Marcus Bochecha: “Odeio lutar contra quem tenta ganhar na vantagem”

Share it
Bochecha ataca o braço de Roger Gracie, no Metamoris Pro. Foto: John Lamonica/GRACIEMAG

Bochecha e o ataque memorável no braço de Roger Gracie, no Metamoris Pro. Foto: John Lamonica/GRACIEMAG

GRACIEMAG: O Metamoris Pro e seu empate com Roger Gracie foram no dia 14, mas ainda mexem com os fãs e os leitores, no nosso Facebook. O que você aprendeu com mais esta batalha?

MARCUS BOCHECHA: Acho que apesar do empate fiz uma grande luta, consegui imprimir o meu ritmo e atacar bastante. Acho que, se fosse nas regras normais eu realmente teria levado alguma vantagem, mas a ideia da luta não era essa. Então o fato de ter terminado a luta melhor que o Roger não é o grande mérito que tiro da luta. O grande lance foi ter lutado como sempre lutei – para frente.

Você tirou alguma lição dos treinamentos para a luta? Treinou de forma diferente para o Roger?

Não, treinei como sempre com os companheiros faixas-pretas da Checkmat Califórnia, que foram praticamente os mesmos que treinei durante o ano todo. Mudei apenas uma coisa: como a luta teria duração de 20 minutos, eu adotei um treino de 40 minutos rolando direto. Eu sabia que seria difícil finalizar o Roger, por isso eu estava preparado para lutar o combate inteiro.

E as regras do Metamoris Pro? Gostou ou sugere alguma mudança?

Achei as ideias e as regras do evento muito boas. Nesse formato o lutador pode arriscar bastante, sem preocupação, e sem parar para olhar o placar! Essa é a ideia do Jiu-Jitsu. Pensar apenas em fazer o seu oponente desistir do combate, ou seja, finalizá-lo. Odeio lutar contra esses atletas que entram lá para ganhar na vantagem, ou seguram uma posição só para raspar no final. Isso deixa o Jiu-Jitsu feio e não é bom para o esporte… Por isso lutei no Metamoris e concordei com as regras, pois é exatamente o meu objetivo durante qualquer luta: a finalização.

Você já participou de vários treinos de MMA, com Vitor Belfort e Gilbert Durinho, e foi muito elogiado. Algum evento de MMA já entrou em contato com você para propor uma luta?

Eu participo e ajudo em treinos de MMA desde que me mudei para os EUA, pois na Flórida ajudava diariamente os meus companheiros. Também participei do camp do Vitor Belfort (para a luta contra Anthony Johnson). Lá aprendi muito e comecei a despertar meu interesse na modalidade. Já venho treinando bastante wrestling e aprendendo a parte em pé no boxe, pois pretendo sim migrar para o MMA no futuro. Mas estou sem pressa, ainda não recebi nenhuma proposta.

Por que você não foi a Long Beach defender seu título no Mundial Sem Kimono?

Estou na Europa dando seminários, e infelizmente acompanhei o Mundial Sem Kimono pela internet. Queria muito competir e defender meu título, mas infelizmente não pude. Já tinha abrido mão de muitos seminários por causa das competições, e agora estou me dedicando bastante a ensinar e dar seminários ao redor do mundo. Fiquei ansioso para ver meus companheiros de equipe, e ansioso para assistir ao duelo de Leandro Lo e Xande Ribeiro na final do absoluto. Eu acho muito interessante esses choques entre grandes feras de diferentes gerações. O Lo é novo e vem fazendo bonito na categoria e nos absolutos, mostrando um gás incomparável. O Xande é uma das lendas do esporte e continua nos mostrando um Jiu-Jitsu bonito e para frente. Foi realmente um lutão.

Como é a sua rotina em Huntington Beach, onde você mora hoje?

Minha rotina é ótima, pois estou morando ao lado de onde eu treino e trabalho, na Ace Jiu-Jitsu e UTC Jiu-Jitsu. Então não perco tempo dirigindo, e tenho o dia todo para treinar com meus amigos, fazer a preparação física, curtir uma praia, e tudo que a Califórnia tem.

Quais são os seus planos para o restante do ano?

Dar bastante seminários como eu disse. Já tenho alguns agendado nos EUA em novembro e no Brasil em dezembro. Estou agendando o meu tour para o ano que vem. Para contatos, meu email é buchechabjj@hotmail.com, e vocês podem visitar minha fanpage no Facebook. E também descansarei um pouco, pois esse ano foi muito bom, muitas competições, muitas vitórias e por isso acho que mereço umas férias (risos)!

Ler matéria completa Read more
There are 9 comments for this article
  1. Leandro Pino Tomahawk Fightwear at 7:59 pm

    sou muito convicto enque o jiu jitsu sem pontuação e sim o verdadeiro jiu jitsu……….
    logico que a tecnica prevalece (mas ce não estiver preparado fisicamente )vai ficar para tras como foi a luta com rodolfo vieira que cansou e acabou tomando alguns pontos e que se estivese descansado não tomaria…………….O Buchecha por sua vez muito tecnico pulmão de V8 não deu chances soube usar sua tecnica agrecividade e gas…………………por isso sera um dos atletas de jiu jitsu a ser batido……..Parabens Buchecha ………..e que vença o melhor em todos requesitos…………

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *