O que um campeão faixa-azul absoluto tem que os outros não têm?

Share it

Horlando Monteiro brilhou no absoluto azul, no Europeu 2013. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Aluno de Jair Lourenço, a ferinha Horlando Monteiro (Kimura/Nova União), 18 anos, foi o melhor faixa-azul do Europeu de Jiu-Jitsu 2013, em Lisboa.

Vice-campeão no peso leve, Horlando caiu dentro no aberto e se superou. Mas o que leva um faixa-azul a dominar tantos outros concorrentes?

“Acho que meu grande diferencial para vencer o aberto foi minha guarda, e minhas pernas compridas (risos)! Esse jogo de guarda-aranha e guarda De la Riva acaba oferecendo certa dificuldade para os caras mais pesados”, analisa o jovem lutador.

Pernas compridas, ok. Mas e a mente? Como o campeão novato trabalhou a cabeça?

“Olha, provavelmente se eu tivesse ganhado a categoria não ia nem querer lutar o absoluto. Engraçado isso, mas a derrota me deu a motivação e a força para eu enfrentar os gigantes no absoluto”, reflete.

Para conquistar a glória, o atleta de Natal precisou ainda mostrar equilíbrio contra o bom judoca Khasan Betelgeriev (Alliance), na final.

“No começo da luta, ele que é faixa-marrom de judô, me deu um chute que quase levou minha perna para casa. Mas defendi bem e depois chamei para a guarda e apliquei o triângulo. Eu estava na guarda fechada e fiz uma posição que treino muito. Eu seguro nas duas mangas do adversário, empurro uma para trás e a outra eu puxo para a minha orelha escalando a guarda. Geralmente cai em um triângulo e deu certo”, analisa.

Como aprendemos com Horlando, portanto, os ingredientes para o ouro absoluto na azul são:

1. Guarda boa
2. Motivação externa
3. Equilíbrio em pé
4. Uma posição de confiança (triângulo, no caso)

Mais alguma lição, Horlando? “Acredite em você o tempo todo. Só vence no Jiu-Jitsu quem nunca desiste!”. Aprendeu?

Ler matéria completa Read more
There are 13 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *