Vídeos: Ex-UFC “Sem Chance” e Livinha finalizam por cinturões do Talent

Share it

O Ginásio do Guarani de Campinas recebeu a décima segunda edição do Circuito Talent de MMA. Mais uma vez o evento aconteceu em casa cheia e entregou combates de muita movimentação. O Circuito Talent de MMA 12 contou com doze lutas de MMA e mais duas de kickboxing, ambas no card preliminar, para alegria dos fãs da trocação.

Após UFC, José Maria No Chance imprime ritmo e garante cinturão inaugural do Circuito Talent de MMA

Ex-atleta do UFC, José Maria No Chance buscou o início das ações e mostrou boa forma contra o jovem prospecto Roberto Souza, em combate que valeu o cinturão inaugural da categoria dos moscas.

Apesar do início pouco movimentado, Zé Maria, que fez sua primeira luta como atleta do Team Nogueira, abusou dos pisões frontais no joelho de Roberto, que não conseguia encontrar a distância para encaixar seu muay thai. Com o objetivo claro de colocar a luta no chão, Sem Chance buscou as quedas ao longo do combate e não teve trabalho para executá-las.

As melhores oportunidades vieram no segundo round, quando o combate ganhou mais movimentação. Roberto chegou a aplicar um potente soco que derrubou Sem Chance. Porém, ao tentar trabalhar o ground and pound, Souza foi advertido pelo árbitro Robertão Thomaz após atingir com o cotovelo a nuca do oponente. No retorno do combate, Souza foi derrubado e Sem Chance tentou aplicar uma kimura, mas Roberto resistiu bravamente, aparentando tranquilidade mesmo com o braço totalmente travado na chave.

O combate foi para o terceiro round com ampla vantagem para Sem Chance. Ele buscou duas vezes uma guilhotina projetando Roberto de costas para o solo. Na terceira tentativa, o golpe finalmente foi bem ajustado, fez o jovem rival se render e consagrou José Maria Sem Chance como primeiro campeão da categoria até 57kg do Circuito Talent de MMA.

Livinha Renata se consagra ao vencer Camilinha PItbull em menos de um minuto

Após muita rivalidade e trash talking, Livinha Renata e Camilinha Pitbull duelaram na luta coprincipal da noite na disputa do cinturão peso palha feminino (até 52kg) do Circuito Talent de MMA.

Com o perigo do jogo de solo iminente para ambos os lados, Camila e Livia iniciaram o combate se estudando e evitando soltar golpes de qualquer maneira. Porém, na primeira oportunidade de encurtar de distância, Livia colocou o gancho na perna de Pitbull e pegou as costas da adversária. Mochilada, ela atacou rapidamente o pescoço de Camilinha e finalizou no mata-leão com apenas 47 segundos de luta. O resultado colocou Livia no rol dos campeões do evento e a projetou como uma das melhores atletas femininas do cenário nacional do MMA. Livia segue invicta na carreira, agora com sete vitórias.

Consagrações, polêmica e virada marcam card principal

Arthur Oliveira x Adilson Junior
Com um início totalmente dedicado à luta agarrada, Arthur Oliveira e Adilson Junior fizeram um primeiro round morno, mas com vantagem para Adilson, que buscou constantemente posições de vantagem, dominando as costas e tentando alguns movimentos de finalização.

Em desvantagem, Arthur partiu para cima nos rounds seguintes, usando bem os chutes e caminhando sempre para frente. Assim, o combate se equilibrou na medida em que Arthur golpeava e controlava a movimentação do adversário, fazendo com que Adilson buscasse as quedas. Melhor condicionado fisicamente, Arthur se defendeu e frustrou as tentativas do oponente, revertendo posições e terminando o combate por cima, conquistando a virada e a vitória por decisão unânime dos juízes.

Fernando Tressino x Leonardo Cabeção
Na luta entre os atletas mais pesados da noite, o veterano Fernando Tressino, de 46 anos, e Leonardo Cabeção, de 22, fizeram um primeiro round predominantemente em pé. Enquanto Tressino tentava encurtar com o boxe para depois aplicar quedas, Cabeção, mais alto e com maior envergadura, focava em se manter distante, utilizando chutes frontais e jabs sempre que o oponente se aproximava. O combate começou com leve vantagem para Tressino, mas Cabeção se soltou ao longo da primeira etapa, abrindo um corte no adversário e equilibrou a luta.

No segundo assalto, a troca de golpes seguiu imperando, com boas chances para ambos os atletas. Tressino encaixou um golpe que só não derrubou Fernando por conta da proximidade do lance em relação à grade. Contudo, Cabeção reagiu e aproveitou o cansaço de Tressino. Com uma joelhada, Leonardo derrubou o adversário e golpeou até a interrupção do árbitro Anderson Barone.

Gustavo Erak x Antonio Muita Luz
O combate entre Gustavo Erak e Antonio Muita Luz foi marcado pelo domínio de Erak, encurtando a distância a todo momento. Além de dominar a parte em pé, Gustavo teve também duas tentativas de guilhotina que deixaram o público apreensivos por alguns momentos. Muita Luz conseguiu se defender, mas não foi capaz de desenvolver seu jogo de chutes. No fim do primeiro round, Erak atacou Muita Luz no ground and pound e o combate quase se encerrou, mas Antonio foi salvo pelo gongo.

Erak voltou com tudo no início da segunda etapa. Porém, em uma fatalidade, Muita Luz raspou a cabeça no cage ao ser atingido pelo adversário e um corte se abriu. Sem poder continuar por conta do ferimento não-intencional, a luta foi definida como sem resultado (no contest), já que estava em sua primeira metade.

Felipe Kazu x Rafinha Lokal
O duelo entre Felipe Kazu e Rafinha Lokal começou antes mesmo do árbitro autorizar o início da luta, já que as torcidas faziam grande barulho no ginásio do Guarani. No decorrer da ação, a vantagem começou com Felipe Kazu, que conseguia impor seu jogo em pé com boa movimentação e precisão. O momento mais interessante na primeira etapa foi um duro golpe desferido por Kazu, que caiu e tentou se defender atacando seu calcanhar, mas não obteve sucesso, Felipe passou a atuar por cima com contundência, aumentando sua vantagem no combate e cansando Lokal.

Na segunda parcial, ambos os atletas aparentavam cansaço. Rafinha foi forçado a buscar o resultado após a desvantagem no primeiro round. Na base do sacrifício, ele tentou aplicar uma guilhotina puxando Kazu para a guarda. O ataque foi defendido e Felipe novamente apertou o ritmo. Foi quando a grande surpresa da noite aconteceu: Rafinha Lokal reverteu a posição, pegou as costas de Kazu e chegou à vitória com um impressionante mata-leão que fez o ginásio vir abaixo.

Eduardo Hanke x Felipe Colares
Um combate de alto nível técnico abriu o card principal do Circuito Talent de MMA 12. Eduardo Hanke e Felipe Colares trocaram golpes em pé com boa precisão e movimentação, com certa vantagem para Colares. Com isso, o faixa preta Hanke passou a buscar o jogo de solo como alternativa, mas as quedas de judô de Felipe faziam boa diferença no combate, deixando sempre Hanke em situação complicada. Ele suportou bem a pressão em diversos momentos, tentando reverter a situação na técnica e se defendendo das tentativas de finalização de Felipe, porém, na reta final do primeiro assalto deixou brechas para a guilhotina precisamente aplicada pelo amapaense Felipe Cabocão, que foi muito aplaudido no ginásio.

Card preliminar

O grande destaque do card preliminar foi o combate entre Bruno Hulk e Everton Rocha. Hulk puxou o ritmo logo no início das atividades, explodindo com swings e tentativas de queda. Tentando não ficar acuado, Rocha reagiu com explosão e, apesar de perder algumas posições no solo, mostrou grande disposição na troca de golpes, até mesmo após receber um chute ilegal de Hulk, corretamente advertido pelo árbitro Anderson Barone.

A luta ganhou contornos de guerra, pois a vantagem de Hulk no primeiro round exigia que Everton buscasse o resultado e se empenhasse mais. Porém, o intenso esforço de Rocha fez com que o combate fosse interrompido entre o segundo e o terceiro rounds, quando o atleta passou mal enquanto ouvia seus córneres.

Felipe Maldonado e Adriano Smeagol fizeram um combate mais estratégico, com muito grappling e quedas. Os atletas passaram boa parte do tempo se estudando e a atitude de Smeagol, tomando sempre a iniciativa, fez a diferença para o atleta, que venceu Maldonado por decisão unânime.

Alberto Antônio e Felipe Rodrigues abriram as atividades no MMA com um combate que se encerrou no primeiro round. Visivelmente mais forte fisicamente, Felipe soltou seu jogo para pegar o adversário no clinch e derrubá-lo. Apesar do domínio na luta agarrada, foi uma joelhada que decidiu o combate: Alberto sentiu o golpe, foi derrubado e, depois de se defender de um katagatame e raspar Felipe, cedeu posição para um triângulo e teve que se render.

Outros dois combates também terminaram na primeira etapa com bom domínio dos atletas vencedores. Guilherme Popó não deu chances para Fabiano Santos, conquistando a vitória por nocaute técnico após excelente sequência de golpes. Já Lucas Pinto colocou todo seu jiu-jítsu em ação para dominar as costas de Wesley Gonçalves e conseguir a finalização.

Kickboxing faz a alegria dos torcedores com combates explosivos e um nocaute digno de highlight

No combate de kickboxing que abriu o evento, o atleta Diego Beneduzzi, que arrastou grande torcida ao ginásio, mostrou seu jogo explosivo para vencer Maicon da Matta na decisão. Além disso, Emerson Fabiano surpreendeu ao vencer o forte atleta Mario Nikito com uma cotovelada giratória que fez a maioria do ginásio, torcendo para Mario, se calar com o nocaute.

Resultados do Circuito Talent de MMA 12
CARD PRELIMINAR:
– Diego Beneduzzi venceu Maicon da Mata por decisão unânime (29-28) – MUAY THAI
– 77kg – Felipe Rodrigues venceu Alberto Antônio por finalização (triângulo) aos 4:16 no round 1
– 77kg – Bruno Hulk venceu Everton Rocha por TKO (Interrupção Médica) entre os rounds 2 e 3
– 66kg – Adriano Smeagol venceu Filipe Maldonado por decisão unânime (30-27)
– 77kg – Lucas Salles venceu Wesley Gonçalves com finalização (mata-leão) aos 2:10 do round 1
– 61kg – Guilherme Popó venceu Fabiano Santos por nocaute técnico aos 3:08 do round 1
– 70kg – Emerson Fabiano venceu Mario Nikito por KO (cotovelada giratória) aos 2:58 do round 1 – MUAY THAI

CARD PRINCIPAL:
– 61kg – Felipe Colares venceu Eduardo Hanke por finalização (guilhotina) aos 4:14 do round 1
– 70kg – Rafinha Lokal venceu Felipe Kazu por finalização (mata-leão ) aos 2:35 do round 2
– 61kg – O combate entre Gustavo Erak e Antonio Muita Luz se encerrou aos 0:30 do segundo round e foi definido como No Contest devido a um ferimento não-intencional causado na cabeça do atleta Antonio Muita Luz
– 93kg – Leonardo Cabeção venceu Fernando Tressino por TKO aos 2:19 do round 2
– 66kg – Arthur Oliveira venceu Adilson Junior por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27)
– 52kg – Livinha Renata venceu Camilinha Pitbull por finalização (mata-leão) aos 0:47 do round 1
– 57kg – José Maria sem Chance venceu Roberto Souza por finalização (guilhotina) aos 2:25 do terceiro round

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *