Jackson Sousa comenta glória no Pan Sem Kimono de Jiu-Jitsu

Share it
Jack Sousa, rei absoluto do Pan Sem Kimono. Foto: Erin Herle/GRACIEMAG

Jack Sousa, rei absoluto do Pan Sem Kimono. Foto: Erin Herle/GRACIEMAG

Jackson Sousa (Checkmat) experimentou o gosto da derrota e da glória no último fim de semana, em Nova York.

Pelo Pan Sem Kimono da IBJJF, o aluno de Ricardinho Vieira viu o ouro escapar na categoria pesado. Mas mesmo assim, o garoto do Cantagalo não deixou a derrota abalar e voltou como um trator no absoluto, divisão aberta para todos os pesos.

No aberto, Jackson passou por Romulo Souza (4 a 0) e Gianni Grippo (2 a 0) antes de ir à final contra AJ Agazarm (Gracie Barra). Na disputa do ouro absoluto, Jackson derrubou e finalizou AJ no braço.

Em papo com GRACIEMAG, o faixa-preta falou das lições que tirou do Pan Sem Kimono, analisou a vitória sobre AJ e contou como faz para superar uma derrota no Jiu-Jitsu. Confira.

GRACIEMAG: Primeiramente, que lições você tirou da derrota para Mauro Santiago (GB) na categoria pesado?

JACKSON SOUSA: Realmente não conseguir obter o ouro em minha categoria. O Mauro foi bem melhor em sua postura, não me deixando criar espaço para conseguir botar meu jogo. Infelizmente ele mandou bem nessa parte. Não deu nada de errado, eu apenas tentei os 10 minutos ali lutando para frente dando o meu máximo e não consegui. É assim mesmo, nem tudo é do jeito que queremos. Mauro está de parabéns!

Já no absoluto a história foi escrita diferente e você saiu campeão. Como foi a vitória sobre AJ Agazarm (GB) na final do aberto?

Eu sempre venho assistindo o jogo dele de wrestling nas competições. AJ realmente tem um bom o wrestling e sabia que ele derrubava bem. Ele estava fazendo isso muito bem no Pan, onde em todas suas lutas conseguiu colocar os oponentes para baixo. Isso me fez estudar um pouco para pode conseguir uma boa defesa dos ataques dele. Eu me colocava sempre na mesma altura, quando ele vinha para atacar, eu tinha uma boa defesa com um contra-ataque. Fui capaz de derrubar e trabalhar meu jogo de solo. Sobre a finalização, eu apenas girei por cima dele e o braço dele sobrou, pois o mesmo me acompanhou quando eu dei o giro. Caiu tipo em uma omoplata e fui capaz de finalizá-lo no braço. Foi bom lutar com ele.

O que você aprendeu com sabor da vitória e da derrota no Pan Sem Kimono da IBJJF?

A lição foi ter a perseverança que tenho sempre dentro de mim. Mesmo tendo perdido na minha categoria, não me abalei e fui para o absoluto de cabeça erguida para mais um combate. Ali na categoria eu perdi a luta, mas nunca a guerra. Levarei sempre comigo a minha forca de vontade e perseverança.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *