Brasileiro: Lovato não perde a viagem e faz nova final de absoluto, com Evangelista

Share it
Rafael Lovato ataca. Foto: Arquivos GRACIEMAG

Rafael Lovato está em mais uma final de aberto no Brasil. Foto: Arquivos GRACIEMAG

Neste sábado, 27 de abril, os torcedores em Barueri, São Paulo, apinharam o ginásio poliesportivo José Correa para conhecer alguns dos melhores faixas-pretas do Brasil. No fim da tarde, no entanto, um deles era um americano, a fera Rafael Lovato Jr (Ribeiro JJ).

Com oitos tatames recheados de craques, o penúltimo dia da 20ª edição do Brasileiro de Jiu-Jitsu definiu os quatro finalistas do absoluto faixa-preta adulto. No masculino, a final de domingo será entre Ricardo Evangelista (GFTeam) e Lovato; no feminino, entre Michelle Nicolini (CheckMat) e Luanna Alzuguir (Alliance).

Ricardo Evangelista estava em grande dia, e na semifinal eliminou o atual campeão do aberto, Nivaldo Oliveira (CheckMat) nas vantagens. Do outro lado, a fera de Oklahoma Rafael Lovato passou a guarda de Alexandro Ceconi (Ceconi Team) e ajustou a kimura para vencer e garantir uma vaga na final.

O feito é marcante, mas não inédito: o próprio Lovato já fez uma final de absoluto no Brasileiro, no Rio, em 2010, quando encarou o eventual campeão Bernardo Faria (Alliance). Nem Lovato nem Evangelista foram campeões absolutos no Brasileiro até hoje.

O Brasileiro segue uma tradição encruada: raramente um faixa-preta consegue ganhar o absoluto duas vezes. Desde 1994, o único a repetir o ouro absoluto foi Fernando Tererê.

No feminino, em lutas realizadas pouco antes dos rapazes, a bela Michelle Nicolini (CheckMat) finalizou Luiza Monteiro (Cícero Costha) no armlock para chegar até a final. Do outro lado da chave, Luanna Alzuguir (Alliance) raspou a pedreira Fernanda Mazzelli (Striker) e também briga pelo ouro.

Para você, quem vence amanhã? Fique ligado, domingo também tem os marrons e muito mais.

Confira os resultados completos no site da CBJJ.

Campeões absolutos do Brasileiro de Jiu-Jitsu, CBJJ

1994 – Amaury Bitetti
1995 – Fabio Gurgel
1996 – Antonio “Nino” Schembri
1997 – Roberto “Gordo” Correa
1998 – Saulo Ribeiro
1999 – Murilo Bustamante
2000 – Marcio “Pé de Pano” Cruz
2001 – Fernando Augusto “Tererê”
2002 – Alexandre “Café” Dantas
2003 – Fernando Augusto “Tererê”
2004 – Alexandre Ribeiro
2005 – André Galvão
2006 – Marcelinho Garcia
2007 – Luiz Felipe “Big Mac”
2008 – Alexandre Souza
2009 – Tarsis Humphreys
2010 – Bernardo Faria
2011 – Leonardo Nogueira
2012 – Nivaldo Oliveira
2013 – ???

Ler matéria completa Read more
There are 7 comments for this article
  1. Alexandre Barauna at 4:02 pm

    Ricardo Evangelista BRASILEIRO guerreiro foco e sabedoria espero ver seu nome junto a este grupo de excelentes lutadores, Vamos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *