Pan 2013: a graça e a eficiência das mulheres no evento em Irvine

Share it

As mulheres em ação. Foto: Erin Herle/GRACIEMAG

A divisão feminina apareceu no Pan de Jiu-Jitsu 2013 com muita força, na faixa-azul, e o número de mulheres nas áreas de luta novamente aumentou.

Algumas histórias chamaram a atenção de nossa repórter Erin Herle.

Mylene Ramos Manalo na guarda. Foto: Erin Herle/GRACIEMAG

Por exemplo, a história de Mylene Ramos Manalo, que competiu na categoria pena em seu primeiro Pan depois de um acidente sério de carro. Em 21 de outubro de 2011, ela foi atingida por um carro e quebrou o fêmur. Os médicos disseram a ela que seria um ano e meio de recuperação, mas em seis meses ela estava de volta aos tatames.

Há uma semana ela competiu no Naga, numa superluta, e beliscou o ouro. Embora ontem não fosse seu dia, ela é grata por estar de volta. “O Jiu-Jitsu é mente e coração. Quando competi semana passada não senti dor nenhuma até que eu deixei o tatame”, explica.

Carla Esparza de kimono branco. Foto: Erin Herle/GRACIEMAG

A campeã de MMA Carla Esparza também lutou em Irvine. A atleta ficou com o segundo lugar na faixa-azul peso-pena. Foi seu primeiro torneio de Jiu-Jitsu. Esparza é campeã do Invicta FC, evento de MMA exclusivo para mulheres. Ela aprendeu muito: “Definitivamente não pude contar com minha velocidade e meus músculos, porque tinha alguém me agarrando sempre. Precisei parar e pensar sobre as técnicas, sobre o que fazer”.

Tara White, 27 anos, faixa-azul peso pesado da Atos, conquistou a divisão e o aberto. Ela fez quatro lutas no aberto e vem treinando há pouco mais de dez meses.

Para ver mais ações das meninas, confira uma galeria de fotos abaixo. Para ver os resultados completos, clique aqui.

[flickr set=72157633054987901]

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *