No Recife, o Jiu-Jitsu eficiente que nunca desiste‏

Share it

Hugo Leonardo no abraço ao faixa-preta Renato Cardoso, no campeonato no Recife. Foto: Junior Samurai/GRACIEMAG.com

O GRACIEMAG.com já apresentou aos demais leitores o raçudo faixa-roxa Hugo Leonardo (CheckMat), competidor brasileiro que nunca desistiu de ir treinar, mesmo com problemas ao dominar os movimentos da perna – após sofrer um acidente enquanto malhava na barra fixa, que lesionou sua coluna.

No Open Pernambuco, campeonato realizado no último fim de semana no Recife, o valente Hugo vestiu o kimono de novo. Aguardou seu nome ser chamado, se locomoveu com a cadeira de rodas até a área de lutas e caiu para dentro, sempre com um sorriso no rosto e a paixão pelo Jiu-Jitsu que une a todos nós.

“Perdi, fui finalizado hoje. Mas nunca vou desistir. Meu amigo gravou a luta e vou para a academia corrigir o que errei. No próximo campeonato vou estar de novo aí. Se não der? Eu tento de novo no próximo. Um dia eu consigo”, ensinou.

Ler matéria completa Read more
There are 11 comments for this article
  1. Carlos Roberto Cavaca Cavaca at 12:49 am

    HUGO VOCE E REALMENTE UM EXEMPLO DE VIDA PARA QUALQUER SER HUMANO, QUANDO CONHECI VOCE ME IMPRESSIONOU NAO FOI SABER QUE VOCE LUTAVA , E SIM O SORRISO NO SEU ROSTO E UMA ALEGRIA QUE CONTAGIA , E COM A ALEGRIA QUE LEVA A VIDA , MEU AMIGO SOBRE A LUTA NAO VOU NEM FALAR , OBRIGADO POR SER NOSSO AMIGO, QUE DEUS TE ABENCOE SEMPRE,

  2. Yury Andrade at 1:57 am

    Q me perdoem (ou ñao), mas faixa branca é sinonimo de usar muuuuuuiiitttaaaa força,ñ precisava fazer ter lutado com o cara daqle jeito, eu sei, se ele se inscreveu ele assumiu os riscos, mas ñ precisa de tudo aqlo….

  3. Macarius Galius at 12:08 pm

    sobre o atleta, sem comentários… é um exemplo para todos, agora sobre a luta, não vejo necessidade em um luta dessas, concordo com o yury andrade a luta se tornou feia devido ao aponente não ter percebido a grandiosidade do momento, acabou quase machando o rapaz, seria interessantes que mais cadeirantes aderissem ao esporte-e aí com um bom trabalho de divulgação-, e que eles lutassem entre si, ficaria mais nivelado, o adversário que lutou com esse guerreiro da vida, saberia que iria vence-lo, poderia ter deixado o cara lutar um pouco, faltou a ele o fair play.

  4. carlos henrique at 11:30 am

    orgulho de ser seu amigo e parcero treino, muito orgulho de fazer parte dessa família. concordo com o yure. vc é e sempre será um vencedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *