Sorte do Time Nogueira muda e grupo emplaca duas vitórias

Share it

Time Nogueira vence duas lutas e iguala o número de classificados para as quartas de final do TUF Brasil 2 Foto: UFC/Divulgação

Até a noite deste domingo, 14 de abril, o Time Nogueira levava uma lavada do grupo adversário. Nos quatro primeiro capítulos, Minotauro viu sua equipe amargar três derrotas e todos sofreram com a lesão no joelho de Neilson Gomes, que foi obrigado a deixar o programa. Mas neste episódio as coisas mudaram. Depois da vitória de Viscardi Andrade, Fabricio Werdum teve o direito de escolha da luta, e casou o duelo entre Willian “Patolino” e seu atleta Thiago “Marreta”.

O integrante do Time Werdum começou bem o combate, mas Patolino encurtou a distância e aplicou quedas, que foram lhe garantindo pontos. Marreta não conseguiu usar a maior envergadura a seu favor, e já no chão, seu adversário aproveitou para trabalhar o ground and pound. Por vitória unânime dos jurados, o Time Nogueira conquistou a primeira vitória e uma vaga nas quartas de final.

Com este resultado, a adrenalina dos participantes do”TUF Brasil 2″ foi a mil. Para descarregar, eles apelaram para a velha e boa brincadeira. Liderados por Fabricio e Felipe Werdum, o time amarelo armou uma pegadinha para os adversários. No vestiário verde, eles colocaram pedras, pregos, velas e frutas, simulando uma mandinga. Sobrou até para o treinador Eric Albarracin, que teve uma de suas bandanas jogada na “feitiçaria”. Quando os atletas do Time Nogueira chegaram, a guerra se instalou. Voou frutas, água e até mobília para todos os lados. Na maior descontração, eles ficaram se atacando até que o treinador Luiz Dórea chamou a atenção, avisando que eles poderiam se machucar. A troca de “gentilezas” cessou, e eles deixaram a maior bagunça para trás.

A segunda luta do quinto capítulo do “TUF Brasil 2” também foi escolhida por Minotauro. Do seu lado, o fera de Jiu-Jitsu Leo Santos foi designado a encarar Juliano “Ninja”. Como era de se esperar, Leonardo levou a luta para o solo logo no início, e trabalhou algumas posições buscando a finalização. Ninja aceitou o jogo de grappling, enquanto seus corners gritavam que aquela não era uma competição de submission, e que ele deveria levantar a luta, para trocar e mostrar mais ação. Juliano optou por continuar na mesma estratégia, e seu adversário, com o Jiu-Jitsu mais apurado, ficou com a vitória por decisão unânime dos jurados.

Com mais este resultado positivo, o Time Nogueira igualou o número de classificados para as quartas de final, já que Yan Cabral, o primeiro vencedor da equipe Werdum, quebrou a mão e teve que deixar a competição.

A felicidade de Minotauro e todos os atletas do seu grupo era tanta, que eles cantavam e dançavam afirmando que a virada tinha começado. No próximo episódio, além de um novo combate os lutadores terão um desafio proposto pela produção do programa. Fique ligado.

Confira as fotos do quinto capítulo do “TUF Brasil 2”:

[flickr set=72157633254391016]

 

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article
  1. Alex Martinho at 6:26 pm

    Definitivamente estão transformando o TUF Brasil em um patético 'Big Brother' com essas palhaçadas todas forçadas que ocorrem em todo episódio. O mais importante mesmo de mostrar (que seria a preparação psicológica e o treinamento para as lutas) não estão mostrando em nada, é só falta de respeito de uns com os outros, inclusive os treinadores. As lutas de ontem ainda por cima foram de nível técnico baixíssimo. Qualquer pessoa que pratique artes marciais percebe que esse programa não mostra em quase nada os verdadeiros valores dessas artes, principalmente disciplina, concentração e respeito. Pelo contrário, está sendo um péssimo exemplo e 'queimando o filme' do MMA junto da população leiga. O nível do TUF americano é infinitamente melhor, espero que os caras lá de fora dêem uma dura na produção daqui.

  2. Vladimir Mendes at 1:10 am

    Nem se compara com o TUF 17 Finale que acabou na semana passada. Infelizmente os atletas do TUF Brasil dão um péssimo exemplo, não mostram a filosofia das artes marciais, perdem a grande oportunidade de demonstrarem como as artes marciais transforma as pessoas e tornam-se cidadãos melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *