Charles do Bronx e a inspiração em Jon Jones para vencer no UFC

Share it
Do Bronx após sua vitória sobre Andy Ogle. Foto: Willian Lucas/InovaFoto

Do Bronx após sua vitória sobre Andy Ogle. Foto: Willian Lucas/InovaFoto

Em alta após vencer o último desafio contra Andy Ogle, em fevereiro deste ano, em Jaraguá do Sul, e conquistar o prêmio de melhor performance da noite, Charles do Bronx volta a mirar o topo da categoria peso-pena. No dia 28 de junho, no UFC Fight Night 43, na Nova Zelândia, o atleta encara o japonês Hatsu Hioki em busca de sua segunda vitória consecutiva. E a inspiração para isso vem daquele que é o mais dominante campeão do Ultimate, o americano Jon Jones, que já defendeu sete vezes seu cinturão dos meio-pesados.

A história do apreço de Charles pelo norte-americano começou há pouco mais de três anos, em dezembro de 2010, quando Jones nem sequer havia conquistado o cinturão. Na ocasião, Do Bronx lutou contra Jim Miller, no UFC 124, embalado por duas vitórias consecutivas e marcantes na organização, mas sofreu seu primeiro revés. Abalado no vestiário, recebeu o auxílio inesperado do jovem Jones, à época com 23 anos: “Estava nos bastidores e sem conhecê-lo, sem falar nada, ele colocou o prato de comida no chão para vir falar comigo e me dar uma força por ter perdido. Falou para levantar a cabeça, que tinha acompanhado a luta e que eu daria a volta por cima. Foi sensacional receber aquele apoio”, conta.

O vínculo emotivo criado pelo atleta com Jon Jones fez sua torcida mudar de lado no último sábado, quando o brasileiro Glover Teixeira desafiou o americano pelo título. Alvo de algumas críticas, Charles manteve seu posicionamento, por respeito e admiração. “Fui até criticado por não torcer para um brasileiro, mas minha admiração pelo Jon Jones é muito grande. Considero ele o lutador mais completo hoje do UFC e por isso torci. Muitas pessoas acham que o Jon Jones é marrento, mas é exatamente ao contrário. É um cara bastante humilde e um lutador em quem me inspiro bastante”, pontua.

A ascensão no ranking do UFC seria garantida contra um lutador respeitado como Hatsu Hioki. Charles ressalta as qualidades do japonês, mas não se intimida. “O Hioki é um lutador bem duro e tem uma boa experiência no UFC. Vejo como uma grande oportunidade de dar mais um salto na categoria. Vencendo, já me coloco entre os principais, e a meta é essa. Estou com a confiança lá em cima após minha atuação em Jaraguá e louco para somar mais uma vitória”, destaca.

O duelo no dia 28 de junho colocará em rota de colisão dois dos lutadores de Jiu-Jitsu mais hábeis do UFC. Dessa forma, Charles entende que o duelo no solo pode acabar não acontecendo, e já tem estratégia previamente traçada para desenvolver no camp de treinos.

“Vou ficar bem atento, porque ele é um cara que gosta de derrubar e tem muitas finalizações na carreira. Mas vamos ver qual será a estratégia do Hioki, já que sou faixa-preta de Jiu-Jitsu e minha ‘casa’ é o chão. Já mostrei uma grande evolução na parte em pé e ganhei uma confiança para trocar. Mas caso o combate vá para o chão, me garanto”, completa o lutador paulista, dono de cartel com 17 vitórias e apenas quatro derrotas.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *