A reconquista de Anderson Silva, pelos olhos de um especialista em psicanálise

Share it
Dana White tenta, até hoje, entender o que se passa na mente de Anderson. Foto: Carlos Arthur/GRACIEMAG

Dana White tenta, até hoje, entender o que se passa na mente de Anderson. Foto: Carlos Arthur/GRACIEMAG

Muito se fala sobre a pressão de uma disputa de título. A pressão do defensor ao se manter campeão, a pressão do desafiante em ter, após longos anos trilhando seu caminho até a disputa do cinturão, a definitiva chance de se tornar o número um. Porém, no caso de Anderson Silva e Chris Wiedman, a coisa vai além.

Apesar de ser o desafiante, Anderson Silva foi o supercampeão peso médio do UFC, ostentando a dourada cinta por longos anos até ser superado pelo novato Weidman, que até pouco tempo ninguém conhecia. A razão foi especulada de várias formas: desleixo, pressão, soberba, falta de treino, etc.

No intuito de desemaranhar esse ninho de gato que se tornou a cabeça do ex-campeão, GRACIEMAG conversou com Eduardo Coelho, psicólogo, pós-graduado em psicanálise e fã de MMA, e este tentou analisar por fora a quantas anda a mente do Aranha. Confira o estudo do caso:

GRACIEMAG: Anderson pode entrar mais leve por não ter o peso de ser mais o campeão?

Eduardo Coelho: Não, pois é ele mesma cita que tem um “legado” e que a vitória é importante. Acredito que se tivesse perdido de uma forma menos polêmica, por assim dizer, poderia até ficar menos “pesado”, mas nada aliviaria os fatos: ele é um ícone do esporte, um garoto propaganda milionário e dono de recordes no evento.

O feito de Weidman foi incrível, mas infelizmente foi engolido pelo nome do Anderson. Se fala mais da derrota do brasileiro do que da vitória do americano, e uma opinião pública que espera (quase sentencia) que ele retome o cinturão. Isso mostra que a pressão ainda é bem maior para Anderson e que não está nada leve.

Anderson disse que treinou muito a parte mental, ficando longe da mídia, mais perto da família… Isso será importante?

Bem, se ele foi tão regrado assim quanto ao foco dele como diz, não há dúvidas que será muito importante. Mas para todos que possuem um grande objetivo, tem que haver temperança, e aí a família é realmente muito importante, pois funciona como uma alavanca para ele se sentir mais motivado e relaxado, sem o estresse de eventos, promoções e outros trabalhos paralelos. A “marca” e o “lutador” muitas vezes se confundem, mas é o momento dele ser bem mais lutador, pois sem as vitórias será difícil sustentar a marca que detém.

Anderson sempre deixa claro que não houve excesso de confiança, mas um dia ruim. Será?

Se ele mesmo faz uma leitura do comportamento dele, seria prepotência e até falta de respeito ao Anderson dizer que não, que faltou sim mais seriedade. Alguém já tinha visto ele fazer algo parecido em demasia como na última luta? Creio que não, nem mesmo na famosa luta com Demian Maia. Mas o importante é na cabeça dele saber que algumas coisas não deram certo e muito além de um dia ruim, e que se lamentar por esse dia não resolverá nada, mas sim rever conscientemente o que não deu certo pelos erros dele – e não negá-los como uma forma de defesa às críticas. Entrando mentalmente preparado e com a confiança dentro dos limites da prudência, restará o embate técnico dentro do que os dois treinaram.
5_KORAL_RodapeVIP_8501

Ler matéria completa Read more
There are 15 comments for this article
  1. Paulo Cesar Ourives at 6:13 pm

    ANDERSON SILVA É O NOSSO BRUCE LEE…PONTO , DESTA VEZ A HISTORIA SERÁ OUTRA…AVANTE ANDERSON..ESTAMOS COM VOCÊ..O BRASIL TE APOIA..VAMOS QUE VAMOS .

  2. Flávio Rocha at 6:45 pm

    Anderson silva é arrogante ,e acha que seus adversarios sao crianças que ele pode brincar,vai levar um pau de Weidman pra largar de ser trouxa e achar que só ele tem potencial.

  3. Verlow Woglo Junior at 7:10 pm

    Não vimos ele brincando quando enfrentou o Vitor, então para aqueles que dizem que ele sempre faz isso, estão errados. Ele não menosprezou o Vitor, nem o Sonnen! Agora com o Damiam, ele fez uma palhaçada. Me parece que ele tem problemas com caras que lutam jiu-jitsu. Queremos esse titulo, Anderson. Se vc quiser perder para o Vitor depois, beleza, mas tem que ficar com o Brasil! Oss!

  4. Alex Botelho at 3:10 am

    Diego Barcellos , entendi irmão, mas na minha opinião ele sempre fez isso com todos, independente de qual arte o adversário dele domina, não só com lutadores de Jiu-Jitsu, e não acho que ele sabe JJ so pra se defender, pq ele começou a treinar JJ bem antes de ser o Spider 🙂

  5. Diego Barcellos at 3:17 am

    Alex Botelho Tmb entendo seu lado cara, mas não gosto do jeito como ele age com os outros, me parece que o Adersario dele de agora é uma pessoa bem mais respeitosa e gosta de chão, eu defendo o jiu jitsu não so porque pratico, mas porque é uma arte marcial brasileira, pura brasileira, assim como a capoeira… pra mim olhando ele, o que ele faz, mee parece que ele gosta de exaltar o muay thai dele e menosprezar seus adversarios e suas artes!

  6. Alex Botelho at 3:45 am

    Diego Barcellos tbm entendo seu lado meu brother, isso é um jogo mental q faz parte da estratégia dele, eu tbm defendo o Jiu-Jitsu, pq amo esse esporte, eu não o vejo assim, exaltando seu muay-thai, ele luta desse jeito pq disse q se espelha no muhammad ali

  7. Luis César Oliveira at 11:57 am

    O CW não ganha do AS, nem do Belfort e nem do Jacaré, se muito do Lyoto
    Não acho o jogo dele fantástico
    normal, bom, mas normal… não é nem faixa preta de Jiu, nunca foi o n.1 da NCAA, e nao tem o muay thai decente… então nao faz sentido acha-lo fantastico… os nossos são muito, mas muito mais completo

  8. Ivan Stein at 3:20 pm

    Sempre gostei do mundo das lutas, e por isso quando pude acompanhei os lutadores brasileiros nos eventos de MMA. Anderson Silva foi um fenômeno que acompanhei com gosto, vendo vencer seus oponentes me fez conhecer seu estilo de luta. Em sua ultima luta porem uma nebulosidade de eventos estranhos pairou sobre o resultado daquela luta. Anderson estava estranho, às vezes em outras lutas abusa nas esquivas, mas sempre quando o fazia andava para trás e entrava com o contragolpe e definia a luta desta vez não, baixou os braços e esperou como se quisesse o fim daquele modo.
    Tenho certeza que o resultado da luta desta revanche só depende da cabeça de um homem, e este homem é Dana White.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *