Quer começar a treinar Jiu-Jitsu mas teme se machucar? Perca o medo aqui

Share it
Lutadoras de Jiu Jitsu durante uma edicao do Las Vegas Open Foto John Cooper

Lutadoras apaixonadas pelo Jiu-Jitsu durante uma edição do Las Vegas Open, da IBJJF. Foto: John Cooper

Muita gente ouviu falar dos benefícios do Jiu-Jitsu, conhece os golpes de cor pela TV, entende que a arte é uma ótima maneira de emagrecer e fazer amigos, mas ainda tem um pouco de insegurança, aquele medo de se machucar que muita gente sente quando ouve a palavra “luta”.

Hoje, o GRACIEMAG traz um depoimento interessante de uma mulher de 40 anos, uma praticante que perdeu este medo.

Fala, Tania Cristina Assumpção:

Perdi a visão do olho esquerdo aos 17 anos num acidente de carro, fato que me impossibilitou durante anos de praticar alguns esportes. Hoje encontrei no Jiu-Jitsu uma forma de superar as minhas dificuldades e medos”, disse ela, que é massoterapeuta, em artigo publicado no site da Gracie Barra.

“Pratico Jiu-Jitsu há cinco meses, e foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. Meus professores são maravilhosos. O Jiu-Jitsu me ajudou a tomar coragem até para dirigir meu automóvel sozinha, o que para mim sempre foi um dos meus grandes medos. Tudo em mim melhorou, o humor, a saúde física e a autoestima, ensinou Tania, que treina com os professores Hugo Britto e Claudio Quesado, na escola Gracie Barra em Natal, Rio Grande do Norte.

E você, precisou vencer alguma insegurança ou limite antes de se apaixonar de vez pelo Jiu-Jitsu, como a Tania Cristina?

Comente conosco, e ajude um amigo indeciso a experimentar a arte que mais transforma vidas no Brasil.

Ler matéria completa Read more
There are 25 comments for this article
  1. Lima Neto at 1:18 pm

    Bom dia! Sou autônomo e dependo das minhas mãos para trabalhar. Com 2 meses de treino sofri um rompimento de tendão em um dos dedos e ainda não tive coragem de voltar. Dependo das minhas mãos e não posso parar de trabalhar. Eu tinha pedido para o professor para não participar das lutas, já pensando em me machucar… pq luta de faixa branca já viram como é né… uma agonia só.. E foi em uma dessas que me machuquei.
    Um dia voltarei… é bom d+

  2. Davidson F Antonio at 1:19 pm

    Sou instrutor a mais de 2 anos e vejo esta magica acontecer sempre , tenho exemplos de varios alunos que chegam timidos, com medo, são estes que acabam se beneficiando com esta segurança que o Jiu-Jitsu proporciona , sou fruto também desta cultura , acredito fielmente no poder do Jiu-Jitsu na recuperação e fortalecimento da sociedade , ajudando o cidadão a ter força e coragem , formando pessoas dignas e de respeito . Osss

  3. Ricardo Feijó at 3:16 pm

    Ainda no início da faixa azul eu tive uma fratura na cervical devido a um acidente de carro no qual era carona. Tive que ficar no total quase 3 anos parado devido ao tratamento e cirurgias e mesmo assim os médicos me disseram que não poderia voltar a treinar Jiu Jitsu. Foi muito difícil ouvir isso, mas na luta aprendemos a não nos entregar, evoluir e superar os mais difíceis obstáculos. Junto a um grupo de amigos voltei a treinar aos poucos, no ano passado ganhei a faixa Marron do meu mestre Vitor Reis.
    Não posso mais lutar campeonatos ou dar rolas fortes com desconhecidos, mas consigo treinar a técnica de uma maneira que dificilmente conseguiria em outra arte marcial e sou instrutor de uma turma pequena, onde posso passar a técnica a diante.
    Jiu Jitsu hoje faz parte de mim, do meu grupo de amigos, do meu estilo de vida e enquanto eu conseguir me levantar continuarei lutando! Oss

  4. Marcos George at 5:57 pm

    Iniciei há 1 ano, nao largo por nada. Ja tive entorse grave do joelho, voltei com dois meses, e estou firme e forte. Queria ter descoberto antes. O Sensei e os professores são fantásticos. Recomendo pra todo mundo. Aníbal Jiu Jitsu! Oss.

  5. Marco Nascimento at 2:13 am

    Grave acidente no joelho direito

    Edema medular ósseo de aspecto pós-contusional ao longo do côndilo femural medial e de sua diáfise, bem como intercôndilo tibial. Não há sinais de fraturas francas ao método.
    Rotura completa, transfixante dos ligamentos cruzados anterior e colaterais lateral.
    Rotura completa do ligamento cruzado posterior.
    Rotura horizontal/longitudinal no corpo posterior do menisco medial, Extensão para superfícies articulares e zona cinza. Não há fragmentos deslocados.
    Rotura completa do nervo fibular.
    Liquido de caráter inespecífico, de permeio aos planos musculares profundos e do subcutâneo.
    Derrame articular sem sinovite.

    Rotura completa do nervo fibular.aaz que queria me ensinar Jiu-Jitsu… Por muitos anos tive muita raiva dessa arte. E quando afeiçoei-me comecei a sofrer varias lesões nos treinos. Repetidas luxações no joelho em questão, 2 costelas quebradas e dois dedos quebrados… Mesmo não podendo mais lutar… Ainda sinto as mãos frias ao estar em um campeonato assistindo as lutas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *