UFC 165: Alexander Gustafsson me enganou

Share it
Gustafsson soca Jon Jones no UFC 165 em Toronto

Gustafsson cai para dentro de Jon Jones no UFC 165, em Toronto: para surpresa dos fãs que não davam nada para o desafiante sueco, Jones saiu do octagon carregado. Foto: UFC/Divulgação

Desculpe-me Alexander Gustafsson. Errei grosseiramente ao subestimar você.

Quando vi o anúncio de que você disputaria o cinturão da categoria meio-pesado do UFC contra Jon Jones, prontamente decretei que você não tinha chances de vencer. Até ontem, achava que você era mais um caso de lutador europeu superestimado para que o UFC tivesse audiência em outros mercados. Algo na linha de Michael Bisping, inglês que está sempre em destaque apesar de ser pouco mais do que um atleta regular.

Aquelas suas vitórias contra Thiago Silva e Maurício “Shogun” Rua não me impressionaram, apesar de terem sido contra grandes oponentes. De fato, eu considerava você até um pouco desengonçado, e sem poder de nocaute. Achava que seus únicos diferenciais eram a altura e a envergadura. Muito pouco para ser campeão.

Seu oponente seria justamente o excepcional Jones, que além de envergadura semelhante à sua, já mostrara uma das melhores técnicas de wrestling da atualidade, associada a um bom muay thai, Jiu-Jitsu competente, cotoveladas fatais, preparo físico e genética única.

Sem titubear, bradei que você seria massacrado no UFC 165. Cheguei a ser cruel e declarar publicamente via Twitter que era mais fácil Levy Fidelix ser eleito presidente do Brasil do que você ganhar de Jon Jones. Não esperava nada desse combate além de uma vitória fácil do campeão. Como eu estava enganado.

Na madrugada de 22 de setembro de 2013 você foi um gladiador. Enfrentou destemidamente o campeão desde o primeiro round. Partiu para cima como jamais imaginei que faria. Acertou ótimos socos e defendeu as tentativas de quedas do americano. Mas até aí, eu ainda achava que era questão de tempo até você ser posto para baixo e nocauteado por uma cotovelada. Homem de pouca fé! Precisei ver você derrubar o campeão, como ele jamais havia sido quedado, para começar a acreditar em você.

Não só acreditar, mas vibrar! Fiquei de pé para ver seu ótimo desempenho, sua movimentação frenética, seu uso inteligente da envergadura para acertar Jones e evitar ser acertado pelas temidas cotoveladas. Vi o medo e a raiva nos olhos de Jon Jones, contrariando o slogan da camiseta da marca famosa que dizia que ele era mais do que meramente humano (“Not quite human”).

Para mim, você ganhou os três primeiros rounds, embora o terceiro tenha sido bem parelho. Toda essa movimentação e força para não ser derrubado cobrou seu preço e você sentiu o cansaço. Temi que você fosse nocauteado pela cotovelada rodada que acertou seu rosto em cheio no final do quarto round. Jones finalmente derrubou você e dominou o quinto round. Mesmo exausto, você não desistiu em momento algum.

A luta chegou ao fim e o destino do cinturão seria decidido pelos jurados. Já não importava. Ganhando ou perdendo você já impressionara o mundo. O combate foi épico e qualquer resultado seria justo. A vitória foi dada ao campeão, mas você não foi perdedor. Não se preocupe. Você vai disputar esse título novamente. E, desta vez, eu não mais subestimarei seu jogo. Mais do que isso, estarei torcendo pelo desengonçado sueco.

Ler matéria completa Read more
There are 42 comments for this article
  1. Davidson F Antonio at 3:50 pm

    Quando estava já ficando chato , lutas manjadas e tal ! A velha e boa tática e técnica entram em ação e fazem o esporte ser merecedor de muita atenção e emoção . Aula de como enfrentar alguém que todos julgavam imbatível ! E imbatível é apenas um adjetivo !!!! #Osss

  2. Fernando Fernandes at 3:52 pm

    Belfort chegou muito mais perto da vitória do que qualquer outro. Aguentar 5 rounds, o Rashad tb o fez. Não é porque o Jones não deu espetáculo que desmereceu o resultado. Numa defesa de cinturão o desafiante é que tem que mostrar que pode ser campeão e não o contrário. Ele queria um oponente duro e teve. Thats it!

  3. Luis A Oliveira Jr at 3:58 pm

    Não foi só você que ficou sem fôlego com a luta…sueco casca grossa. E o Jon Jones, mesmo levando fortes golpes seguiu andando para frente o tempo todo. Grande luta, e na minha opinião, resultado justo…

  4. Hebert G. Dos Santos at 4:25 pm

    Ainda acho que o Gustafsson merecia a vitória…
    mas por se tratar de um evento americano e pelo simples motivo de JJ ser o "menino dos olhos" do poderoso chefão Dana White a vitória ficou como decisão UNÂNIME… fala sério… pelo menos tivessem um pouquinho de vergonha na cara e dessem uma vitória por decisão dividida…
    O que esperar de um evento americano que em sua maioria tem campeões estrangeiros???
    Antes de começarem a me criticar, parem e pensem no seguinte: TODO MUNDO TEM UM PREÇO E A CORRUPÇÃO ESTÁ PRESENTE EM VÁRIOS ESPORTES (LEMBRAM DA JUVENTUS DE TURIM QUE APÓS SER CAMPEÃ ITALIANA FOI REBAIXADA???)
    Que sirva de exemplo para os lutadores brasileiros que irão enfrentar lutadores americanos (MACHIDA REALMENTE FOI PIOR DO QUE O PHILL DAVIS???)…
    A meta do Mr Dana White é fazer de tudo para que seu afilhado bata o recorde de defesas de cinturão do Spider.
    REFLITAM ANTES DE ME CRITICAREM!!!

  5. Digo Ferreira Rodrigues at 4:35 pm

    Pela primeira vez, irei concordar com você sumido Hebert… O Gustafsson deu um baile no JJ.. Bateu doído e deixou o gringo maluco… O empate era a decisão mais correta… Mais…..

  6. Henrique Santana at 4:43 pm

    Em outra ocasião concordo plenamente, mas ele lutou contra o campeã e para ganha do campeão você não pode ter dúvidas! tem que convencer!

  7. Fabiano Araujo at 4:48 pm

    Concordo, amigo Henrique, porém a minha análise está a parte ser o campeão julgando uma luta entre dois lutadores vejo a vitória do sueco, porém concordo com a decisão dos jurados pesando o status de campeão.
    Grande abraço

  8. Paulo Andrade at 5:28 pm

    Gustafsson surrou o Jones nos 3 primeiros rounds e no quarto até a cotovelada, lembro de ver a feição de desespero do Jones no seu corner sem saber o que fazer pra derrotar um cara que estava o atropelando com Jabs fortissimos que faziam sua cabeça balançar.. Mas como toda disputa de cinta que vai pra mão dos Juizes, Gustafsson é mais a ser roubado… Sempre falei e fui sempre criticado, Jones é superestimado…

  9. Isaias Moraes at 6:16 pm

    ele andou muito para tras e correu para os lados…nos criterios do evento/show/ torneio isso conta muito para o oponente =/ foi muito valente, apesar de recuar a estilo Lyoto, acertou muito Jones, resistiu a chutes e cotoveladas, deveria ser uma vitoria por decisão dividida. Creio q o rematch sera diferente! Quem sabe se ele levar para o chão? se ele pegar as costas do Jones, sem chances!

  10. Alexandre Pimenta at 6:26 pm

    Hebert G. Dos Santos não dá Hebert, não se fazem empates em disputa de cinturão, a vitória mesmo que contraditória fica sempre com quem já é sagrado campeão. Mas temos que concordar com você, o Sueco lutou muito, tanto que Jon Jones saiu carregado!, abração amigo!

  11. Hebert G. Dos Santos at 6:54 pm

    Queria mesmo é ver uma revanche na Suécia… mas o titio Dana nunca vai fazer isso… srsrsrs blz… Bom pelo menos uma decisão dividida e não unânime já seria algo menos vergonhoso e tendencioso pro UFC. Em duas enquetes on line (uma nacional e outra internacional) o resultado foi de mais de 60% concordando que o Gustafsson ganhou a luta, mas JJ é o "menino dos olhos" do chefão aí já viu né???

  12. Carlos Junior at 9:50 pm

    Fabiano Araujo . Não acho que foi pelo fato de ser o campeão e sim pelo fato do campeão ser americano. Teve um jurado que 49 a 46, não vi a mesma luta que esse cara. Eu cravei 48 a 47 para o sueco. Jones acabou a luta acabado.

  13. Ivo Nobre at 10:35 pm

    Me desculpe a sinceridade vei, mas quem chegou a subestimar o Gustafsson não tem a minima ideia do grande lutador que ele é, o povo procura medir a qualidade do lutador em relação ao que ele fez em lutas passadas, mas não para pra pensar que cada luta tem um novo agir, essa luta a tatica foi outra, não foi aquela usada contra o Shogun e tão pouca a usada contra o Thiago Silva, que sirva de lição pra todos, foi por pouco que esse cinturão iria para o Sueco.

  14. Moacir Costa at 11:43 pm

    para mim, a vitória foi do Gustafsson sem sombra de dúvidas… não tirando o mérito do monstro Jones, mas a garra e humildade desse sueco, a força de vontade (por alguns desacreditado) servira de exemplo p mim p sempre.

  15. Fernando Fernandes at 12:08 am

    Resposta errada! Belfort aguentou 4 rounds mas nunca teve preparo para mais do que 2 e foi vencido pelo cansaço. Gusta é um cara duro, sem dúvida, mas tem que mostrar mais que isso. Jones se manteve no centro do 8 e Gusta se limitou a correr e tentar magoar o corte que Jones sofreu no supercílio logo no inicio da luta. Pra mim Gusta não ganhou nenhum round, não foi espetacular pra se consagrar campeão e isso, dessa vez, não teve nada a ver com patriotismo.Thats it!

  16. Philippe Berto at 11:40 am

    Alexandre Pimenta Fazem sim cara. UFC 125 Edgar vs Maynard deu empate por decisão dividida valendo o cinturão, foi marcada revanche imediata. A sensação de injustiça no caso o Gustaffson é que JJ teve apenas um momento na luta, na cotovelada rodada que pegou e nos golpes seguintes. Fora isso, em termos de contundência, só deu o sueco. É verdade que pra tirar cinturão tem que ser bem vencido, mas quem saiu bem estragado da luta foi JJ. Agora torço pelo Glover, de quem o JJ com certeza não aguentará três porradas bem dadas caso ele consiga aplicá-las.

  17. Roberto Valentin Junior at 2:23 pm

    Bem colocado Mauro, o Gustafsson foi muito bem na estratégia e "anulou" algumas armas poderosas do Jones. Gostei muito da luta, um combate daqueles que ficam pra história do esporte, mas ao contrário de alguns acho que o título mereceu ficar nas mãos do Jones. No geral percebi ele mais inteiro na luta com uma reserva física no final de assustar. Um novo encontro promete e promete muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *