Guto Campos e o fechamento com Keenan no Pan: “Isso se chama trabalho em equipe”

Share it
Guto Campos em ação no Pan. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Guto Campos em ação no Pan. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

A equipe Atos dominou o Pan de Jiu-Jitsu em três categorias, com André Galvão no pesadíssimo e no absoluto, e Gustavo Campos e Keenan Cornelius no meio-pesado. As três medalhas de ouro, e a medalha de prata de Keenan ajudaram a equipe a vencer o troféu de equipes do Pan pela primeira vez.

Mas antes de fechar, Guto teve de suar o kimono em disputas eletrizantes na categoria. Na semifinal, por exemplo, Guto se embolou com a fera Renato Cardoso e venceu nas vantagens, depois de uma tenaz troca de raspagens.

Em conversa com GRACIEMAG, o astro gaúcho falou da campanha no torneio, analisou a questão dos fechamentos e explicou por que tem lutado mais por cima. Confira:

GRACIEMAG: Mesmo trintão, você chegou passou pela garotada e fechou com Keenan Cornelius, um astro da nova geração. Qual foi o aspecto mais forte do seu Jiu-Jitsu nesse Pan?

GUTO CAMPOS: Acho que o meu diferencial foi o treinamento bem dirigido, trabalhado em todas as situações de luta para não ser pego de surpresa em nenhuma delas. Além disso, fui com muita vontade de ser campeão e a cabeça boa, para por em prática tudo o que foi treinado. No meu ponto de vista tive uma atuação satisfatória, sempre podemos fazer melhor. Consegui lutar com calma e tranquilidade em todas as lutas, e o objetivo foi alcançado. Percebi que a idade é apenas um número e que a experiência conta muito. Quero agradecer a todos da equipe Atos e Guetho por todo o apoio e confiança que sempre depositam em mim e a minha namorada Renata.

Na semifinal meio-pesado, você travou uma batalha dura com Renato Cardoso (Checkmat). Como foi?

A estratégia era evitar a guarda 50/50 enquanto eu não estivesse à frente no placar. Afinal, ali o Renato tem um jogo muito forte e estratégico. Foi uma luta bem disputada. ele é um atleta perigoso e dono de bons botes no pé e no joelho, mas eu estava atento e preparado para evitar esses ataques. No fim, venci nas vantagens.

Como foi a decisão de fechar com o Keenan Cornelius?

No Pan de 2013, fechei com o André e fiquei com a prata. Já este ano foi a minha vez de ficar com o ouro. Na minha opinião isso se chama trabalho em equipe. Isso já é uma tradição no Jiu-Jitsu. Se o atleta é da mesma equipe mas não treina junto sempre, pode até lutar. Porém, não é o nosso caso. O pessoal é contra o fechamento fala em ADCC, mas lá os atletas recebem uma ótima bolsa como premiação. Se pagassem uma boa bolsa como premiação, acredito que a galera se motivaria a fazer essas finais que todos gostariam de ver.

Notamos que você jogou mais por cima no Pan..

Todo mundo sabe que a minha guarda é o carro-chefe, mas realmente tenho me sentido muito bem por cima. É importante você se sentir bem em qualquer situação de luta, para não ser surpreendido. O negócio é estar pronto para lutar por cima ou por baixo.

Ler matéria completa Read more
There are 10 comments for this article

Deixe um comentário para Daniel Lopes Rodrigues Cancel comment reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.