Minotouro: “Shogun não vai me quedar fácil, mas estou alerta ao soco superman”

Share it
Rogerio-Minotouro no UFC Foto Divulgacao

Rogério Minotouro está com 4v, 2d no UFC, enquanto Shogun tem 5v, 5d. Quem é o favorito, amigo leitor? Foto: UFC/Divulgação

Rogério “Minotouro” Nogueira e Mauricio “Shogun” Rua têm ambos 93kg, 21 vitórias na carreira, uma legião de fãs e alguns assuntos não totalmente resolvidos.

Não há nenhuma rusga entre os astros brasileiros, mas após a épica batalha no Pride GP em junho de 2005, no Japão, vencida por Shogun na decisão unânime, eles ficaram devendo esta revanche aos fãs. E vão pagar a dívida, no próximo 15 de junho em Winnipeg, no Canadá, como o UFC confirmou ontem.

Shogun, 31 anos, ex-campeão até perder para Jon Jones, está com cinco vitórias e cinco derrotas no UFC, enquanto Rogério vem de duas vitórias seguidas, e está com quatro vitórias e duas derrotas no octagon. Sinal de um leve favoritismo para o mano gêmeo de Minotauro? Não, segundo pensa o próprio Rogério:

“O Shogun é sempre perigoso. A agressividade dele é arma que mais me preocupa. Ele é um lutador que cai para dentro o tempo todo, não para até conseguir achar o alvo e tem uma mão pesada que faz estragos, então preciso me preocupar muito com o que vier dali. Meu boxe apenas não será suficiente para afastar o Shogun, o muay thai também será um aspecto importante nesta revanche”, explica Rogério, em papo por telefone no Rio.

Da luta válida pelas quartas de final do Grand Prix até 93kg, só boas lembranças e a constatação de uma evolução tremenda, de oito anos para cá.

“Somos ambos dois lutadores diferentes. Do meu lado, sinto que melhorei muito minha defesa de queda daquela luta no Pride para cá. Em minha última vitória, contra o Rashad (UFC 156), consegui enfim mostrar minha evolução no wrestling. Não se trata apenas de não cair de costas, e sim conectar minha parte de defesa de quedas com meus ataques. Quando eu ia socar, volta e meia o oponente ia certinho nas minhas pernas e eu caía. Hoje sou um lutador que sabe a hora de atacar com boa base. Aprendi também a não me precipitar ao atacar. Percebi com o Rashad que há hora de recuar, esperar mais o momento certo, dar um passo para trás para vir com um ataque ainda mais potente”, explica Rogério.

Se a preocupação com o muay thai de Shogun existe, perguntei se Minotouro vai buscar alguns sparrings bons de chutes e com socos pesados. O baiano então brinca:

“Vou procurar treinar com um pessoal ao estilo do Shogun sim. Mas temos por aqui um tal de Antonio Pezão também. Dizem que ele tem a mão pesada… Tá louco”, diverte-se a fera de 36 anos, feliz com a revanche após tanto tempo.

“Estou amarradão. Desde que cheguei ao UFC, era a luta que eu queria fazer, não só por eu ter perdido na decisão dos jurados, mas pois realmente merecia outra. Eu cheguei a pedir pela luta algumas vezes, mas já estava ficando chato, afinal ele embalou e tornou-se o campeão. Mas será outra batalha. Vou ficar alerta com o soco superman dele, que marcou o primeiro combate. Só vai ser difícil ele me botar para baixo agora…”, conclui Rogério.

Alguém duvida de que o checão de luta da noite já tem dois fortes candidatos?

Veja o card provisório, divulgado pelo UFC.

UFC 161
MTS Centre, Winnipeg, Manitoba
15 de junho de 2013

Dan Henderson vs Rashad Evans
Mauricio Shogun vs Rogério Minotouro
Soa Palelei vs Stipe Miocic

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *