Você sabe fazer a transição do triângulo para o armlock no Jiu-Jitsu?

Share it
Bruno Frazatto finaliza no triângulo na seletiva do WPJJ em Gramado, em 2012. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Bruno Frazatto finaliza no triângulo na seletiva do WPJJC em Gramado, em 2012. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Para ser um atleta imprevisível no Jiu-Jitsu, o primeiro passo é ter uma guarda perigosa e uma boa passagem de guarda, e começar a ser um lutador completo.

E um lutador completo precisa ter boas finalizações, e especialmente boas transições de golpes, para não deixar os oponentes confortáveis jamais, nem quando eles acham que defenderam o golpe.

Um desses exemplos é o triângulo.

Quando você encaixa o golpe, a reação natural é o oponente contra-atacar com muita pressão, no que você acaba decidindo repor a guarda e começar tudo de novo. Que tal um plano B como um ataque no braço?

O oponente resistiu ao triângulo? Gire o quadril para o lado e voe no braço alongando o quadril para finalizar, como ensina hoje o faixa-preta Dennis Asche.

A 42 segundos, Dennis explica como ajeitar o braço e manter a pressão para fisgar o oponente.

A 57s, repare como o faixa-preta não solta a pegada do braço, e  ajeita a perna direita pesando na nuca do adversário.

A 1min, Asche faz o giro com o quadril dominando o braço para finalizar. Preste atenção na alavanca que ele faz com o quadril, esta pressão pega no meio do cotovelo do adversário, levando aos três tapinhas.

A 1min15s, o faixa-preta demonstra como você deve fazer a pegada no punho para ajustar o braço para finalização. E chama atenção para outro detalhe: a perna não pode ficar cruzada na cabeça, o que tira um pouco da pressão – os pés devem ficar lado a lado.

Aos 2min, o professor Dennis mata a pau e ensina um pequeno drill para você engatilhar a posição no modo automático. Pratique, repita e finalize!

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Steve Howe at 12:56 pm

    Todo mundo sabe fazer essa transição de uma forma ou de outra, mas o detalhe de virar sobre o ombro, poucos sabem e faz *toda* a diferença. Boa posição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *