Copa Pódio de Jiu-Jitsu: Rodolfo Vieira e Leandro Lo analisam os dois combates no GP

Share it
Rodolfo Vieira bota pressão na guarda de Leandro Lo. Foto: Carlos Arthur Jr.

Rodolfo Vieira bota pressão na guarda de Leandro Lo. Foto: Carlos Arthur Jr.

No vestiário do clube do Botafogo, no Rio, o rei dos pesos leves do Jiu-Jitsu mundial está nu.

Ou quase. Leandro Lo, visivelmente mais forte nos seus 82kg atuais, acabara de dar de presente a um amigo o kimono de cor preta que usara na final do Grand Prix dos Pesados da Copa Pódio, na madrugada de sábado para domingo. “Esse preto sempre me deu sorte. Menos hoje, né?”, sorriu o faixa-preta.

De cuecas, começou a refletir sobre a derrota para o amigo Rodolfo Vieira, quando foi finalizado nas costas em 2min56s de combate.

“Na primeira luta, na fase de grupos, ele tentou passar mais toureando, né velho. Aí deu para aguentar melhor. Na final ele veio justo, se ajeitou melhor assim que eu puxei pra guarda, botando o joelho no meio das minhas pernas, e quando conseguiu aquele legdrag já era. Tentei com todas as minhas energias repor mas tive de dar as costas, o bicho é um monstro mesmo. Achei até que tive uma chance boa de raspar, mas talvez não tenha acreditado tanto e perdi a oportunidade. A partir dali ele continuou acelerando e eu já estava cada vez mais cansado”, disse Lo, com um brilho no olho de quem entendia o feito de chegar a uma final de GP com oponentes bem mais pesados.

Rodolfo Vieira, o vencedor, ainda estava de kimono, tirando fotos e dando entrevistas no ginásio. Com a inseparável camisa azul da Sagrada Família nos ombros e o troféu nas mãos, o atleta de cerca de 93kg tentava decifrar como transpusera as pernas do “foguete” Lo, relembrava do primeiro treino em que deram juntos e contava uma sensação inusitada após a primeira luta entre eles, na última rodada do grupo amarelo.

“Foi engraçado, quando acabou a luta e o juiz levantou a minha mão eu fiquei amarradão. Quando vi, o árbitro tinha erguido a mão do Lo também! Eu jamais percebi que a gente tinha empatado! No início da luta, eu tinha recebido os pontos da queda quando fiquei por cima, para mim foi claro, mas dois dos árbitros acharam que ele puxou para a guarda legalmente e retiraram os dois pontos, e eu nem reparei. Claro que isso não me fez pisar no freio não, na verdade isso me animou a tentar pisar no acelerador com tudo para passar a guarda dele, pois eu já tinha supostamente essa vantagem de 2 a 0, não precisava temer nada. Mas a guarda dele é um absurdo mesmo”, disse Rodolfo.

“Já na final, eu senti que ele estava muito mais cansado. Pudera, né, o cara é bem mais leve, temos que tirar o chapéu para ele. Senti as pernas dele muito fortes e rápidas, parecem dois foguetes que não param de ir e voltar. Entrei com um legdrag e tratei de não perder, quando cruzei por cima dele, pensei: daqui não posso mais sair, não vou mais perder essa posição de vantagem. Quando ele virou, eu consegui chegar nas costas, que é uma posição bem forte minha, aí não deixei a chance escapar”, analisou a fera da GFTeam.

Rodolfo recordou com bom humor o treino entre eles, em 2013:

“Demos dois treinos: um foi pau a pau e no outro ele me deu um amasso, depois de passar a minha guarda. Então eu só pensava que não podia cair por baixo dele. Ele é ainda um passador melhor do que guardeiro, o bicho é sinistro”, concluiu o bicampeão do GP dos Pesados da Pódio.

Relembre os resultados:

Copa Pódio – GP dos Pesados

Ginásio do Botafogo, Rio de Janeiro, RJ

1º de fevereiro de 2013

Desafio das Cidades

Franco Marini (Buenos Aires) finalizou Magid Hage (San Diego) na chave de pé aos 9min55s em luta sem pontos

1ª Rodada do GP

Grupo verde: Tim Spriggs (Lloyd Irvin) venceu Luiz Panza (Barbosa) por 3 a 2
Grupo verde: Travis Stevens (Renzo Gracie) finalizou Rico Bastos (Bruno Bastos) na chave de braço aos 4min57s
Grupo amarelo: Rodolfo Vieira (GFTeam) finalizou Alexandre Souza (AS Team) na chave de braço da montada aos 4min12s
Grupo amarelo: Faisal Alkitbe (UAE Team) venceu Alan Belcher (Team Moraes) por 2 a 0 numa bonita contraqueda

2ª Rodada do GP

Grupo verde: Luiz Panza (Barbosa) finalizou Rico Bastos (Bruno Bastos) no triângulo aos 4min56s
Grupo verde: Leonardo Nogueira (Alliance) venceu Tim Spriggs (Lloyd Irvin) venceu por 5 a 0 (raspagem e passagem)
Grupo amarelo: Rodolfo Vieira (GFTeam) venceu Faisal Alkitbe (UAE Team) por finalização nas costas após raspar, aos 3min32s
Grupo amarelo: Leandro Lo (Cícero Costha) raspou Alexandre Souza (AS Team) para vencer por 4 a 0

3ª Rodada do GP

Grupo verde: Léo Nogueira (Alliance) venceu Rico Bastos (Bruno Bastos) por 2 a 0
Grupo verde: Luiz Panza (Barbosa) finalizou Travis Stevens (Renzo Gracie) na chave de pé aos 35s de luta
Grupo amarelo: Leandro Lo (Cícero Costha) venceu Faisal Alkitbe (UAE Team) por 1 vantagem (raspagem)
Grupo amarelo: Rodolfo Vieira (GFTeam) estrangulou Alan Belcher (Team Moraes) pelas costas aos 3min20s de luta, após 12 a 0 no placar

4ª rodada do GP

Grupo verde: Travis Stevens (Renzo Gracie) e Léo Nogueira (Alliance) empataram em 0 a 0
Grupo verde: Tim Spriggs (Lloyd Irvin) venceu Rico Bastos (Bruno Bastos) por 2 a 0
Grupo amarelo: Leandro Lo (Cícero Costha) finalizou Alan Belcher (Team Moraes) no pescoço na guarda, aos 44s
Grupo amarelo: Alexandre Souza (AS Team) pegou Faisal Alkitbe (UAE Team) na chave de braço aos 5min42s

5ª rodada do GP

Grupo verde: Travis Stevens (Renzo) venceu Tim Spriggs (Lloyd) por 7 a 0
Grupo verde Luiz Panza (Barbosa) e Léo Nogueira (Alliance) empataram nas vantagens, após troca de chaves de pé e joelho
Grupo amarelo Alexandre Souza (AS Team) finalizou Alan Belcher (Team Moraes) na chave de braço do triângulo aos 3min33s
Grupo amarelo: Rodolfo Vieira (GFTeam) e Leandro Lo (Cícero Costha) empataram em 0 a 0

Semifinais

Leandro Lo venceu Luiz Panza por 6 a 4 em troca de raspagens

Rodolfo Vieira finalizou Travis Stevens com um estrangulamento pelas costas aos 3min11s

Luta especial

Felipe Preguiça (Gracie Barra) venceu Guto Campos (Atos) por 12 a 10 na prorrogação

Finais

23h10 3º lugar: Luiz Panza finalizou Travis Stevens na chave de pé

23h20 FINAL: Rodolfo Vieira finalizou Leandro Lo nas costas aos 2min56s de luta

 

Ler matéria completa Read more
There are 5 comments for this article
  1. Vambert Nunes at 6:47 am

    o dinamismo do jiu jitsu articulado foi mais uma prova da evolução e retaliamento de posições atualizadas e ditas como "amarradoras da evolução". Neste duelo tivemos a pressão do classicismo com a desenvoltura técnica do moderno-contemporâneo !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *