Gilson Neném comenta vitória em cima de Isaque e ida para Abu Dhabi‏

Share it

Gilson Neném contra Nycolai Welker na Seletiva para Abu Dhabi realizada em Manaus. Foto: Junior Samurai/GRACIEMAG.com

Com incontáveis medalhas no Jiu-Jitsu cearense, Gilson “Neném” Nunes (Evolution) buscava provar que não seria apenas um ídolo estadual.

Como ele mesmo reconhece, faltava algo mais grandioso em sua carreira de faixa-preta. No último fim de semana, algo de novo aconteceu, quando, em meio a oponentes duríssimos, ele abocanhou a vaga para o WPJJC em Abu Dhabi, com todas as despesas pagas.

O boa-praça de Fortaleza conversou com o GRACIEMAG.com e, com seu jeito calmo, lembrou o que passou até a vitória em Manaus e analisou os próximos planos para Abu Dhabi.

GRACIEMAG: Você vem se destacando no Jiu-Jitsu cearense há um bom tempo, e agora venceu entre os levinhos mais cascudos, em Manaus. Como se sentiu?

GILSON NENÉM: Lutar em Abu Dhabi é o sonho de todo lutador de Jiu-Jitsu, e sempre sonhei com isso. Então pus um objetivo na minha cabeça, um foco a que eu me dediquei muito para alcançar. Abdiquei de muitas coisas para que esse sonho se tornasse realidade, sofri, mas tudo valeu a pena. Todas as dificuldades de perda de peso, falta de patrocínio, saúde e muitas outras coisas. Eu sabia que se colocasse Deus em primeiro lugar, eu conseguiria e foi o que ocorreu, Deus me abençoou tremendamente e eu venci.

Como você revê suas lutas na Seletiva de Manaus?

Nessa seletiva não teve luta fácil, todos os atletas estavam muito bem preparados, lutando pelo mesmo sonho, então foi uma guerra. Acredito que consegui impor meu jogo e a minha guarda, que é minha principal arma.

Como foi a grande final até 65kg, com a fera Isaque Paiva?

Minha final com o Isaque foi complicada, ele é um excelente atleta, já tinha lutado outras vezes com ele e sabia que não seria fácil. Eu estava ligado no triângulo dele e consegui escapar. Isso tudo eu já tinha estudado com minha equipe, Evolution, que não é só uma equipe, e sim minha família.

Você é conhecido por seu justo triângulo. Tem algum macete para pegar mesmo?

Gosto muito de triângulo desde cedo, então sempre procurei treinar muitas vezes, fazendo variações em diferentes situações de luta, aí fica mais no automático. Mas o detalhe é escalar na hora certa e fazer o movimento conjugado com o quadril.

Quem são os principais adversários em Abu Dhabi, agora?

Vou treinar bastante para fazer boas lutas em Abu Dhabi, prefiro não pensar nos meus adversários, porque com certeza vão estar todos os melhores lá. Então todas as lutas serão pedreiras, prefiro ter pensamentos positivos e fé em Deus para que tudo dê certo novamente.

Ler matéria completa Read more
There are 7 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *