Charles do Bronx explica por que troca de oponente no UFC 166 não incomoda

Share it

Do Bronx volta ao cage esperando nova grande apresentação. Foto: UFC/Divulgação

Em sua última luta pelo UFC, no dia 6 de julho, Charles do Bronx deu muito trabalho ao ex-campeão Frankie Edgar, mas não conseguiu a vitória. O bônus de melhor luta da noite foi muito celebrado, mas agora o objetivo é bem claro: vencer e convencer, para voltar a almejar o topo da categoria peso-pena. No dia 19 de outubro, no UFC 166, em Houston (EUA), ele espera reencontrar o caminho das vitórias contra Jeremy Larsen.

O adversário original do atleta era Estevan Payan, mas uma lesão obrigou o UFC a escalar Larsen em seu lugar. Charles, no entanto, não está preocupado com essa mudança, mesmo a menos de um mês para o combate:

“Eu estava me preparando para lutar contra o Estevan e também estou pronto para enfrentar o Jeremy. A minha preocupação não é com adversário, mas sim comigo, em estar bem treinado e em condições de conquistar a vitória, independentemente de quem seja o adversário. Esse é o meu foco. Quero fazer uma luta parecida com a do Frankie, pra frente e bem disputada, mas dessa vez eu quero sair com a vitória”, ressalta.

Sempre disposto a lutar e à disposição do UFC, Charles do Bronx vai para o seu segundo confronto no ano. Dessa vez, apenas três meses separam um confronto e outro, algo bem diferente do que aconteceu antes da luta contra Frankie Edgar.

“Foram quase oito meses parado depois da derrota para o Cub Swanson, por causa da lesão que sofri no joelho. Depois da luta contra o Edgar, fiquei com tanta raiva que já voltei a treinar cinco dias depois. Acabou que foi bom, porque assim eu consegui pegar ritmo e manter o gás, e isso é bom”, analisa.

Essa será a terceira luta de Charles do Bronx fora do Brasil. Dessa vez, ele conhece bem o território, já que Jorge Patino “Macaco”, veterano do esporte, é seu treinador, e tem academia em Houston, a poucos minutos do ginásio. Na mesma noite, Junior Cigano enfrenta Cain Velásquez pelo cinturão dos pesos pesados, e a oportunidade integrar esse card só faz com que sua gana de vencer aumente ainda mais.

“É a minha segunda casa, porque é colada na academia do Macaco, onde provavelmente vou finalizar meu camp. Eu quero estar perto das pessoas que me ajudam a treinar. É uma honra integrar o card que tem como luta principal Cigano x Velásquez. Eu admiro os dois demais e torço por uma vitória do Cigano e para que ele traga o cinturão para o Brasil. Isso tudo só me dá ainda mais gás para treinar mais e sair com a vitória”, finaliza Charles.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.