UFC já faz planos para uma edição na Amazônia e na Índia

Share it

O UFC já mira uma edição na floresta. Já imaginou, Wallid? Foto: Divulgação

Após a realização de três edições em solo verde-amarelo na temporada (Rio, BH e Rio), o UFC agora faz planos ambiciosos para 2013.

“Temos grandes planos para o Brasil, como já dissemos muitas vezes. Já existe uma arena em que não há problema, no Rio de Janeiro. Agora há desafios de produção em outras capitais, apesar de termos superado isso em Belo Horizonte”, disse Marshall Zelaznik, diretor de desenvolvimento internacional do Ultimate, em conversa com o site MMAfighting.com.

“Antes achamos que arenas de 5 mil a 7 mil assentos eram suficientes, só que, neste momento, estamos ficando mais otimistas, buscando locações com 12 mil lugares. Vamos a cidades como Florianópolis, Brasília, Porto Alegre, Recife, Fortaleza, e queremos promover eventos ao vivo para o povo, em locais abertos. Podemos fazer um evento nas florestas também”, disse o dirigente.

O UFC também está de olho grande em outros mercados do mundo, como a China e a Índia.

“A Índia ainda não é tão madura (quanto o Brasil), mas baseado em pesquisas e conversas com nossos parceiros das televisões, estamos confiantes em que podemos encontrar lutadores lá. Haverá centenas de lutadores se inscrevendo de cara, como no Brasil? A Índia não terá essa maturidade. Mas, quando começarmos na Índia ou no restante da Ásia, os lutadores serão a parte mais fácil. As pessoas estão treinando MMA em todo lugar”, confia ele.

Após o UFC 144 em Saitama, no Japão, em fevereiro, os planos do UFC são de aportar na Coreia do Sul e China (na capital Pequim e na gigante Xangai), além de Macau, palco do show do próximo dia 10 de novembro, com Cung Le e Rich Franklin como modesta luta principal.

O mercado asiático tem dado provas de estar renascendo, como indicam shows renovados do K-1 e o cada vez mais promissor One FC, com sede em Cingapura.

Você confia no sucesso do UFC nos países asiáticos? Comente com a gente.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *