JT Torres analisa peso leve e a missão de “anular o jogo” de Langhi

Share it
JT finaliza Ed Ramos nas costas no Europeu de Jiu Jitsu por Nog

JT em ação no Europeu de Jiu-Jitsu de 2012. Foto por Raphael Nogueira.

Hoje, sábado 15 de março, os faixas-pretas iniciam sua caminhada até o ouro no Pan de Jiu-Jitsu, em Irvine. Confira os horários no site da IBJJF.org e fique de olho nas áreas de lutas na Califa. Você pode assistir a transmissão ao vivo via IBJJF TV, aqui.

Treinado por André Galvão, o veloz JT Torres vai a Irvine com um objetivo: mostrar que é um dos melhores do mundo no peso leve. O faixa-preta da Atos está escalado na mesma categoria de Michael Langhi, Lucas Lepri, Rodrigo Caporal, AJ Agazarm, Nathan Mendelsohn e outras feras.

Em papo com GRACIEMAG, JT prometeu um Jiu-Jitsu ainda mais ofensivo e preciso: “Sou um lutador diferente, estou mais experiente e mudei meu jeito de treinar”, garante. Confira:

GRACIEMAG: Como você chega para o Pan de Jiu-Jitsu 2014?

JT TORRES: No Pan 2014 você pode esperar um JT mais agressivo e preciso, e que quer mostrar que é o melhor do mundo. Este ano sou um lutador diferente do que você conhece por várias razões: estou mais experiente, mudei meu jeito de treinar, afiei minha técnica e estou mais sadio mental e fisicamente. Não posso divulgar muito no que estou trabalhando, porque não quero estragar a surpresa, mas afirmo: meu jogo melhorou drasticamente de todos os ângulos.

No Pan 2013 você soltou o jogo, com altas finalizações, e este ano parece mais confiante…

Eu certamente vou buscar essas finalizações! Prefiro sempre abrir meu jogo – nunca fui de ficar travado num combate na guarda 50/50 por dez minutos. Entro para lutar, não para jogar. Para mim isso é o Jiu-Jitsu de verdade.

No ano passado, você ficou com o bronze no Pan, após parar na semifinal diante do Langhi. O que aprendeu com aquela derrota?

Quando perdi para o Langhi ano passado, aprendi muito. A maior lição que tirei foi que a técnica é tudo, e não importa o quão cansado você esteja nem quão forte você seja; a técnica conquista tudo. Se o Langhi e eu nos encontrarmos de novo, planejo anular o jogo dele onde quer que a luta se desenrole. Estou preparado para isso e me sinto confiante em todas as posições.

Qual é a sua análise do peso leve neste Pan?

A divisão faixa-preta leve é uma das mais difíceis – senão a mais difícil – de todas as divisões. Competidores do leve têm força e velocidade, que é uma combinação mortal. A divisão leve também está sempre crescendo, com novos concorrentes.

Há cinco lutadores da Alliance no seu peso. Você pensa em estragar a festa deles?

Para dizer a verdade, não enxergo a disputa assim. Estou ali para derrotar qualquer um no meu caminho à medalha de ouro.

Fique ligado em GRACIEMAG e em nossas redes sociais para saber tudo em tempo real.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *