Léo Nogueira explica como venceu o Pan de Jiu-Jitsu, Gabriel Vella e o cansaço

Share it

Léo Nogueira trabalha para passar a guarda de Gabriel Vella, no Pan 2013. Foto: Ivan Trindade/ GracieMag

No fim de março, o superpesado Leonardo Nogueira precisou usar a experiência para vencer o Pan da IBJJF, em Irvine, na Califórnia. O atleta da Alliance vinha de doença após competir na Seletiva de Gramado, no Sul do Brasil, treinou pouco, lutou cansado mas venceu. Apesar disso, caiu no absoluto, com atuações abaixo de seu potencial.

O aluno de Fabio Gurgel avaliou a final com Gabriel Vella, avaliou os bons e maus resultados e revelou o que aprendeu. De quebra, disse qual foi a melhor luta do Pan, em sua opinião. Confira.

GracieMag: Que análise você faz de sua campanha no Pan 2013, com altos e baixos?

LEONARDO NOGUEIRA: De fato não fiz boa campanha. Lutei o suficiente para ser campeão, mas não treinei o quanto deveria, pois estava me recuperando daquele mal estar estomacal em Gramado. Fiz o suficiente para garantir o título do peso. Acho que usei toda minha experiência para vencer, lutei na estratégia e procurei não errar. No absoluto, faltou treino mesmo. Fui lutar com aquele peso na consciência, lembrando que não tinha me empenhado nos treinos o suficiente. É aquilo que sabemos: milagres não acontecem no Jiu-Jitsu. Você tem de estar muito treinando para ganhar um absoluto daquele nível. Acho que pequei na parte física e cansei.


E para o Mundial? Como você pretende treinar?

Tenho de treinar quatro vezes mais para chegar na ponta dos cascos ao Mundial na Califa, no fim de maio. Ainda sonho em fazer novamente uma final de absoluto!

Como foi sua final da categoria com o Gabriel Vella, lutador experiente que retornava?

Complicada. Eu fiz guarda, e ele é um dos melhores passadores do Jiu-Jitsu. Já sabia que se eu errasse ou ficasse muito tempo por baixo eu iria perder. Então procurei raspar o mais rápido possível. Por cima, procurei não dar espaço nenhum para o Gabriel trabalhar a meia-guarda. Venci assim.


O que foi mais complicado na final?

Quando tentei a primeira raspagem e me frustrei. Pensei, vai ser complicado raspar… Mas fui paciente e depois de várias tentativas consegui. E aí, quando passei a guarda, respirei, pois sabia que ele virar a luta dali seria difícil.

Você chegou a ter o Clark Gracie atacando suas costas, no aberto. Em que momento o cansaço bateu forte?

Acho que o pior momento não foi esse, mas na categoria. Eu tentava passar a guarda e não conseguia. Cansado, eu sabia que não podia parar senão iria tomar uma punição do juiz. Não parei, fui para cima e deu tudo certo.

Qual foi a melhor luta do Pan 2013?

Cara, uma luta me chamou bastante atenção. Foi a semifinal do absoluto, entre (o campeão) Marcus Buchecha e meu amigo Bernardo Faria. Foi a melhor luta da competição.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *