Fabbio Passos comenta virada e o que aprendeu com Cobrinha no Jiu-Jitsu

Share it

Fabbio Passos ajusta o estrangulamento em Milton, na final dos plumas. Foto: Ivan Trindade/ GRACIEMAG

Como se fosse mais um dia de treino, Fabbio Passos venceu o American Nationals de Jiu-Jitsu, em Carson, Califórnia, no último sábado. Para manter o título do ano passado, o faixa-preta da Alliance precisou vencer Milton Nascimento (Paragon) por 4 a 2 na final dos plumas.

Fabbio vê as competições apenas como o melhor método de evoluir, e quando não sai com o ouro, ele simplesmente volta para a academia para rever o que errou, sem sentimentos negativos.

O faixa-preta falou sobre esta mentalidade ao lutar e outros assuntos, na entrevista a seguir.

Você treina com o Rubens Charles “Cobrinha”, na Alliance em Los Angeles. O que tem aprendido com o tetracampeão mundial de Jiu-Jitsu?

FABBIO PASSOS: Cobrinha é um modelo para o Jiu-Jitsu. Nunca vi ninguém como ele, tanto como atleta, professor e pessoa. Tecnicamente aprendi com o Cobrinha a fazer bem o leg-laço, a guarda De La Riva e a guarda-aranha. O Jiu-Jitsu dele é extraterreno. E a parte psicológica e o estilo de vida também vêm no pacote. Ele reforça a importância de ser positivo sempre, e não mandar pensamentos ruins para abarrotar o cérebro. O macete é a dedicação e comprometimento com tudo o que você faz na vida.

Como foi este bicampeonato no American Nationals 2013, e a final com o Milton Nascimento (Paragon)?

Costumo lutar entre os galos e fiquei bem leve entre os plumas, mas não senti diferença. Estava bem preparado. Milton é muito inteligente. No começo, tentei uma queda para começar na frente, mas não deram os pontos. Ele então foi rápido e me raspou, passando a administrar o placar. Precisei botar a cabeça no lugar para voltar ao ataque. Foi assim que cheguei às costas, mas ele defendeu. Entrei no estrangulamento rodado e caí nos cem-quilos, colocando o joelho na barriga. Com o estrangulamento encaixado, Milton foi para fora e o juiz deu os dois pontos, 4 a 2 para mim.

Como você lida com a derrota, quando a medalha de ouro não vem?

Ganhando ou perdendo, no dia seguinte estou na academia ajustando os erros e treinando. Minha dica é manter a mente aberta para aprender sempre. A vitória é consequência de um trabalho, e com paciência os resultados virão. A competição é apenas mais um dia de Jiu-Jitsu, onde eu procuro botar o que treinei em prática. Não desista, trabalhe duro e com dedicação, e os frutos virão.

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *