Rafa e a luta com Paulo Miyao no Europeu de Jiu-Jitsu: “Usei o Mendes lock”

Share it

 

Rafael Mendes prepara passagem de guarda. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Rafael Mendes prepara passagem de guarda. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Rafael Mendes começou o ano em grande estilo. Primeiro, foi brincar na Disney com a família. De lá, partiu para se divertir e levantar os fãs na montanha-russa de emoções que foi o Europeu de Jiu-Jitsu, em Lisboa, no meio de janeiro.

E o professor da Atos teve uma atuação impecável no peso-pena faixa-preta, afinal Rafa precisou passar por duas promessas do esporte, Gianni Grippo (Alliance) e Paulo Miyao (Cícero Costha).

Na final da categoria, o fenomenal lutador de 24 anos venceu Paulo com uma passagem de guarda justa e muito estudada. Qual foi o detalhe? GRACIEMAG foi descobrir:

GRACIEMAG: Rafa, o povo quer saber: qual foi o seu detalhe para passar a guarda de Paulo Miyao?

RAFAEL MENDES: Bem, eu fiz um giro para defender a raspagem e consegui encaixar um triângulo invertido. Faço muito essa manobra em treinos, mas nunca tinha usado em competições. Acredito que esta técnica vai acabar sendo mais estudada agora e será utilizada pela nova geração, podemos chamar de “Mendes lock” [risos]. De qualquer modo, Paulo é um grande lutador e mal posso esperar para vê-lo contra os outros grandes atletas do peso-pena.

O que motivou você a entrar no Europeu de Jiu-Jitsu?

Este ano eu me sinto mais maduro diante de todas as situações. Não lutei pelo título ou pela medalha, lutei para provar para mim mesmo que meu Jiu-Jitsu é eficiente. Às vezes precisamos de novos desafios, enfrentar adversários diferentes, sair da zona de conforto e colocar tudo em jogo, fazer nosso corpo se sentir intimidado e ao mesmo tempo fazer nossa mente mostrar ao corpo quem está no controle. A maior dificuldade é sempre o treino, o dia a dia e as privações, como a dieta, mas venho fazendo isso desde os meus 11 anos. Então já é algo que meu corpo está habituado a fazer, eu já não vivo sem.

O que você sentiu ao duelar contra os garotos da nova geração, como o Grippo e o Miyao?

Eles não são muito mais novos do que eu, mas como peguei minha faixa preta bem cedo, e talvez pelo fato de estar vencendo desde que me graduei, isso faz parecer que sou de uma geração antiga. Mas tenho apenas 24 anos. Já havia treinado com o Gianni e o Paulo várias vezes, e eles são garotos incríveis, determinados, talentosos e sempre disseram se espelhar no meu Jiu-Jitsu. Sei que eles serão grandes campeões também. Na semifinal da categoria, venci o Gianni por 5 a 0, e na final foi 3 a 0. Em ambas as lutas tentei utilizar meu jogo por cima, gosto muito de usar os legdrags e as toureadas.

Ler matéria completa Read more

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.