ADCC 2013: Cyborg goleia Buchecha no absoluto, Zé Mario vence Gurgel

Share it

Roberto Cyborg é o novo campeão absoluto do ADCC. Foto: Erin Herle

O desfecho do charmoso evento de luta agarrada criado pelo xeque Tahnoon, de Abu Dhabi, foi glorioso, neste domingo 20 de outubro.

Na superluta master, Zé Mario Sperry superou Fabio Gurgel na decisão dos jurados, após impor muita pressão em pé e por cima, nos 20 minutos de luta. Sperry foi o primeiro campeão absoluto do evento, ao bater Oleg Taktarov, e segue inspirando os fãs, aos 47 anos, assim como Gurgel, 43.

No absoluto, a festa foi da rapaziada mais jovem. Marcus Vinicius Buchecha e Roberto Cyborg entraram logo depois de Sperry e Gurgel para a final do absoluto.

A trajetória no absoluto

Para chegarem até lá, os gigantes suaram. Buchecha, campeão acima de 99kg após vencer Cyborg na semifinal, primeiro precisou eliminar Garry Tonon por pontos. Em seguida, suportou o jogo por cima de Rustam Chsiev, o “Urso Russo”, que eliminara Orlando Sanchez. Buchecha esperou até os últimos segundos para vencer, com uma virada ao raspar da guarda fechada e cair montado, marcando os pontos decisivos.

Na semifinal, Buchecha venceu um lutaço contra Dean Lister, por pontos. O astro da Checkmat chegou a passar a guarda e quase pegou as costas, mas Lister, que havia finalizado João Gabriel Rocha no tornozelo, vendeu caro e foi sempre perigoso nos contra-ataques.

Do outro lado da chave, Cyborg começou sem alarde, mas nas quartas despachou Jared Doop, e na semifinal embalou de vez; contra Keenan Cornelius, Cyborg ignorou a guarda escorregadia do faixa-preta da Atos para abrir 6 a 0. Era a pressão que lhe daria o ouro.

Na disputa de terceiro lugar, realizada depois das 6h da matina no Brasil, Keenan Cornelius e Dean Lister fizeram um lutaço solto e ofensivo, e após pegar as costas e encaixar um belo triângulo, Keenan venceu, por três pontos.

A final do aberto

No segundo reencontro entre os velhos amigos, Buchecha e Cyborg entraram sorridentes para a grande final. O vencedor levaria uma bolada em dólares, e o direito de enfrentar André Galvão daqui a dois anos, provavelmente no ADCC Manaus. Mas logo a luta foi esquentando, com Cyborg impondo seu jogo de quedas e jogando o peso para desvencilhar-se das pernas de Buchecha, chegando assim ao lado ou ao norte-sul. Com a sequência da luta, Cyborg foi minando Marcus, e abrindo 4 a 0, 7 a 0 e 10 a 0 ao chegar ao cem-quilos sucessivas vezes. Buchecha ainda tentou puxar um último gás no fim, tentando raspar numa omoplata, mas sem sucesso. No fim, 10 a 0 para Roberto, que devolveu a derrota no peso em grande estilo.

E aí, Cyborg e André Galvão vão fazer um bom duelo em 2015?

Ler matéria completa Read more
There are 27 comments for this article
  1. Felipe Henrique Dos Santos at 12:45 pm

    depois de superar o melhor lutador dessa geração, o gigante da checkmat, da ciborg na luta contra o galvão

  2. Augusto Santos Santos at 3:59 pm

    Se força ganhasse no submission,os europeus vindos do wrestling e sambo ganhariam tudo. Cyborg ganhou por estar em um dia melhor,sem desculpas.

  3. Vinicius Ventura at 5:01 pm

    Tiago Oliveira Não se pode falar em "baixo nível" numa categoria com Buchecha, João Gabriel, Dean Lister, Keenan Cornelius….A questão, ao meu ver, foi física, pois apesar da técnica deles está em um nível altíssimo, mesmo não sendo eles do mesmo nível (o Buchecha é bem mais técnico que o Cyborg) a parte física falou mais alto!!!

  4. Isaias Moraes at 8:53 pm

    Augusto Santos Santos falou tudo!!! Cyborg mostrou q a idade nao tem peso qdo ele usa tecnicas e estrategia!! Parabens Cyborg!!!

  5. Mário Sérgio Filho at 3:30 am

    Gostaria muito de agradecer, em nome da familia do Robertinho, ao Marcos Bochecha, pela forma honrosa com que tratou o Robertinho durante a luta e depois dela! Chegou a se ajoelhar e aplaudir! Todos nos emocionamos com sua atitude! Mostrou q não e apenas um dos maiores da atualidade, mas também um grande homem! Ganhou muitos torcedores hoje Bochecha! Muito obrigado e parabens!

  6. Mário Sérgio Filho at 10:45 pm

    Eu sei disso Fábio Fernandes! Nao entendi muito o que o fato deles treinarem juntos tem a ver com o que eu disse. Eu só quis destacar a atitude do cara, que foi muito legal, independente deles treinarem juntos ou não mano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *