Sertanejo ganha faixa-marrom de Jiu-Jitsu e comenta lições para o UFC

Share it

Felipe Sertanejo em luta contra Antonio Pato. Foto: UFC/ Divulgação

Especialista em muay thai na Chute Boxe, Felipe “Sertanejo” Arantes andou treinando bastante seu Jiu-Jitsu, com Charles do Bronx inclusive. A dedicação valeu a pena, e durante a vitória em cima de Godofredo Pepey, graças a potentes cotoveladas no chão, Felipe mostrou desenvoltura ao escapar de uma montada do faixa-preta cearense. O movimento lhe rendeu a faixa-marrom de Jiu-Jitsu, concedida há duas semanas por seu professor Barbosa.

O lutador de 25 anos agora vai usar a nova faixa como motivação extra para seu próximo desafio, contra Kevin Souza, no UFC Fight Night 28, em Belo Horizonte, no dia 4 de setembro:

“Tenho minha base no muay thai, foi com a trocação que consegui a maior parte das minhas vitórias e fiquei conhecido. Mas, como praticante de MMA, sonho dominar todas as artes, e me aproximar da faixa-preta de Jiu-Jitsu é uma honra e uma expectativa grande. Foi um dos momentos especiais da minha carreira receber a marrom do Barbosa. Contra o Pepey coloquei meus treinos em prática e contra o Kevin, se precisar, vou usar o Jiu-Jitsu de novo”, afirmou Sertanejo, por meio de sua assessoria de imprensa.

A luta de Felipe no UFC seria contra Sam Sicilia. No entanto, o americano saiu do card e deu lugar a Edmilson “Kevin” Souza, adversário que Sertanejo conhece bem:

“O Kevin tem um jogo chato, é comprido, então o que estou mudando é o treino voltado para envergadura. Sei também que é uma luta perigosa, e apesar de não ter o costume de ver luta de adversário, vi uma dele ao vivo e percebi que ele é duro. As outras não vi, não sei nem quero saber. O que vier é lucro, sou funcionário do UFC e aceito qualquer luta”, analisa.

Antes do UFC em Fortaleza, Felipe Sertanejo amargou um período de quase um ano sem entrar no octógono, por conta de lesões, cirurgias e recuperações. Agora ele comemora o ritmo intenso de treinos e combate ao ser escalado para lutar novamente num período de três meses:

“Sempre quis lutar rápido. Falei com pessoal do UFC logo depois de Fortaleza que aceitaria na hora qualquer confronto, já que não me machuquei. Logo que você termina uma luta, a primeira atitude a fazer é se cuidar. Mas como não me contundi, voltei aos treinos e pedi uma nova chance. Não gosto de tirar férias, gosto de treinar, se não fico sem fazer nada da vida”, ri o paulista.

UFC Fight Night: Glover vs Bader
Ginásio Mineirinho, Belo Horizonte, MG
4 de setembro de 2013

Glover Teixeira x Ryan Bader
Ronaldo Jacaré x Yushin Okami
Jussier Formiga x Joseph Benavidez
Francisco Massaranduba x Piotr Hallmann
Rafael Sapo Natal x Tor Troéng
Marcos Vinícius Vina x Ali Bagautinov

Card preliminar

Hugo Wolverine x Johnny Bedford
Felipe Sertanejo x Kevin Souza
João Zeferino x Kenny Robertson
Lucas Mineiro x Ramiro Hernandez
Marcelo Magrão Guimarães x Keith Wisniewski
Yuri Villefort x Sean Spencer

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *