Robert Drysdale e a estreia no UFC: “Pegada de costas é a essência do Jiu-Jitsu”

Share it
Drysdale arrocha a finalização. Foto: Josh Hedges Zuffa LLC Zuffa LLC

Drysdale arrocha a finalização. Foto: Josh Hedges Zuffa LLC Zuffa LLC

No último domingo, 6 de julho, Drysdale fez sua estreia no UFC com maestria. Abrindo o card do evento TUF Finale 19, Drysdale grampeou as costas e pegou de jeito o pescoço de Keith Berish, aos 2min03s do primeiro assalto. Foi a sétima vitória na carreira do faixa-preta campeão mundial de Jiu-Jitsu (entre os pesos pesados, em 2005).

Líder da Zenith Jiu-Jitsu, ao lado de Rodrigo Cavaca, o americano com sangue brasileiro conversou com GRACIEMAG sobre a finalização, destrinchou como faz para pegar as costas e analisou seu futuro na organização de Dana White. Confira e aprenda com ele.

GRACIEMAG: Como você se sentiu antes da estreia no UFC, Drysdale?

ROBERT DRYSDALE: Acredite se quiser, a pressão que senti ao entrar no octógono foi a mesma que sempre senti desde que comecei a competir no Jiu-Jitsu, ainda de faixa-branca. A única pressão que sinto é a que boto em mim mesmo. O público em geral não me afeta. Acho que minha estreia foi boa, sou meu maior crítico e depois fui capaz de observar vários erros que cometi. Mas estou feliz com minha atuação. Perfeito nunca será, né. Rodrigo Cavaca e Marcus Buchecha estavam comigo lá, e o Cavaca foi mais uma vez um excelente córner. Só lamento por não ter conseguido treinar com o Buchecha: quando ele chegou eu já estava em fase de perda de peso.

Qual foi o detalhe para grampear as costas de Keith Berish com eficácia?

No MMA, as pessoas têm o maior pavor de ficar de costas no chão e sempre dão as costas para ficar em pé. Como venho do Jiu-Jitsu, isso para mim é um prato cheio. Depois que peguei as costas, fechei o cadeado e lacei o pescoço para finalizar. A pegada das costas para mim é a essência do Jiu-Jitsu. Treino bastante na grade, na parede, e com as luvas. A luva atrapalha muito e é preciso se acostumar com elas. Quanto ao treino apoiado na parede, é uma faca de dois gumes. Pode ser usada a seu favor ou contra você.

Como você vê seu futuro nessa categoria meio-pesado, que tem Jon Jones como campeão?

Eu quero muito lutar antes do final do ano. Como estou livre de contusões, acredito que estarei lutando em breve. Já me imaginei lutando contra todos os caras da categoria. Não gosto de pensar muito na frente, sei o meu lugar no UFC – cheguei agora. Meu foco hoje, portanto, está em corrigir meus erros e melhorar um pouco a cada dia.

TUF 19 Finale: Edgar x Penn
Las Vegas, Nevada
6 de julho de 2014

Frankie Edgar venceu BJ Penn por nocaute técnico aos 4min16s do R3
Corey Anderson venceu Matt Van Buren por nocaute técnico aos 1min01s do R1
Eddie Gordon venceu Dhiego Lima por nocaute técnico a 1min11s do R1
Derrick Lewis venceu Guto Inocente por nocaute técnico aos 3min30s do R1
Dustin Ortiz venceu Justin Scoggins na decisão dividida dos jurados

Card preliminar

Kevin Lee venceu Jesse Ronson na decisão dividida dos jurados
Leandro Brodinho finalizou Jumabieke Tuerxun no armlock aos 3min49s do R3
Adriano Martins nocauteou Juan Manuel Puig aos 2min21s do R1
Patrick Walsh venceu Dan Spohn na decisão unânime dos jurados
Sarah Mora venceu Alexis Dufresne na decisão unânime dos jurados
Robert Drysdale finalizou Keith Berish no mata-leão aos 2min03s do R1

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *