UFC 157: Ronda Rousey finaliza no braço após tomar susto de Carmouche

Share it

Ronda Rousey ataca o braço de Liz no finzinho do primeiro assalto. Foto: Jeff Gross/Getty Images

A campeã Ronda Rousey tinha um plano tático mais do que conhecido e esmiuçado, para sua luta no UFC 157, que marcou a estreia da divisão feminina em 20 anos de UFC.

Mas, diante do juizão Big John McCarthy e um estádio em Anaheim lotado, a desafiante Liz Carmouche, três passagens pelo Iraque como marinheira, abraçou a missão e liderou um contra-ataque de deixar os fãs sem fôlego. E Ronda também.

A judoca loura não fugiu do script. Tão logo a luta começou, perto de 2h da manhã no Brasil, ela encurtou a distância em relativa segurança, clinchou e levou Liz ao chão pelo pescoço, numa gravata rústica. Ao cair do lado, pescoço ainda abraçado, ela trabalhou rumo à montada e ao armlock. Foi quando a atarracada Carmouche escorregou para as costas da franca favorita.

Ronda fez a defesa correta e ficou em pé, e toda torta e com o pescoço em perigo livrou um dos ganchos e jogou Liz ao chão. Enquanto Liz fazia guarda, Ronda teve tempo para ajeitar o bustiê.

O sufoco não tirou Ronda do trilho. Com a mesma movimentação, a campeã peso-galo (até 61kg) chegou do lado novamente, mas desta vez montou e agarrou-se ao braço sem pensar em desperdiçar. Liz rolou, deu cambalhota mas terminou como as outras seis oponentes da faixa-preta: com o cotovelo esticado e dando os três tapinhas.

Lyoto Machida dá rasteira em Dan Henderson

O brasileiro Lyoto Machida e o wrestler americano Dan Henderson, 42 anos, entraram para a penúltima luta da noite cercados de expectativa. Afinal, o vencedor ganharia o direito de desafiar Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados (até 93kg). Melhor para o karateca brasileiro.

A luta começou estudada, com Hendo caçando o queixo do ex-campeão do UFC, até que a direita entrou no rosto do brasileiro. Lyoto então surpreendeu com uma contra-queda que lhe rendeu o primeiro assalto: ao ser abraçado pelo lutador de greco-romana, Machida deu um passa-pé desmoralizante, caiu batendo em Hendo e o gongo soou.

No segundo assalto, Lyoto acertou mais os golpes em pé, com joelhadas e socos que fizeram o olho direito do ex-campeão do Pride fechar. No terceiro assalto, Lyoto se mantinha jogando no contra-ataque, até que escorregou. Hendo ficou batendo na guarda, mas sem cravar seus cotovelos no rosto do brasileiro. Na decisão dos jurados, após suspense do locutor Bruce Buffer, vitória dividida para Lyoto, que agora tem uns bons meses para estudar a tática para Jon Jones.

Na primeira luta entre ambos, em dezembro de 2011, Jones venceu com uma guilhotina em pé que apagou o brasileiro, no UFC 140. Jones enfrenta primeiro Chael Sonnen, na final do reality show “TUF”, em abril.

Outro destaque do card principal foi Urijah Faber, que não se abalou após tomar um quedão de Ivan Menjivar, pegou as costas e finalizou em pé, ainda no primeiro round, pela categoria peso-galo.

Chave de perna exótica no UFC

No card preliminar, ao menos dois momentos sensacionais. Na luta entre os “invictos” Kenny Robertson e Brock Jardine, que não eram estreantes mas ainda não haviam vencido no UFC, o Jiu-Jitsu deu as cartas. Kenny primeiro precisou aliviar o pescoço de uma guilhotina afiada. A seguir, passou a guarda, pegou as costas e, com os ganchos fincados, puxou a perna de Brock até a pressão na virilha ser insuportável. Finalização exótica no UFC.

Pouco depois, a virada foi ainda mais marcante, na luta entre Dennis Bermudez e Matt Grice. Atrás no primeiro assalto e após sufoco no segundo, Bermudez partiu para cima na terceira etapa com um gancho, acertou o queixo de Grice dezenas de vezes mas não conseguiu o nocaute. Foi agraciado no entanto com a vitória na decisão, em luta que levantou os dois atletas.

O público aplaudiu ainda Michael Chiesa, agora invicto com nove lutas, após mais um mata-leão do barbudo, desta vez contra o finlandês Anton Kuivanen.

Na primeira luta da noite, o faixa-preta de Jiu-Jitsu Yuri Villefort pegou as costas, raspou diversas vezes, atacou o tornozelo mas tomou mais golpes no rosto e perdeu por decisão unânime. “Claro que eu queria ter vencido, mas por ter sido convocado às pressas, com dez dias para o evento, foi uma participação que me agradou. Se o torcedor gostou, eu também gostei”, disse Yuri ao canal Sportv, ainda com o olho direito bem roxo. Do começo ao fim, foi um show para todos os gostos no UFC.

Lyoto Machida na pesagem do UFC 157 Foto Zuffa

Lyoto Machida venceu e vai lutar novamente pelo cinturão dos meio-pesados, hoje em posse de Jon Jones. Foto: Zuffa via Getty Images

UFC 157

Anaheim, Califórnia, EUA

23 de fevereiro de 2013

Ronda Rousey finalizou Liz Carmouche na chave de braço aos 4min49s do R1

Lyoto Machida venceu Dan Henderson na decisão dividida dos jurados

Urijah Faber finalizou Ivan Menjivar no mata-leão em pé aos 4min34s do R1

Court McGee venceu Josh Neer por decisão unânime

Robbie Lawler venceu Josh Koscheck por nocaute técnico (socos) a 3min57s do R1

Brendan Schaub venceu Lavar Johnson na decisão unânime dos jurados

Michael Chiesa finalizou Anton Kuivanen no mata-leão aos 2min29s do R2

Dennis Bermudez venceu Matt Grice na decisão dividida

Sam Stout venceu Caros Fodor na decisão dividida

Kenny Robertson finalizou Brock Jardine na chave de virilha com gancho nas costas aos 2min57s do R1

Neil Magny venceu Jon Manley por decisão unânime

Nah-Shon Burrell venceu Yuri Villefort por decisão unânime

Ler matéria completa Read more
There are 3 comments for this article
  1. Marcio Fernandes at 4:27 pm

    Lyoto ganhou. Beleza! Mas foi um combate chato, o jogo do lyoto é chato de ver, o Hendo tambem nao foi lá essas coisas, entao qualquer um que ganhasse estaria justo. Agora, se não der zebra na luta do Sonenn e Jones, o Jones apaga de novo o Lyoto isso se não deixar ele todo deformado, para ter chances o Lyoto precisa rezar e treinar muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *