1:45 pm

    Marcelo Dunlop Champ, grato por suas palavras! Me comprometo a ponderar o assunto. Se "meu blog" não sair, vou tentar ser ao menos moderado e não tentar "melhorar" textos alheios, mas oferecer um "parágrafo" semi original. Abraço!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *