Cavaca e a seletiva do ADCC 2013: “Trouxe todos os adversários para meu jogo”

Share it
Rodrigo Cavaca aplica uma gogoplata em Kitner Mendonça na final acima de 99kg. Foto: Gustavo Aragão/GRACIEMAG

Rodrigo Cavaca aplica a gogoplata em Kitner Mendonça na final acima de 99kg. Foto: Gustavo Aragão/GRACIEMAG

Campeão acima de 99kg na seletiva do ADCC, realizada no último fim de semana no Rio, Rodrigo Cavaca quase não se inscreveu para o evento. O astro da CheckMat acabou esbanjando flexibilidade e boa tática para sobrar na categoria, e garantir com louvor o pacote para o evento principal na capital chinesa, em outubro próximo.

Cavaca explicou a GRACIEMAG o lance da gogoplata em Kitner Mendonça, na final, e por que decidiu se inscrever na seletiva. Confira:

GRACIEMAG: Como você vê sua trajetória na seletiva do Maracanãzinho?

RODRIGO CAVACA: Consegui trazer todos os adversários para meu jogo, chamei todos na guarda e fui me embolando nas pernas até conseguir as finalizações. Mais uma vez deu tudo certo para mim, Deus vem me abençoando cada dia com belas atuações desde que voltei a lutar em janeiro, no Europeu. Meus treinos nas últimas semanas estavam 100% dedicados ao kimono, mas me inscrevi na seletiva do ADCC porque meus alunos (Michelle Nicolini, Marina Ribeiro e Raphael Nicholas) estavam indo tentar a vaga e eu iria ao Rio de qualquer jeito, então resolvi me inscrever. Não treinei muito sem pano, mas gosto muito e acho que meu estilo de lutar facilita essa transição, pois gosto muito de atacar pés.

Como você analisa a final com o Kitner Mendonça?

Já conhecia o Kitner, pois ele é de São Paulo assim como eu, e sempre está participando das competições. Sempre acompanho a trajetória da maioria dos atletas, pois preciso conhecer cada um deles para montar as estratégias quando eu e meus alunos enfrentam cada um deles. O Kitner é muito forte, e eu estava tão focado que acabei deixando de prestar atenção em alguns detalhes. Um deles foi que entrei para lutar de camiseta, sendo que nas outras eu tirava para ficar só com a lycra. Outro detalhe foi que esqueci a regra que proíbe puxar para a guarda na final. Começou a luta e chamei para a guarda sem pensar, e não foi estratégia: esqueci mesmo! Depois precisei correr atrás do placar, pois comecei com menos um ponto. Ainda bem que consegui finalizar na gogoplata.

Como você fez para aplicar a gogoplata?

A gogoplata vem da omoplata, uma posição que gosto muito e sempre acabo usando, pois minha flexibilidade ajuda. Coincidência ou não, uma semana antes acabei finalizando a semifinal no WPJJC de Abu Dhabi com a mesma posição e com a mesma perna esquerda, antes de fechar a categoria com o Marcus Buchecha. Muita gente não sabe defender essa posição, pois pouca gente faz esse movimento. Depois do ADCC eu mostro em GRACIEMAG como se defende, pois até lá pretendo usar essa posição mais vezes (risos).

Algum momento ruim no campeonato?

Quando vi meus alunos perderem foi muito ruim. A Marina Ribeiro empatou a luta com uma adversária muito mais pesada e o juiz deu a vitória para a adversária; o Raphael Nicholas fez um lutão com o Edson Diniz na divisão até 77kg, cochilou um segundo e tomou uma queda na prorrogação; e a Michelle Nicolini perdeu a final para a Michelle Tavares, que também é uma grande atleta. Graças a Deus consegui o convite para ela ir ao evento principal na China. Fiquei triste com a derrota do Gabriel Marangoni, que perdeu para o João Miyao, mas tudo bem, o João está em um grande momento.

Além da passagem para Pequim e a medalha de ouro, que lições você leva para casa?

Desde que voltei a lutar depois de dois anos parado aprendi que você não pode pensar em desistir jamais, e isso nunca passou pela minha cabeça nem vai passar tão cedo. Sei que muitos pensaram que o Cavaca estava parado e que se voltasse, não seria mais o mesmo. Mas eu tinha certeza de que não voltaria igual a 2010, quando vivi minha melhor fase da carreira, e sim que voltaria para ser melhor ainda! E de degrau em degrau estou chegando.

No evento principal em Pequim você vai no peso até 99kg por causa do Buchecha, certo?

Exato. O Buchecha foi convidado e está amarradão para lutar e vencer mais esta. E ele vai acima de 99kg, o garoto está com 107kg e eu lutei essa seletiva com 98kg. Como lá no ADCC o xeque Tahnoon não permite que fechemos a categoria, vai ser melhor assim. Eles exigem que todos lutem de verdade, e se o Buchecha e eu estivermos na mesma categoria eles fatalmente colocam a gente logo na primeira luta.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *