O dia em que a gota de cola encerrou um combate de MMA no Brasil

Share it
Carlos Alberto Lobo com o olho direito colado. Foto: Ana Hissa/SporTV.com

Carlos Alberto Lobo com o olho direito colado. Foto: Ana Hissa/SporTV.com

Um pequeno acidente de percurso marcou a segunda luta do WOCS 25, realizado no dia 12 de abril, no ginásio da AABB, no Rio. O embate entre Carlos Alberto Lobo e Marcos Nenê foi interrompido entre o segundo e  o terceiro assalto por conta de um acidente com o adesivo colado no cage do evento. Com isso, a luta foi declarada como no constest mas, logo em seguida, representantes da comissão atlética definiram vitória de Lobo. Confuso? GracieMag explica.

A batalha seguia normalmente nos primeiros dois assaltos, com vantagem clara de Carlos Lobo sobre Nenê. Lobo, com uma postura em pé um pouco diferente, boas quedas e domínio no solo, conduzia o embate para uma vitória por pontos. No intervalo, os organizadores notaram que  uma das publicidades coladas na parte superior do cage estava se soltando. No intuito de reparar o adesivo, um membro do staff aplicou uma supercola no plástico publicitário mas, infelizmente, uma gota da supercola caiu no olho de Carlos Lobo, que estava sentado logo abaixo do adesivo recebendo instruções do córner.

Assim que a supercola caiu em seu olho, o atleta, imaginando que fosse vaselina, passou a mão para retirar o excesso, e com isso colou as pálpebras, impossibilitando o atleta de abrir seu olho direito. Os médicos adentraram o cage, e tentaram de tudo para reparar o acidente, chegando até a tentar cortar parte dos cílios de Lobo. Sem sucesso, a luta foi interrompida, e aí veio a polêmica.

Com o fim da luta, o resultado foi anunciado como no contest, por interrupção médica. Mas, logo após, o córner de Lobo contestou dizendo que a maior parte da luta havia sido de superioridade de Lobo. Para dar fim as divergências de opinião, Osíris Maia, coordenador de arbitragem da Confederação brasileira de MMA, pediu a palavra e, alegando que dois assaltos já tinham sido apresentados aos jurados, pediu que a vitória do embate fosse decidido nas papeletas, sacramentando que Lobo seria o vencedor da luta.

Entre polêmicas, acidentes e controvérsias, a vitória de Carlos Alberto Lobo no WOCS 25 teve um protagonista inusitado. E, sobre o atleta vencedor, a cola foi removida de seu olho horas depois e o mesmo passa bem.

Confira os resultados do evento:

WOCS 25
Ginásio da AABB, Lagoa, Rio de Janeiro
12 de abril de 2013

Francimar Bodão finalizou Simão Melo no mata-leão no R2
Aloísio Dado venceu Julio Cesar Merenda na decisão dividida dos jurados
Wendell Negão venceu Alex Cowboy na decisão unânime dos jurados
Lucas Bob Esponja venceu Jadison Tita na decisão unânime dos jurados
Bruno Camargo finalizou Eliandro PQD no mata-leão no R2
Armando Sapinho finalizou Roldofo de Souza no armlock no R1
Luiz Gugu venceu Sergio Souza na decisão unânime dos jurados
Carlos Alberto Lobo venceu Marcos Nenê por interrupção médica
Onofre Lima venceu Vitor Oristanio por nocaute técnico no R1

 

Ler matéria completa Read more
There are 6 comments for this article
  1. Rodolfo De Carli at 5:39 pm

    Primeiro arriscaram acabar com a carreira de um atleta, depois deram a derrota para um outro atleta que podia estar utilizando uma estratégia de fazer uma luta morna nos dois primeiros rounds para nocautear ou finalizar no terceiro. Ridículo para ambos os lados.

Deixe uma resposta para Marcos Kuerten Baracuhy Cancel comment reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *