Marcio Gracinha é o Brasil na final do Pancrase, no Japão

Share it
Marcio Gracinha (dir.) ao lado do seu preparador físico. Foto: Divulgação

Marcio Gracinha (dir.) ao lado do preparador Daniel Pirata. Foto: Divulgação

Após estrear em grande estilo no Pancrase, finalizando Yuki Baba no armlock, ainda no primeiro assalto, Marcio Cesar Gracinha terá, em seu próxima desafio no GP, uma vantagem recheada de sorte. Ele, que se preparava para lutar duas vezes na mesma noite, no GP que define o vencedor peso-galo do Pancrase, terá apenas um combate na noite, já sendo a final da divisão.

Tudo partiu de uma combinação de contratações. Seu adversário de origem assinou com o UFC, e o lutador da chave do outro lado do GP fechou com o Bellator. Nessa leva de contratações, restou a Gracinha encarar Taichi Nakajima na final.

GRACIEMAG conversou com o atleta, que comentou a satisfação de fazer a luta pela final de forma direta, além de falar da sua preparação e do seu adversário. Confira:

GRACIEMAG: Como foi receber a notícia que você faria apenas uma luta na final do GP? Deu para mudar a estratégia do combate?

Marcio Cesar Gracinha: Então, da para ficar mais tranquilo, sem me preocupar com uma eventual lesão ou cansaço da luta anterior. Agora nos dois vamos entrar de igual na luta, com chances iguais. Quem iria imaginar que um ia assinar com o UFC e outro com o Bellator? Para mim é mais uma chance, e vou agarrar ela.

E o que já deu para estudar do seu oponente?

Ele é um judoca, no melhor estilo do judô japonês, então provavelmente ele vai buscar a luta no chão. Sou da Nova União, onde o chão é o forte, mas estou pronto para todas as situações. Estou muito confiante na trocação também. O fôlego está em dia, faço meu treino físico na academia Delfim, e faço parte do meu boxe lá também. Estou pronto pra tudo.

Quase dez anos de carreira, e a beira de sua 30° luta. O que representa para você?

É uma alegria muito grande chegar nesse nível da minha carreira. Eu luto desde 2005, essa será minha 30° luta e é a chance deu me coroar. Para uns vem rápido, pra outros demora mais, cada um tem seu tempo. Mas com trabalho todos chegam. Estou focado e na esperança de conseguir. Sobre a luta eu tô tranquilo. Não vai ser mais casca-grossa que o treino que eu faço. Só pratico com cara duro, com os melhores do mundo, então quero chegar longe ainda.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *