Pan 2013: rei Marcus Buchecha lidera pelotão de elite, com Galvão, Caio, Clark, Rafa & cia

Share it

Marcus Buchecha vence peso e abosluto no Pan 2013. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

O domingo, dia 24 de março, entrou para a história dos Pans de Jiu-Jitsu graças a batalhas finais épicas.

O Pan 2013 no pacote completo foi muito mais emocionante que uma luta apenas. Mas houve destaques. Como a vitória de Marcus Buchecha contra André Galvão no absoluto. E o empate extasiante de Rafa Mendes e Rubens Cobrinha. Ou a virada de Clark Gracie na final dos médios, em cima de um impressionante Marcelo Lapela, que acabou apagado num estrangulamento a 9min34s de luta.

A faixa-preta foi tão eletrizante que ofuscou os excelentes faixas-marrons em Irvine, como o absoluto Keenan Cornelius e o vice-absoluto Paulo Miyao, campeão no peso-pena. Cornelius venceu Miyao por apenas uma vantagem no encerramento do domingão.

Confira, a seguir, os melhores momentos do evento da IBJJF que fecharam o domingo da elite. Afinal, se no sábado e na manhã dominical a coisa tinha ficado quente, nas finais o caldo derramou.

Absoluto: Buchecha esbanja criatividade contra Galvão

Na final do absoluto, Buchecha começou a vencer André Galvão com uma contraqueda. Mas o melhor estava por vir, pois o aluno de Rodrigo Cavaca tentou uma chave de ombro que deixou Galvão todo torto. Depois, Marcus não se abalou com uma queda linda de Galvão, que abraçou com uma cinturada e um ganchinho antológico. Mal caiu, Buchecha foi para a omoplata e fez o oponente alçar voo. No fim, 4 a 2 e uma aula de Jiu-Jitsu que, sentimos muito, a descrição não faz jus aos dois atletas. Lutaço.

Pesadíssimo: Buchecha goleia dinamarquês por 7 a 0

O primeiro campeão foi a fera Marcus Bochecha (CheckMat). O paulista encarou Alexander Trans na final, e passou a excelente meia-guarda do dinamarquês. Depois, montou e trabalhou o estrangulamento, mas Trans defendeu bem. No fim, vitória por 7 a 0.

Meio-pesado: André Galvão fecha com Guto Campos

No meio-pesado, a final foi fechada por André Galvão e Guto Campos, ambos representante da equipe Atos. O caminho de ambos no entanto foi uma pedreira. Galvão finalizou Renato Cardoso (CheckMat) e Tarsis Humphreys (Alliance) como se isso fosse fácil. Já o gaúcho da Guetho fez algo talvez tão complicado: foi capaz de passar a guarda de Rominho Barral duas vezes, para vencer a semifinal.

Peso-galo: Caio Terra confunde Bruno Malfacine

A disputa do peso-galo foi menos uma guerra e mais um jogo de xadrez. Caio Terra tinha uma tática bem definida: confundir o pentacampeão mundial e surpreender. Para tal, puxou para a guarda, agarrou o pé direito de Bruno Malfacine e não largou mais, deixando o atleta da Alliance sempre desconfortável, sem alicerce para firmar base e botar pressão. Com as pernas emboladíssimas, Caio Terra subiu e ganhou os dois pontos. Não houve tempo para Bruno decifrar como escapar da teia.

Pluma: Gui Mendes confirma favoritismo contra Laércio

No peso-pluma, as guardas elásticas de Guilherme Mendes (Atos) e Laércio Fernandes (Lotus Club/Alliance) entraram em rota de colisão. Depois de as feras ficarem agarradas na guarda 50/50, Gui conseguiu tombar Laércio e abrir 2 a 0, restando três minutos. O popular Lalá não se abateu e conseguiu raspar de volta. Apesar de estar na frente nas vantagens, Gui tratou de garantir a vitória nos pontos. Quase no finzinho, o mais velho dos Mendes usou a elasticidade e raspou para vencer por 4 a 2. E correu para ver de camarote o irmão lutar com Cobrinha.

Rubens Cobrinha e Rafael Mendes na guarda 50/50. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Pena: Rafa Mendes vence na decisão unânime em luta de tirar o fôlego

Pelo peso-pena, a final foi a mesma de sempre, com os altamente técnicos Rubens Cobrinha (Alliance) e Rafael Mendes (Atos). Rafa começou chamando Cobrinha para a guarda, e trabalhado dali conseguiu dominar e tirar a base da fera da Alliance para raspar sem perder tempo. O experiente Cobrinha não deixou se abater e surpreendeu: depois de se livrar do embolo e dos perigos tentados por Mendes, puxou para a guarda-aranha.E devolveu os dois pontos com uma linda raspagem, chutando Rafa com estilo e deixando tudo igual. Por baixo, Rafa procurou raspar Rubens até o último segundo, mas este não caiu. A luta terminou empatada e na decisão dos juízes Rafael Mendes levou a melhor, com os votos dos três árbitros.

Peso leve: Michael Langhi retorna ao Pan e fecha com Lepri de novo

Michael Langhi e Lucas Lepri (Alliance) dominaram o peso leve e fecharam a categoria. Para chegarem lá, Langhi raspou JT e Lepri passou por Vinicius Marinho.

Peso médio: Clark Gracie apaga oponente no último minuto

Nos médios, Clark Gracie mostrou que sua omoplata está afiada. Mas Marcelo “Lapela” Mafra havia percebido isso no decorrer do campeonato, ao ver o Gracie eliminar Otavio Sousa e DJ Jackson. Marcelo então usou a tática que havia dado certo contra Kayron Gracie e com Vitor Henrique: puxou e raspou. Mas Clark Gracie insistiu até o fim e foi premiado. Por cima, tentou passar, viu a oportunidade da omoplata e a encaixou. Com o braço de Lapela preso, o Gracie escorregou e puxou a gola, a 26s do fim. A posição estava tão ajustada que Lapela, que não quis bater, dormiu.

Pesado: Roberto Tussa mostra base e vence Nivaldo

As pedreiras Roberto Tussa (Gracie Barra) e Nivaldo Oliveira (CheckMat) mediram força na final dos pesados. Tussa havia finalizado Paulo Tarcísio, e o amigo da CheckMat veio para tentar a vingança, depois que Lucas Leite o deixou passar. O combate foi bem equilibrado, Nil puxou tentou fisgar uma omoplata mas não teve sucesso. Tussa foi encontrando sua pressão devagar, até que obrigou o faixa-preta da CheckMat virar de quatro apoios e ganhou uma vantagem. No restante da luta, ambos trocavam pegadas para derrubar, até que o professor da Gracie Barra deu um double-leg mas caiu fora. Duas vantagens, e Tussa foi o campeão dos pesados.

Léo Nogueira passa a guarda de Vella. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Superpesado: Léo Nogueira raspa Gabriel Vella da meia-guarda

Os superpesados Leo Nogueira (Alliance) e Gabriel Vella fizeram uma final digna deste “duelo de gerações”. Léo chamou logo Vella para a meia-guarda e começou a trabalhar a raspagem, mas não teve sucesso com a base sólida de Gabriel. Léo insistiu, se enfiou embaixo do aluno de Ryan Gracie e conseguiu raspar. Com calma, passou e montou. No fim, 8 a 0 e o ouro na bagagem.

E para você, qual foi o melhor momento do Pan 2013? Comente.

 

Ler matéria completa Read more
There are 22 comments for this article
  1. Jeferson Maycá at 2:02 pm

    Rubens, acho que os seus informantes estão profundamente equivocados. O Rodolfo Vieira fez combates duríssimos em janeiro na Copa Pódio, participará de Abu-Dhabi, da próxima edição da Copa Pódio e do Mundial na Califórnia: 4 competições em 5 meses. É muito mesmo para um lutador do nível dele. O Pan não estava no seu cronograma muito antes da história do anti-doping.

  2. Frances Pablo Lima at 5:02 pm

    Lutar o Pan e correr o risco de se machucar e não lutar um campeonato que vale $$$ como o Abu Dhabi Pro, a escolha do Rodolfo foi muito inteligente. Chega de encher o bolso do Carlinhos Gracie de dinheiro… o esporte tem que ser profissional e acabar com o monopólio do Gracie!
    E outra, aposto um dinheiro que o Rodolfo ta limpo!!!

  3. Maria Cristina Vieira Srour at 12:18 am

    Frances Pablo Lima, que bom que vc postou esse comentário!!! Esse é o verdadeiro motivo da ausência do Rodolfo!! E se vc conseguir alguns para apostar, pode ter certeza de que vc ganha !!! Vc é verdadeiramente alguém que respeita e confia no meu filho, muito obrigada !!!

    • Tacio Carneiro at 12:24 am

      é isso msm tenho até pena deles…..Rodolfo vai te pegar,Rodolfo vai te pegar só queria ver a cara do buchecha kkkkkkkkkkkkk

    • Frances Pablo Lima at 3:06 am

      Sra. Maria Cristina Vieira Srour, obrigado pelo comentário! Seu filho é um daqueles Samurais que nascem de 1000 em 1000 anos…Sou muito fã do Jiu-Jitsu dele e da sua humildade como pessoa e atleta! A Familia toda tá de Parabéns pelo campeão…

  4. Marcus Vinícius Bastos at 1:05 am

    Rodolfo inteligentemente deixou de lutar o PAN, para não correr risco de se machucar e não lutar em Abu Dhabi, um campeonato de jiu-jitsu PROFISSIONAL, onde os atletas de ponta são pagos pelo seu trabalho, o esporte tem que se profissionalizar, para sobrevivência financeira de todos os atletas.
    Quem acompanha de perto o esporte, sabe que o Rodolfo esta limpo, e que o doping é fundamental, para dar com maior transparência a quem são os verdadeiros profissionais da arte suave.

  5. Helinho Borges Gfteam at 1:25 am

    Rodolfo vieira iniciou o ano com uma participação impecavel na COPA PÓDIO, o convite da australia para seminarios estava firmado a tempo, a opção por ABU DABHI é obvia,( o francês pablo lima, já disse aqui), agora postar que ouviu dizer, sobre doping, é no minimo deselegante, se você tem a fonte, diga qual é, porque quem tem certeza do que fala tem que provar, o PAN de JIU-JITSU – 2013, foi sencacional, agora devemos no minimo reconhecer que em qualquer competição com TOPS de linha, o RODOLFO VIEIRA, hoje, sempre fará falta, o fã deve no minimo, respeitar e confiar no homem em 1º lugar. abraço atodos!!

  6. Frances Pablo Lima at 2:34 am

    Sra. Maria Cristina Vieira Srour, obrigado pelo comentário! Seu filho é um daqueles Samurais que nascem de 1000 em 1000 anos…Sou muito fã do Jiu-Jitsu dele e da sua humildade como pessoa e atleta! A Familia toda tá de Parabéns pelo campeão…

  7. Anibal Braga Braga at 11:05 am

    Quem rasga dinheiro é maluco deixar de correr um campeonato que vale grana e prestigio para ter mais uma medalha no curriculum é uma medalha apenas é no minimo não ser inteligente ou burro pois somando passagem hospedagem e toda as despesas para lutar o PAN e correr o risco de se lesionar e ficar fora do de ABU DAHBI é coisa de maluco se for ver pelo lado do anti doping outros não entraram exemplo ROGER GRAICE e o ROGER ta certo não precisa de provar mais nada a ninguem a não ser a alto estima de estar entre os melhores do mundo falei ROGER porque ele é o cara junto com alguns outros top portanto invejoso tem aos montes agora chegar ao nivel deles e bota a cara pra bater é para poucos ALIAS AOS INVEJOSOS E SEM VISÃO RODOLFO É ALUNO DO JULIO CESAR QUE NUNCA APRENDEU JIU JITSU DA LINHA GRAICE ELE É PURO SANGUE LINHA OSWALDO FADDA O UNICO FAIXA VERMELHA FORMADO POR UM FAIXA PRETA DO MAEDA NEM O HELIO TEVE ESTE PREVILEGIO E O MESTRE HELIO É O MESTRE SEM DUVIDA NENHUMA DEVEMOS TUDO A ELE , COM SUA CORAGEM E DETERMINAÇÃO MAIS MESMO ASSIM RODOLFO VIEIRA JUNTO COM SEU MESTRE JULIO CEZAR DESBANCA MUITOS FANFARRÕES E TECNICA NÃO TEM A VER COM DOPING POIS JA VI MUITO BOMBADO PERDER FEIO PARA ALUNOS TALENTOSOS, NÃO SE MEDE HABILIDADE COM FORÇA ISSO NÃO É MUSCULAÇÃO AS DUAS COISAS JUNTAS DÃO RESULTADO O RESTO É COISA DE PESSOAS QUE PERDERAM A RAZÃO DO DINHEIRO E DO BOM CENSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *