ADCC 2013 consagra Cobrinha, Kron, Barral, Assis, Buchecha; Gabi e Nicolini sobram

Share it

Kron Gracie conquistou seu primeiro ADCC. Foto; John Lamonica/ GRACIEMAG

Na noite de sábado para domingo, o ADCC coroou os campeões na divisão dos pesos, com boas lutas e Jiu-Jitsu de alto nível. Nos tatames de Pequim, capital da China, os faixas-pretas foram mais uma vez os melhores do mundo na luta agarrada.

Entre os mais pesados, na divisão acima de 99kg, o bicampeão mundial absoluto Marcus Buchecha manteve o posto de imbatível na atualidade. Na semifinal, o astro maior da Checkmat eliminou Roberto “Cyborg” Abreu, que ficou com o bronze após vencer Jared Dopp. Na disputa pelo ouro, Buchecha tratou de puxar para a guarda e executar os bons botes no pé de João Gabriel Rocha. Depois de duas tentativas, o paulista apertou com sucesso o calcanhar de João Gabriel.

Na categoria até 99kg, o bicho-papão era Dean Lister, o atual campeão. Na semifinal do peso, Lister tratou de despachar Cristiano “Titi” Lazzarini por finalização. Do outro lado, João Assis passou por Léo Nogueira, que fisgou o bronze ao vencer Titi. Em combate estudado e estratégico, Assis se livrou de uma chave de pé e um triângulo bem ajustado para vencer Dean Lister nos pontos. Foi seu primeiro ouro no ADCC, para festa da Checkmat.

No peso até 88kg, Romulo Barral foi o grande campeão. O caminho até o ouro não foi fácil. Primeiro o professor da Gracie Barra precisou passar pelo talentoso Keenan Cornelius nos pontos. Depois viu Rafael Lovato eliminar Pablo Popovitch. Se em 2011 Rominho chegou a pensar em aposentadoria após perder no ADCC, desta feita Barral entrou determinado na final e venceu Lovato por três pontos. O mineiro saiu bastante emocionado e dedicou a vitória para o filho que vai nascer no fim do ano.

Na divisão até 77kg, Kron Gracie enfim assumiu o posto de melhor do peso, após bater na trave em 2011. O filho de Rickson foi impecável sem kimono, com quatro finalizações. Na semifinal, esticou o braço de JT Torres e carimbou o nome na final contra Otavio Sousa, que vencera Leozinho Vieira. O bicampeão mundial dos médios Otavio investia nas quedas, quando o Gracie preparou uma arapuca e apertou o pescoço com sua temida guilhotina.

Os mais levinhos do evento, na categoria até 66kg, mostraram um cardápio recheado de giros e Jiu-Jitsu altamente técnico. Rubens “Cobrinha” Charles foi pela primeira vez campeão na categoria, após superar Rafael Mendes na decisão dos juízes depois de tensos 40 minutos de luta, um combate que chegava a continuar no tapete do lado tamanha a intensidade. Cobrinha passou por Robert Sabaruddin, Marcio André e Justin Rader antes de bater Mendes, bicampeão do evento.

As mulheres também foram eficientes. Na categoria até 60kg, Michelle Nicolini usou o arsenal de finalizações para beliscar o tão sonhado ouro. Depois de vencer a japonesa Seiko Yamamoto nos pontos, a paulista pegou o pé de Luanna Alzuguir.

Na categoria acima de 60kg, Gabi Garcia defendeu o título com autoridade e finalizou todas as suas oponentes. Primeiro apertou Yurika Nakakura no triângulo de mão, depois despachou Tammy Griego e por fim, finalizou Maria Malyjasiak, que havia vencido Penny Thomas e Fernanda Mazzelli.

E para você, leitor? Quem foi o grande destaque nos pesos?

Ler matéria completa Read more
There are 28 comments for this article
  1. Pedro Ivo at 11:11 am

    Cara, engraçado comoo Otavio não consegue ganhar do Kron ne! acho que tem ate um fator extra nervosismo quando eles vao se enfrentar! mas ambos são top da arte!! osss

  2. Davidson F Antonio at 2:49 pm

    pô só tem casca grossa do mais alto nivel !!! Surpresa nenhuma , como sempre o destaque é o #jiujitsu Brasileiro ! #Imbativel no grappiling ! Osss

  3. Augusto Santos Santos at 4:05 pm

    Então senta e faz guarda,o jiu jitsu é uma arte completa ao meu ver,esse negocio de sentar e fazer guarda é contra tudo,quedas sao vitais,e devem ser valorizadas.

  4. Mario Fernandes at 5:28 pm

    O QUE ME DEIXA FELIZ É A CONFIRMAÇÃO INCONTESTÁVEL DA EFICIÊNCIA DO JIU-JITSU PRATICADO PELOS BRASILEIROS ( QUE FIQUE CLARO ). O TORNEIO É ABERTO A TODAS AS ARTES MARCIAIS AGARRADAS E A TODAS AS NAÇÕES. SÓ BRASILEIROS E ASTROS DO JIU-JITSU COMO CAMPEÕES. PARABÉNS A TODOS.

  5. Macarius Gallius at 1:14 am

    o que não dá para entender, é como um evento desse porte, com um card desse nível, e o ginásio praticamente vazio, um gato pingado aqui e outro ali nas arquibancadas, ou o ADCC volta para o Brasil, ou vai ser apenas mais um evento.

  6. Rogerio Garra KF at 12:19 am

    é fato que a regra favorece jujiteros,,tbm todos sabem que a quantidade de lutadores de ponta praticando no gi…mas ainda tentam enfiar para o publico a eficiência de uma arte só… quando esses lutadores treinam luta olimpica para melhorar suas quedas… e tbm judô

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *