Durinho pede Joe Lauzon no UFC e analisa treinos com Rodolfo antes de encarar Lo

Share it
Gilbert Durinho e a alegria após a vitória. Foto:

Gilbert Durinho e a alegria após a vitória. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa

Gilbert “Durinho” Burns obteve sua segunda vitória seguida no Ultimate, ao esticar o braço do bom Christos Giagos no UFC Rio, realizado no dia 25 de outubro. A bela finalização garantiu o bônus de melhor atuação da noite e coroou a boa fase do faixa-preta de Jiu-Jitsu no MMA.

Para ficar mais bem ranqueado no evento de Dana White, o niteroiense sabe que precisa vencer mais lutas. E de preferência contra caras de renome. Nesse sentido, a vontade de Durinho agora é encarar o perigoso Joe Lauzon: “Penso que seria uma luta bem movimentada e com muito Jiu-Jitsu para os fãs”, diz o atleta da Blackzilians.

Enquanto aguarda a vontade do Ultimate, Gilbert volta a vestir o kimono – e logo para enfrentar Leandro Lo, na Copa Pódio, no próximo dia 22 de novembro. A disputa entre os astros é sem limite de tempo e sem pontos, até pegar. No Rio, o campeão tem aproveitado para treinar com Rodolfo Vieira e Fernando Tererê, como fez nessa segunda-feira, 3 de novembro.

Em papo exclusivo com GRACIEMAG, Durinho destrinchou a finalização sobre Giagos, falou dos treinos e analisou o arquirrival Leandro Lo.

GRACIEMAG: Qual foi o detalhe para ficar nas costas de Christos Giagos e ajustar o armlock?

GILBERT DURINHO: O detalhe é sempre manter a calma e ajustar a posição. Ali você não tem de gastar força. E sim fazer o oponente gastar a força dele. Outro detalhe foi manter um bom ajuste, bater para abrir espaço e achar o momento para ir progredindo. Tenho muitos ataques da montada, das costas e do cem-quilos, treino muito isso. Particularmente eu odeio perder posição. Então não ataquei por atacar, eu executei com comprometimento. Vi que aos poucos fui frustrando e minando o Giagos, até chegar a hora de dar um ataque certeiro no braço e finalizar. Na luta em pé, ele achou a distância primeiro e estava trabalhando muito bem nas respostas. Acertou alguns golpes, mas nada contundente.

E agora você está mirando quem?

Quero ser campeão do UFC. Quero enfrentar caras duros para me testar e para mostrar o meu potencial. O Joe Lauzon, por exemplo. Ele é um ótimo atleta e tem um belo Jiu-Jitsu. Acho que ele aceitaria o jogo de chão. Então seria um lutão bem movimentado e com muito Jiu-Jitsu. Seria uma luta que muita gente gostaria de assistir.

Qual é a sua tática para a Copa Pódio, nessa luta sem tempo contra o Leandro Lo? O que pretende aprontar?

Pretendo finalizá-lo. Vou imprimir meu ritmo. Com o MMA, aprendi a estudar muito meu adversário. O fato do Leandro estar lutando sempre permite que a gente estude o jogo dele melhor. Ele é muito bom, mas tem falhas no jogo. Irei explorá-las e botá-lo em posições desconfortáveis. É uma luta em que tenho que fazer o meu jogo, imprimir o meu ritmo. Lo é sinistro, mas confio muito no meu jogo, na minha cabeça, e no meu coração. Podem esperar um ótimo combate e quem pensa que não estou treinando periga ficar assustado quando me ver.

Será que vai renascer aquele Durinho de 2011 nesta disputa? O Durinho que venceu o Mundial da IBJJF?

Aquele Durinho nunca morreu, pelo contrário, evoluiu no wrestling, como pessoa, como atleta, professor e aluno. Fiquei praticamente um ano sem competir Jiu-Jitsu e quando voltei fui campeão mundial sem kimono pela segunda vez. Venci o próprio Leandro Lo e o Vitor Oliveira, que estão lutando tudo no circuito competitivo. Depois lutei a Copa Pódio, e ganhei de caras como Gianni Grippo, Fernandinho Vieira, Marcio André e Victor Silvério. Busco a evolução diariamente, estudo várias lutas, assisto vídeos e treino muito. Posso garantir a todos que estou melhor do que em 2011 e vou mostrar isso nesta luta. Estou muito confiante e vou estar preparado para lutar mais de uma hora, se for preciso.

Como foi a troca de experiências nos treinos com Rodolfo Vieira e Tererê?

São dois caras que me motivam muito. Aproveitei muito a oportunidade para pegar detalhes. Gosto da movimentação que eles imprimem, além da pressão que usam para transpor guardas. Estou aumentando meu armamento para esta luta e para as próximas. Gosto de aprender, e me apego aos detalhes que fazem diferença na hora do jogo. Recebi dicas para saber a hora de trocar as pegadas, como distribuir o peso, a hora certa de trocar a passagem para as costas, como colocar pressão e como não me desgastar. E o principal: como incomodar muito o guardeiro até o mesmo se frustrar!

Ler matéria completa Read more
There are 6 comments for this article
  1. Marcos Aurélio Araújo at 10:22 pm

    O Lo tem falhas no jogo e o seu é perfeito né. Pensa que vai ser bem fácil vc finalizar o Lo.
    Lo é o melhor da categoria nos últimos tempos, tem se testado em outras categorias e surpreendido. Merece no mínimo muito respeito.
    Tomara que independentemente do resultado, vc volte um pouco mais humilde. Oss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *