UFC 154: GSP vence Carlos Condit em luta sangrenta e eletrizante

Share it
GSP e Calros Condit travaram um grande duelo pela disputa do cinturão, no UFC 154. Foto: Josh Hedges/UFC

GSP e Carlos Condit travaram um grande duelo pela disputa do cinturão, no UFC 154. Foto: Josh Hedges/UFC

O UFC 154 de Montreal foi sempre divertido, mas deixou o melhor para o final.

Na penúltima luta do card, o meio-médio Johny Hendricks destruiu o queixo do dinamarquês Martin Kampmann em 46 segundos, e implorou uma chance contra o vencedor de Georges St-Pierre vs Carlos Condit. Nocautaço do barbudo americano, que pode de fato ter adiado a ideia de Dana White de realizar uma superluta entre St-Pierre e o campeão de cima, Anderson Silva.

Veio então a luta da noite, do mês. Georges entrou desde o início ganhando o octagon, contra um Carlos Condit que não encontrava o espaço para acertar seus chutes. O canadense desde o primeiro assalto foi capaz de ir nas pernas do campeão interino e cair por cima, acertando muitos socos da guarda e inundando a lona com o sangue de Carlos.

Foi quando o round terminou e Condit se encheu de confiança, apostando nos seus chutes altos. Um deles não foi visto por GSP, que tomou a canelada na testa e caiu, procurando ficar com o americano em sua guarda. Superatleta, GSP tratou de respirar, erguer-se e vir para cima, derrubando Condit de novo no fim do segundo assalto.

No terceiro e quarto assalto, o público vibrou com uma série de inversões, mas GSP foi sempre mais perigoso, sem deixar de desequilibrar o oponente pelo menos uma vez por assalto. O canadense, que também sangrava, quase pegou as costas duas vezes na luta.

Vencedor por decisão unânime ao fim da batalha, GSP falou ao comentarista Joe Rogan: “Agora entendo o que é a falta de ritmo de luta. Nem vi aquele chute dele até que pegou no meu rosto. O Condit é um grande atleta e sai daqui como um lutador ainda melhor”, disse o canadense, diante de uma torcida que urrava em delírio em Montreal – e que chegou inclusive a vaiar Anderson Silva, eventual rival do faixa-preta da Gracie Barra.

Rafael dos Anjos coloca o ruivo Mark Bocek para baixo, no UFC 154. Foto: Josh Hedges/UFC

Rafael dos Anjos suspende Mark Bocek no UFC 154. Foto: Josh Hedges/UFC

Dos Anjos ganha elogios do campeão Ben Henderson

Pouco antes, contra o respeitado canadense Mark Bocek, Rafael Dos Anjos fez bela apresentação pelo card principal, após a luta Nick Ring vs Costa Philippou cair por culpa de uma virose de Nick. Rafael foi capaz de frustrar as quedas tentadas pelo oponente e mostrou velocidade nos golpes em pé, como chutes e joelhadas. No chão, Rafael caiu por cima duas vezes e quase arrochou a kimura. Bocek terminou a luta sangrando bastante e “Dos Anhos”, conforme Bruce Buffer fala, venceu por decisão unânime dos jurados.

Via Twitter, o campeão dos leves elogiou a evolução do faixa-preta de Roberto Gordo. “Dos Anjos está firme, ele é bem atlético. Bocek pareceu não conseguir fazer seu jogo. Grande luta”, escreveu Ben Henderson. “O wrestling foi o que decidiu o duelo, as defesas de quedas e tudo mais”.

No card preliminar, Rodrigo Damm chegou ao octagon em Montreal escoltado por uma tropa de respeito. Mesmo com Anderson Silva no córner, no entanto, o capixaba não conseguiu sua segunda vitória no UFC: perdeu para Antonio “Pato” Carvalho por decisão dividida, após ficar com as coxas bastante machucadas. Silva pedia: “Muito jab! Muito jab! Já melou”, dizia o córner campeão dos médios, enquanto o nariz de Antonio escorria. Mas os chutes baixos de Pato prevaleceram, na visão dos jurados.

No Jiu-Jitsu, destaque para o local Ivan Menjivar, que arrochou o braço do samboca russo Azamat Gashimov com um armlock da guarda invertido, no primeiro assalto. O francês campeão de muay thai Cyrille Diabaté também mostrou que está afiando o seu jogo de chão, e finalizou Chad Griggs nas costas, num primeiro round sangrento.

UFC 154
Bell Centre, Montreal, Canadá
17 de novembro de 2012

Georges St-Pierre venceu Carlos Condit por decisão unânime dos jurados
Johny Hendricks nocauteou Martin Kampmann aos 46s do R1
Francis Carmont venceu Tom Lawlor por decisão dividida
Rafael dos Anjos venceu Mark Bocek por decisão unânime
Pablo Garza venceu Mark Hominick por decisão unânime dos jurados

Card Preliminar (FX)
Patrick Côté venceu Alessio Sakara por desclassificação (socos na nuca) a 1min26s do R1
Cyrille Diabaté finalizou Chad Griggs no mata-leão aos 2min24s do R1
John Makdessi venceu Sam Stout na decisão unânime
Antonio Carvalho venceu Rodrigo Damm na decisão dividida

Card Preliminar (Facebook and Youtube)
Matthew Riddle venceu John Maguire na decisão unânime
Ivan Menjivar finalizou Azamat Gashimov no armlock aos 2min44s do R1
Darren Elkins venceu Steven Siler na decisão unânime

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Markinhos Gracie at 10:58 pm

    o gsp mostrou o q todos já sabem: UM EXCELENTE LUTADOR!!!!!!!! o cara é MUITO BOM em todos os fundamentos, mas acho q NÃO é suficiente para vencer o anderson silva. acho muito mais justo:

    GSP x Johny Hendricks;
    Demian Maia x John Fich

    os vencedores se enfrentam e na minha opnião seria: Demian x gsp!!!!!!!!!! o Demian Maia é o cara q MAIS tem chance de vencer o gsp até 77kg.

    no caso do anderson seria mais justo a luta dele contra o bones!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *