Thales Leites comenta seu retorno ao UFC após 4 anos: “Estou mais maduro”

Share it

Thales, que já lutou com o Aranha pela cinta dos médios, retorna ao UFC. Foto: Divulgação/UFC

Após quatro anos afastado da maior organização de MMA do mundo, Thales Leites retorna ao UFC buscando trilhar mais uma vez seu caminho até o topo. Ele, que já desafiou Anderson Silva pelo cinturão dos pesos médios do Ultimate, fará seu embate de retorno no UFC 163, também chamado de UFC Rio 4, no dia 3 de agosto, na HSBC Arena.

Enquanto traçava um sanduba de queijo minas com café na Nova União, Thales bateu um papo com GRACIEMAG sobre seu adversário, Tom Watson, e sobre o seu aguardado retorno ao UFC. Confira os melhores trechos da conversa:

GRACIEMAG.com:  Quase um ano parado por conta de uma lesão no joelho e já vai voltar direto para o UFC. Como fica o psicológico?

Thales Leites: Assim, eu completei dez meses da operação. Eu nem lembro mais que ele está machucado. Já me recuperei 100%. O psicológico de defender o joelho operado já passou. Cada dia que passa ganho mais confiança de colocar ele na reta. Já está novo em folha.

E qual a diferença do Thales que lutou em 2009 para o Thales que retorna ao UFC?

Estou mais maduro. A cabeça é outra. Aprendi a cadenciar melhor nas lutas, não cadenciar mais, e sim melhor. Estou muito focado e forte, tanto físico quanto psicologicamente. Acumulei 24 lutas na carreira, estou preparado para qualquer situação em luta. E também, não estou vislumbrado. Estou com os pés no chão. A energia será muito boa, de lutar no Rio, com família e amigos presentes. Estou feliz.

E sobre o seu oponente, o Tom Watson, já conhecia o jogo dele?

Já vi algumas lutas dele. Ele lutava no MFC, no Canadá, e eu provavelmente enfrentaria ele lá. É um striker, é bom em pé, e tem suas finalizações. Mas não é algo que me impeça de lutar em pé. Se for em pé, eu vou em pé, e se for para o chão, melhor ainda. Vou dançar conforme a música. Mas eu represento a arte suave, e sempre vou buscar a finalização.

Como você vê sua projeção nos médios, uma categoria bem complicada do Ultimate?

Minha mente está focada no Tom Watson, ainda não pensei muito na categoria como um geral, mas o que eu posso dizer é que a divisão de médios está muito mais difícil do que quando eu entrei no UFC,  em 2006. Agora nós temos muitos cascas-grossas, ainda mais com a chegada do pessoal do Strikeforce. Então eu quero buscar meu espaço devagar.

Existe uma pressão diferente em sua volta, por você já ter desafiado o cinturão dos médios enfrentando o Anderson Silva?

Se tem, eu não sei. Eu não me pressiono quanto a isso.  Eu estou voltando agora, mas já tenho uma experiência no UFC, fiz oito lutas entre 2006 e 2009. Vou estar bem quanto a isso.

Como você acha que vai ser o andamento do seu embate e como você projeta o retorno do Thales Leites ao UFC?

Ele vai buscar a luta em pé, eu vou tentar aplicar o meu jogo. Ninguém vai recuar, então eu acho que vai terminar antes dos três assaltos. Meu retorno vai ser assim, passo a passo, com calma.

 

UFC 163 – Aldo vs Jung
HSBC Arena, Rio de Janeiro
3 de agosto de 2013

Jose Aldo x Chan Sung Jung
Lyoto Machida x Phil Davis
Demian Maia x Josh Koscheck
Cezar “Mutante” Ferreira x Clint Hester
John Lineker x Phil Harris

Card preliminar

Vinny Magalhaes vs Anthony Perosh
Amanda Nunes x Sheila Gaff
Sergio Moraes x Neil Magny
Thales Leites x Tom Watson
Rani Yahya vs Josh Clopton
Iliarde Santos x Ian McCall
Viscardi Andrade x Bristol Marunde
Robert Drysdale x Ednaldo Lula

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *