Campeões sul-americanos comentam conquista e trocam figurinhas

Share it

Rayfan Barbosa no alto do pódio no Sul-Americano 2012. Foto: Acervo Pessoal

Levinhos, faixa-pretas, campeões de Jiu-Jitsu. O que mais Igor Rodrigues e Rayfan Barbosa tem em comum?

Ambos beliscaram o ouro no Sul-Americano de Jiu-Jitsu. Depois da medalhinha suada, bateram um papo a pedido do GRACIEMAG.com.

Igor, atleta da CheckMat e natural de Búzios, venceu o peso-galo. Rayfan (Associação Monteiro), faixa-preta de Manaus, judoca cascudo e estudante de Direito, ficou com o título no peso-pluma, no torneio realizado em Floripa, no fim de semana.

IGOR RODRIGUES: Beleza Rayfan? Como foi sua campanha no Sul-Americano 2012 e o que aprendeu?

RAYFAN BARBOSA: Vi que o Sul-Americano da CBJJ é uma competição de alto nível, assim como o Brasileiro. Neste ano o campeonato reuniu vários atletas de renomes e a cada ano vai se tornando mais dificil. Fiz três lutas, para você ver: na semifinal, um campeão mundial, na final, um campeão sul-americano! Foi uma excelente experiência.

IGOR: Pois é, parada dura. Eu não estava no melhor da minha forma física, sofri um acidente de moto que não me deixou treinar direito, quase quebrei o pé… E sua luta mais sinistra, qual foi?

RAYFAN: A final contra o Leandro Martins, acho. Mas todos os oponentes são excepcionais também. Mas, como sou judoca – fui campeão brasileiro em 2009 e vice em 2012 –, percebi que o jogo do Leandro era semelhante ao meu, de derrubar e passar. Então utilizei o judô para trabalhar as quedas, e investi num jogo de solo mais compacto, sem muito espaços. Ele é um atleta muito forte então foi necessário ter muito cuidado com as entradas dele. E você, como foi sua final com o Marcos Franco, da Gracie Barra?

IGOR: Eu dei uma acelerada no início e senti que ele ficou um pouco perdido. Foi aí que achei a brecha para finalizar na americana.

RAYFAN: Mandou bem. É isso aí, leitor da GRACIEMAG. lembrem que esporte é saúde, disciplina e que você precisa ser um verdadeiro atleta 100% do tempo para evoluir no Jiu-Jitsu e tentar ser o melhor do mundo. Como diz meu pai e professor, é preciso seguir quatros mandamentos: orar, estudar, trabalhar e treinar. Fica a dica.

Para conferir quem venceu no Sul-Americano de Jiu-Jitsu, clique aqui.

Ler matéria completa Read more
There are 5 comments for this article
  1. Steve Howe at 1:34 pm

    Legal esse formato de botar vários caras comentando, mais "informalmente", as impressões do campeonato. Poderiam extender e trabalhar mais nisso 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *