João Gabriel e a final com Lo: “Ele me surpreendeu ao lutar mais na defesa”

Share it

João Gabriel na guarda de Leandro Lo. Foto: Gustavo Aragão/ GRACIEMAG

No último domingo, Leandro Lo e João Gabriel Rocha escreveram mais um capítulo marcante do Rio Open de Jiu-Jitsu, evento da IBJJF realizado no ginásio do Tijuca Tênis Clube.

João Gabriel, campeão superpesado, acabou derrotado por Lo, campeão peso médio, por apenas uma vantagem, numa final de absoluto emocionante e instrutiva.

Por cima, o representante da Soul Fighters colocou bastante pressão, mas não foi capaz de obrigar Leandro a virar de quatro apoios. O aluno de Cícero Costha tentou raspar e ganhou a vantagem decisiva. GRACIEMAG conversou com João, que analisou os erros e acertos na competição.

GRACIEMAG: O que você aprendeu com a derrota na final do aberto?

JOÃO GABRIEL ROCHA: Eu sabia que a luta seria decidida no detalhe e foi o que ocorreu. Mas ele me surpreendeu de verdade, porque eu nunca vi o Leandro Lo lutando na defensiva – ele sempre ataca que nem um doido [risos]. Dessa vez, o Lo ficou mais na defesa e isso anulou meu jogo. Acho que faltou um plano B, porque achei que ele ia me atacar o tempo todo e não foi o que vi. Enfim, ele está de parabéns, fez a estratégia certa e foi o campeão. Aprendi que temos de estar preparados para tudo. Temos de esperar qualquer jogo por parte do adversário. Ter planos para qualquer circunstância da luta é realmente essencial.

Como você analisa o Leandro Lo como lutador de Jiu-Jitsu?

Para mim ele é o número um dos pesos leves, o moleque é fantástico mesmo. Adoro vê-lo lutando porque é sempre sinônimo de show e boas lutas. Numa próxima luta contra ele, não deve sair disso que a gente lutou. Mas vou tentar estar com mais gás ainda, para cair dentro da guarda dele e me dar melhor.

Na final do superpesado você encarou Grimaldo Filho, da GFTeam, e finalizou com um estrangulamento. O que aprendeu?

Eu não conhecia o adversário, e isso me dificultou um pouco. O Grimaldo tem uma guarda bem elástica, mas consegui impor meu ritmo até o final. Acabei estrangulando bem, acho que bastante repetição é o segredo para as finalizações saírem certas. Para utilizar esse meu golpe, tento sempre pegar as costas acompanhado o quadril. E meus ombros devem sempre estar paralelos com o do meu adversário.

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article
  1. DiPipe Luciano Júnior at 3:41 pm

    Defensiva, o Lo tentou raspar várias vezes.
    Espetava a aranha com uma, colocava ganchinho com outra e tentava ir por baixo das pernas do João.
    Ele só não variou muito o jogo, mas tentou inúmeras vezes raspar.

  2. Mario Neto at 5:38 pm

    Também não achei que jogou na defensiva não. Ajustou um pouco o jogo, mas acho que atacou bastante nas tentativas de raspagens. Enfim, lutão!!!!

  3. Macarius Gallius at 9:06 pm

    se ele realmente só jogou na defesa-o que não é verdade-, essa dita defesa se mostrou um escudo de aço, uma vez que o passador tentou vaza-lo diversas vezes, chegou uma hora que ele olhou pro córner e riu….. tal a dificuldade de emborcar o leve da Cícero Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *