O pântano mortífero de Ronaldo Jacaré no UFC Fight Night 50

Share it
Ronaldo Jacaré demonstrou mais uma vez seu bote fatal, no UFC de sexta-feira, em Connecticut. Foto: GRACIEMAG

Ronaldo Jacaré demonstrou mais uma vez seu bote fatal, no UFC de sexta-feira, em Connecticut. Foto: GRACIEMAG

Na luta principal do UFC Fight Night 50, o “Jacaré” brasileiro, Ronaldo Souza, fez do armênio-holandês Gegard Mousasi um mero degrau para subir na cadeia alimentar do UFC. Embora favorito, o especialista em Jiu-Jitsu já havia perdido para Mousasi nos idos de 2008. Esperava-se uma dura batalha entre adversários parelhos. O que se viu foi uma caçada unilateral. Nosso Jacaré atacou, mastigou, despedaçou e engoliu o oponente.

No começo do combate, quando Ronaldo avançou em uma tentativa precipitada de derrubar Gerard, fiquei com receio de que fosse adotar uma tática equivocada de buscar desesperadamente o jogo de solo, abrindo brechas para ser superado em pé. Não havia motivo para tal preocupação.

Em manuais escolares, ensina-se que os jacarés naturalmente ficam à espreita, esperando pacientemente algo comestível passar por perto, para então dar o bote com uma velocidade inacreditável. Na noite de sexta-feira, não foi diferente. O faixa-preta não mais se afobou, trocou socos cuidadosamente até ter a oportunidade de dar o bote, clinchar Mousasi e derrubá-lo. “Jacaré” seguiu a teoria da evolução de Charles Darwin e adaptou-se ao meio do MMA, onde só o mais forte sobrevive.

Toda vez que o armênio caía, o chão do octógono tornava-se um pântano mortífero e Jacaré partia para destroçar a presa. Nos dois primeiros rounds, o brasileiro caiu por cima, passou a guarda, pressionou e tentou finalizar com uma chave kimura. Só restava a Mousasi defender-se como um mamífero assustado e espernear para não ser finalizado. Tentava repetir a pedalada que lhe dera a vitória no primeiro combate, mas nosso réptil evoluído não cairia mais nessa.

No terceiro round, Jacaré variou o bote e partiu para uma guilhotina mais indefensável do que a mandíbula do animal que lhe dá o apelido. Finalizou e mandou um recado claro para todos os atletas do peso médio do UFC: Cuidado, o jacaré vai te pegar!

 

* E você, é fã do Jaca e quer treinar com o mesmo kimono dele? Clique no botão abaixo e saiba como:

[symple_callout button_text=”Quero Agora!” button_color=”blue” button_url=”http://graciemagshop.com.br/?utm_source=Nota%20site%20Mauro%20Jacar%C3%A9&utm_medium=Nota%20site%20Mauro%20Jacar%C3%A9&utm_term=Nota%20site%20Mauro%20Jacar%C3%A9&utm_content=Nota%20site%20Mauro%20Jacar%C3%A9&utm_campaign=Nota%20site%20Mauro%20Jacar%C3%A9″]Assine a revista e leve um kimono Koral igual do Jacaré[/symple_callout]

 

UFC Fight Night: Jacaré x Mousasi
Connecticut, EUA
5 de setembro de 2014

Ronaldo Jacaré finalizou Gegard Mousasi na guilhotina aos 4min30s do R3
Ben Rothwell venceu Alistair Overeem por nocaute técnico aos 2min19s do R1
Matt Mitrione venceu Derrick Lewis por nocaute técnico aos 41s do R1
Joe Lauzon venceu Michael Chiesa por nocaute técnico (interrupção médica) aos 2min14s do R2
John Moraga finalizou Justin Scoggins na guilhotina aos 47s do R2

Card preliminar

Al Iaquinta venceu Rodrigo Damm por nocaute técnico aos 2min41s do R3
Rafael Sapo venceu Chris Camozzi na decisão dividida dos jurados
Chris Beal venceu Tateki Matsuda na decisão unânime
Chas Skelly venceu Sean Soriano na decisão unânime

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *