Bastidores: a batalha que Milton Bastos teve de vencer duas vezes no Pan 2014

Share it
Milton comemora, enquanto Glodzinski percebe o equivoco e Ivaniel protesta. Foto: Carol Gracie

Milton comemora, enquanto Glodzinski percebe o erro e Ivaniel protesta. Foto: Carol Gracie

No último Pan de Jiu-Jitsu, a semifinal do peso-galo faixa-preta masculino, entre Milton Bastos (Brasa CTA) e Ivaniel Oliveira (Checkmat), atingiu níveis máximos de tensão.

Tudo começou ainda nos primeiros minutos, quando Milton pegou Ivaniel num justo triângulo. O árbitro, Andre Glodzinski, estava atento na defesa de Ivaniel, mas num certo momento ele achou que o atleta da Checkmat havia perdido a consciência.

Glodzinski parou a luta e, para sua surpresa, Ivaniel estava bem acordado e dizendo que não tinha batido.

“Eu vi as pernas dele relaxando e achei que ele tinha dormido, então interrompi o combate. Pensando bem, eu deveria ter checado melhor as pernas de Ivaniel antes de parar a luta. Minha ação no momento foi preservar a integridade física do atleta”, disse André.

O primeiro triângulo da luta. Foto: Ivan Trindade

O primeiro triângulo da luta. Foto: Ivan Trindade

A solução para o equívoco foi dar dois pontos para Milton e promover o reinício do combate, a partir do momento em que havia sido interrompido. O problema é que Milton saiu de uma situação de quase finalização para um sufoco total instantes depois.

Assim que a luta recomeçou, Ivaniel partiu para cima e passou a guarda. Naquele momento, atrás no placar, Milton precisou sobreviver. Repôs a guarda e até tentou colocar o oponente mais uma vez no triângulo. Ivaniel escapou e quase pegou as costas de Milton. Faltava um minuto para o fim. Foi aí que as coisas ficaram surpreendentes.

Ivaniel passa a guarda de Milton. Foto: Ivan Trindade

Ivaniel passa a guarda de Milton. Foto: Ivan Trindade

Com o tempo acabando, Milton escapou do ataque nas costas e contra-atacou Ivaniel. Primeiro, Milton colocou os ganchos para conquistar os quatro pontos, e então foi para o pescoço. Com poucos segundos para o fim, Ivaniel fez o que não tinha feito na primeira tentativa de Milton, e deu os três tapinhas. A comemoração de Bastos foi intensa, como só aqueles que finalizam duas vezes numa luta sabem como é.

Ele tentou definir em palavras: “Cara, é difícil de explicar. Primeiro foi uma grande frustração ter o combate reiniciado, mas essa frustração se tornou felicidade e alívio duplo quando eu finalizei de fato. Nem sabia quanto tempo faltava para o fim da luta, só ouvi meus treinadores, Samir Chantre e Osvaldo Moizinho, dizendo para eu enfiar os ganchos para vencer. Eu fiz, mas ao mesmo tempo senti que a minha mão estava bem funda na lapela dele, e vi que dava para finalizar novamente!”.

Após essa batalha, Milton terminou a categoria em segundo lugar, ao perder a final para João Pedro Rodrigues, o Somália, da Checkmat, por uma punição.

Clique aqui e reveja este que foi um dos combates mais emocionantes do Pan 2014.

Milton comemora, pela segunda vez, a vitória. Foto: Ivan Trindade

Milton comemora, pela segunda vez, a vitória. Foto: Ivan Trindade

Ler matéria completa Read more
There are 9 comments for this article
  1. Paulo Victor Nimrichter at 5:06 pm

    Beleza, muito bacana voces fazerem essa reportagem com o Milton. Mas lembrem-se que foi o VICE campeao da categoria! Acho que voces deveriam fazer uma matéria com o João Pedro Rodrigues, o Somalia, que foi o campão peso galo desse PAN. O moleque é batalhador, ta ai ganhando tudo, merece essa moral de voces! Valeu.

  2. Thiago Dias at 8:33 pm

    Esse mesmo árbitro cometeu vários erros primários em outras lutas.Quem viu a luta sabe que o ivaniel apagou e voltou só depois do Miltinho soltar a finalização após o comando 'PAROU' que foi dado pelo árbitro.Depois de muitas reclamações o sr árbitro se dirigiu para a lateral da área de luta e consultou outros árbitros sobre a situação,deu 2 pontos para o Miltinho e voltou a luta em pé.A questão é a seguinte: Se o Juiz manda parar o combate em uma situação de finalização CLARA,onde ele mesmo diz entender que o atleta estava apagado,ele deveria encerrar o combate e pronto.Faltou personalidade.Se o atleta não solta a finalização para 'garantir' a vitória,leva punição e até mesmo a desclassificação.Culpa de quem?Do árbitro? Talvez a sobrecarga de trabalho durante o evento possa ser a culpada.E ele é ser humano,'pode' cometer erros.O que não pode é parar uma luta com uma finalização e voltar a luta, nem dar 2 pontos quando um atleta se projeta(pula) para a guarda sem pegada ou entrada de queda por parte do adversário,como ele fez na semifinal do absoluto com meu aluno (Artigo 4 do livro de regras).O bom e velho 'problema' da arbitragem.

  3. Gera Costa at 1:20 am

    Concordo com Paulo Vitor fez uma matéria pra falar de um segundo colocado e o campeão da categoria nem sitou nada, isso porque porque se tratava de estrelinhas é… imprensa fraca!!!

  4. Gera Costa at 1:30 am

    No minimo ai o jornalista é aluno ou fã do atleta que ficou de vice, agora falar de um cara que ralou e abriu mão de muitos coisas e teve que contar com a ajuda de outras pessoas que não são da imprensa, porque no fim das contas a imprensa que deveria ajudar só puxa a sardinha de quem os agrada e não de quem realmente faz !!!

  5. João Gustavo Costa Vasconcelos at 1:34 pm

    Mesmo o árbitro sabendo que cometeu um erro,iria dar a vitoria ai atleta de Gi branco vcs podem ver isso no vídeo! Se não fossem os árbitros laterais intervirem!onde e o que o atleta de Gi azul faria para ter seus direitos? Onde fica os responsáveis da arbitragem geral do evento?na cantina? Acho q a cbjj/ibjj poderia rever alguns detalhes sobre a regra,tempo etc pois fica difícil ate para espectadores assistir por ex uma luta de 10 min parada em estudos técnicos por exemplo World pro que diminui o tempo de lutas e fazem com que os atletas lutem com mais combatividade e explosão ! Ja tive experiência em que uma semifinal de brasileiro ganhando apenas de 2pontos o mesário com sono e final de campeonato marcou meus pontos para o adversário e mesmo ele sabendo q estava perdendo e o árbitro teve q seguir o que estava indicado no placar eletrônico ! Esse mesário cometeu mais de 3 erros na mesma luta ,desde marcar o tempo errado da categoria como interferir em uma semifinal de brasileiro resultado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *