5 conceitos básicos para enriquecer seu Jiu-Jitsu!

Share it

No Jiu-Jitsu, o aprendizado é um processo contínuo. Você aprende o movimento, depois o ajuste e aí sim a finalização. Tudo, se você se empenhar, com o minímo de esforço e a máxima eficiência. Sim, o Jiu-Jitsu não é um esporte que depende de força e de pujança física, mas sim de um bocado de jeito.

E que tal aproveitar o refresco de fim de ano para repassar algumas lições básicas, para começar 2013 com a corda toda?

1. Jiu-Jitsu é filosofia de vida

Tenha o Jiu-Jitsu como filosofia de vida, não como uma obrigação. “Se você treinar com prazer, sua evolução será bem mais rápida, e você vai estar mais bem preparado para a faixa-azul”, costuma ensinar o faixa-preta Igor Araujo (Gracie Barra Suíça).

2. Professor André Machado ensina defesa de agarrão por trás

Defesa pessoal é o pilar da arte suave. Não se descuide dela.

3. Kimono + caneta e papel = evolução

Caderno e caneta são úteis na academia. Após cada treino, anote a matéria aprendida. Revise suas anotações depois do trreino, e antes do próximo. Se possível, procure filmar você em ação em cima do tatame, fazendo movimentações e treinando com os parceiros. “Isso ajuda a ver onde você erra mais, e serve também para repassar os estudos em casa, e reter mais as técnicas na mente”, ensina Stephen “Pesadelo” Hall (Alliance Texas).

4. Consistência e intensidade

Para o professor Luigi Mondelli, o início do ano e de sua caminhada no Jiu-Jitsu deve ser feito com moderação. “Respeite os limites do seu corpo. Mais vale a consistência do que a intensidade dos treinos no início. Para o faixa-branca, a repetição das técnicas e a presença constante nas aulas vão desenvolver a memória muscular, coordenação e linguagem corporal necessárias para se evoluir. Gradualmente, e conforme o desenvolvimento da sua adaptação às técnicas, você pode aumentar a intensidade dos treinos”, diz o professor da ATT Connecticut.

5. Marc Zee ensina raspagem tesourada

O simples funciona sempre. Mas não deixe de repetir sempre.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *