Toquinho e a confiança no Jiu-Jitsu para vencer Jon Fitch no WSOF

Share it

Rousimar Toquinho parte para sua primeira defesa de cinturão. Foto: Divulgação

Rousimar Toquinho parte para sua primeira defesa de cinturão. Foto: Divulgação

Rousimar “Toquinho” Palhares, grande nome no MMA mundial, que desde março possui o título meio-médio do World Series of Fighting (WSOF), após vencer o norte-americano Steve Carl, já se prepara para o seu próximo desafio. O mineiro, natural de Dores do Indaiá em Minas Gerais, faz no dia 13 de dezembro, nos Estados Unidos, sua primeira defesa de cinturão contra o ex-UFC Jon Fitch.

Especialista na Jiu-JItsu, o atleta, de 34 anos, tem 16 vitórias na carreira, sendo 13 por finalização. Motivado pela chance de manter mais um título internacional em solo brasileiro, ele se mostra pronto para encarar o norte-americano, que só foi finalizado duas vezes em sua extensa trajetória profissional.

“Eu espero a vitória e é isso que vai acontecer. Não importa de que maneira ela seja, estou pronto para qualquer situação. Venho treinando forte para enfrentar o Jon Fitch, sei das qualidades dele, mas vou dar o meu melhor. Vai ser a minha primeira defesa de cinturão e me sinto animado com isso. Quero voltar com o título para o Brasil. Sei que estou na melhor fase da minha carreira e vou provar isso”, disse Toquinho.

Sem se importar com a estratégia que Fitch usará para o duelo, o campeão garante estar em constante evolução na trocação e pretende levar algumas surpresas para dentro do cage do WSOF. Toquinho aproveitou para elogiar Erivan Conceição, um dos treinadores de boxe do Team Nogueira.

“Não me importo com que ele vai fazer, estou preocupado apenas com o que vou fazer. Quero levar todo o meu treinamento para dentro do cage. Vou para finalizar. Tenho outras estratégias, venho treinando muito forte a trocação e estou cada vez mais confiante para enfrentar qualquer adversário e buscar o meu primeiro nocaute. Devo muito ao Erivan Conceição, ele vem dedicando muito tempo para me ajudar e isso está sendo ótimo para mim”, agradeceu.

Ao longo de toda sua carreira profissional, Toquinho passou por inúmeras dificuldades e agora carrega consigo a responsabilidade de ser o detentor do cinturão do WSOF. O brasileiro afirma não ser melhor do que ninguém, mas ao olhar para a categoria como um todo, pensa estar no mesmo nível dos tops, seja qual for a organização. Esta confiança, segundo ele, se deve à maturidade que adquiriu ao longo da sua vida profissional.

“Sou um Rousimar Palhares diferente de uns tempos atrás. Hoje sou um cara mais maduro, tenho mais sabedoria e aprendi demais com toda as dificuldades que eu enfrentei, graças a Deus. Se tivesse que passar por tudo que passei outra vez para ser o que sou hoje, passaria mais uma vez. Eu passei por muita coisa e para tirar o cinturão da minha cintura vai ser difícil. Posso garantir que enfrentaria todos de igual para igual”, finalizou.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *