Velasquez despacha Cigano; Melendez e Sanchez surtam no UFC 166

Share it

Velasquez vence Cingano em trilogia de pesados do UFC. Foto: UFC/Facebook

O  brasileiro Junior Cigano entrou no cage do UFC 166, na noite desse sábado, dia 19, no intuito de retomar o cinturão peso pesado do Ultimate. O dono da cinta, Cain Velasquez, perdeu e recuperou a cinta de Cigano nos dois combates anteriores, e os grandalhões realizaram a “prova dos nove” no octagon montado em Houston, no Texas.

Superior do início ao fim, Cain confirmou o favoritismo e defendeu seu cinturão, anulando o jogo do brasileiro e vencendo por nocaute técnico. Já na penúltima luta da noite, Daniel Cormier e Roy Nelson travaram grande batalha, mas Cormier levou a melhor. Confira os destaques:

 

Velasquez supera Cigano em trilogia pela cinta dos pesados

Luta com sabor de tira teima, sem contar a singela cinta dos pesos pesados do Ultimate também em jogo. Cain e Cigano entravam juntos no cage pela terceira vez para responder definitivamente quem era o melhor peso pesado da organização até o momento.

Não precisou de muito tempo para Cain indicar o jogo dele. Pressionando na grade, fintando para quedar e aplicando duros golpes nas lacunas, o americano ditou o ritmo da luta nos cinco assaltos do combate. Cigano, em resposta, soltava fortes cruzados de direita. Alguns encontravam Cain, mas nunca com a precisão cirúrgica que seria necessária para derrubar, mais uma vez, o atual campeão.

Mostrando ter um fôlego invejável para os atletas da categoria, Cain não deixou de avançar um minuto sobre Cigano, e este se viu encurralado nas grandes por tantas vezes que não é possível contar. Resumindo, o combate se encaminhava para um claro 50-45, quando Junior Cigano arriscou uma finalização no pescoço, ainda de pé. Cain se virou, caiu no chão, e Cigano bateu com a cabeça no solo. Atordoado pelo castigo que já havia recebido dos punhos de Velasquez, levantou meio perdido, e o americano só completou o serviço, golpeando por cima. Nocaute técnico com pouco mais de três minutos do último assalto.

Cormier aceita trocação e vence Roy Nelson

No coevento principal, Daniel Cormier e Roy Nelson se enfrentaram em combate válido também na categoria de pesados do UFC.

Começando a luta, Cormier fez o esperado ao respeitar a mão de pedra de Nelson e partir direto para a luta agarrada. O barrigudo, faixa-preta de Jiu-Jitsu, não foi presa fácil para o wrestler, dando trabalho para cair e inclusive tentando uma kimura ainda em pé.

Mas daí vem o pulo do gato: Quem achou que Cormier evitaria trocar em pé, estava enganado. Depois de trabalhar as quedas, Cormier usou a cabeça, fazendo com que Roy esperasse defender as investidas nas pernas, para combinar socos rápidos e precisos. No assalto, Daniel levou vantagem agarrando e batendo.

Na segunda etapa, Daniel voltou para lutar em pé, desafiando o letal overhand de Nelson. Esquivando e por vezes correndo da patada do roliço, Cormier achou sem problemas a distância, e trabalhou bem na trocação para levar o segundo assalto também.

No terceiro e último round, mais do mesmo. Quedas, golpes rápidos e algumas respostas de Roy. Cormier passeou em mais uma etapa. Roy Nelson tentou ainda desequilibrar Cormier, dando a cara para bater, mas o experiente lutador manteve a calma, administrou e manteve sua invencibilidade no UFC, sem nunca ter perdido sequer um assalto. Decisão unânime para Daniel Cormier.

Outros destaques ficaram para o nocaute arrasador do bigodudo Gabriel Napão sobre Shawn Jordan e para o épico embate protagonizado por Gilbert Melendez e Diego Sanchez, no qual Diego surtou e partiu para dentro mas Melendez levou a melhor. Confira abaixo os resultados e os vencedores dos bônus do UFC 166:

UFC 166: Velasquez x Cigano 3
Toyota Center, Houston, Texas
19 de outubro de 2013

Cain Velasquez venceu Junior Cigano por nocaute técnico aos 3min09s do R5
Daniel Cormier venceu Roy Nelson na decisão unânime dos jurados
Gilbert Melendez venceu Diego Sanchez na decisão unânime dos jurados (Luta da noite)
Gabriel Napão venceu Shawn Jordan por nocaute técnico a 1min33s do R1
John Dodson nocauteou Darrell Montague aos 4min13s do R1 (Nocaute da noite)

Card preliminar

Tim Boetsch venceu CB Dollaway na decisão dividida dos jurados
Hector Lombard nocauteou Nate Marquardt a 1min48s do R1
Jessica Eye venceu Sarah Kaufman na decisão dividida dos jurados
KJ Noons venceu Georges Sotiropoulos na decisão unânime dos jurados

Card Preliminar (Facebook)

Adlan Amagov nocauteou TJ Waldburger aos 3min45s do R1
Tony Ferguson finalizou Mike Rio no triângulo de mão a 1min52s do R1 (Finalização da noite)
Andre Fili venceu Jeremy Larsen por nocaute técnico aos 53s do R2
Kyoji Horiguchi venceu Dustin Pague por nocaute técnico aos 3min51s do R2

 

Ler matéria completa Read more
There are 5 comments for this article
  1. Ronaldo Rodrigues at 12:23 pm

    Sou brasileiro e é muito massa o lance do patriotismo, mais temos que entender que o patriotismo cego nos induz a julgamentos errados muitas vezes… O cigano é um grande atleta, mais irmão vc querer lutar boxe em uma luta de M.M.A é complicado. Velho tudo alí é questionavel. Onde que tava o Jiu-Jitsu do kara? o CB Dollaway é azuld e Jiu-Jitsu, menos graduado que o cigano e mostrou sim ser um lutador de Jiu-Jitsu… o nome do esporte já diz tudo Mixed Martial Arts, dai vc vai querer vencer só usando o boxe? nao desmerecendo o boxe, pois o boxe é essencial, assim como tambem é essencial o Jiu-Jitsu, o Thay, e o wrestling. Perdeu por nao ter lutado como um lutador completo… Quer lutar boxe irmão? procura o Don King. Alguem pode falar: "Po irmao, c ta reclamando? pois vai lá e faz melhor que o cigano". A questão não é fazer melhor que o cigano, porque, se o Cain tivesse perdido, alguem poderia dizer o mesmo: "Vai lá e faz melhor que o Cain". Análise critica qualquer um pode fazer, desde que tenha conhecimento da area que se atua… Oss

  2. Isaias Moraes at 8:59 pm

    verdade 100% ps- todos torcedores de futebol, volley, tem direito de dar opinião e ninguem fala "vai la na seleção e faz melhor" kkk este eh o tipo de falta de argumento, de reflexão etc .Cigano vai pegar a fila , daqui uns anos, ele pode voltar mais completo! Sem desculpas!

  3. Gero June Jr. at 6:50 pm

    O problema nessa luta e na luta anterior é a velocidade. O Caim foi muito rápido para o cigano. Mesmo que o cigano tentasse chutar ou boxear o Caim não deixava. No chão realmente o cigano é zero de JJitsu, ele deve ter comprado a faixa preta, em toda loja de esportivos tem. O Caim luta como um trator, como se para um trator?? Um trem desembestado para um trator. O cigano tinha que ser um trem desembestado, parti pra cima do Caim e não deixar ele pensar. Mas, foi o contrário. Acho que o cigano deve treinar muito chutes e JJitsu e contratar o J.Thompson, o inglês locomotiva pra treinar estilo trem bala.

  4. Sergio Ricardo Borges at 5:42 am

    Junior Cigano é um bom lutador, porém o que se viu foi alguém totalmente inseguro. Um boxe estático, exatamente igual ao do Minotauro, mãos baixas, deslocamento lento, caminhando o tempo inteiro para traz e o que é pior sem marcar a passada com jabs e diretos. Muito pouco para fazer frente a qualidade do Cain Velasquez.
    Gostaria de ver o Junior ganhar, porém como disse Rickson Gracie a muitos anos atrás, mais precisamente na derrota do Amaury Biteti, gostaria de ter visto o Junior lutar um pouco mais de jiu jitsu. Como diziam os antigos, o jiu começa aonde as outras lutas acabam e a beleza do jiu jitsu esta na eficiência de sua guarda. Guarda essa que 90% dos faixas pretas desconhecem. Alguns dirão que eu estou maluco e que o jiu jitsu não é o forte do Cigano. Perfeito, concordo plenamente, porém se isso não é o seu forte, como o Cigano pode ostentar a faixa preta de jiu jitsu. Alguém saberia me dizer ?
    A questão é que o jiu jitsu evoluiu, e sua evolução acabou com sua eficiência. A essência dele se perdeu, e por causa dessa perda vemos nossos lutares com medo de ficarem de costas no chão, posição essa que teoricamente deveria ser nossa zona de conforto.
    Sou de um tempo que, para ser merecedor de utilizar a faixa preta de jiu jitsu, um lutador deveria ser bom em todos os fundamentos, não somente ser um bom passador, ou ser um bom guardeiro… Devia saber passar a guarda, repor, atacar, defender e principalmente finalizar. Atacar por cima, atacar por baixo e principalmente , sou de um tempo em que ser faixa preta de jiu jitsu era sinônimo de respeito. Porém muita coisa mudou e o resultado esta aí…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *