O absoluto marrom e a vitória de Paulo Miyao em fotos

Share it

Mundial 2013: o dia em que Paulo Miyao derrotou Keenan Cornelius Foto: Erin Herle

A final do absoluto na faixa marrom mexeu com a plateia na Pirâmide Walter em Long Beach, Califórna, na noite deste sábado.

O peso-pluma (às vezes pena) Paulo Miyao havia lutado cinco vezes contra o meio-pesado Keenan Cornelius em sua carreira, tendo perdido quatro e empatado uma. Mas este sábado foi diferente. Ambos os gêmeos Miyao vêm lutando com Keenan desde a faixa roxa. Entre Pans, Europeus, Mundiais, ADCCs e Brasileiros, dois destes três atletas sempre acabam se encontrando na final.

No Mundial de 2012, foi Keenan que terminou ajoelhado e às lágrimas depois de alcançar o impressionante feito do duplo grand slam, tendo vencido tanto peso como absoluto no Europeu, Pan, Brasileiro e Mundial. Hoje foi a vez de Paulo.

A peleja foi muito diferente do encontro deles em Abu Dhabi em abril. Naquela vez, eles ficaram na guarda dupla durante os seis primeiros minutos, e o árbitro decidiu que os lutadores não estavam se movimentando bastante. Apesar de avisos e penalidades, os atletas permaneceram sentados e indispostos a passar guarda, o que levou à primeira dupla desclassificação numa final de ADCC.

Mas, em Long Beach, Keenan e Paulo foram advertidos desde cedo pelo mesmo motivo, e, depois de cada um ser punido, e de Keenan levar ainda uma segunda penalidade, o americano se levantou para passar. Logo, Paulo estava atacando os pés do adversário e ganhando uma vantagem, e garantindo mais dois pontos com uma raspagem. Keenan raspou de volta, mas permaneceu atrás nas vantagens. Houve ainda mais uma raspagem de cada lado, mas no fim os ataques ao pé deram a Paulo a vitória. Keenan precisava de uma passagem nos últimos momentos, mas Paulo redobrou os esforços e evitou a virada.

O placar terminou:

Keenan: 4 pontos, 2 penalidades, 1 vantagem
Paulo: 4 pontos, 1 penalidade, 3 vantagens

Confira as fotos do combate:

[flickr set=72157633867172629]

Ler matéria completa Read more
There are 3 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *