Pronto para Jones: “Vitor treinou botes da guarda e muita cotovelada”

Share it
Gilbert-Durinho-aguenta-o-tranco-no-chao-contra-Vitor-Belfort-em-Vegas-Foto-por-Ray-Alamo

Gilbert Durinho aguenta o tranco no chão contra Vitor Belfort. Foto: Ray Alamo

A poucas horas da luta principal do UFC 152, em Toronto, o treinador Gilbert Durinho conversou com o GRACIEMAG.com sobre os detalhes técnicos que Vitor Belfort preparou para Jon Jones.

O faixa-preta de Jiu-Jitsu respondeu a uma saraivada de perguntas feitas pelos trepidantes Antonio Junior e Vitor Freitas. Confira e fique ligado no UFC do Canadá amanhã no Canal Combate, a partir de 19h45.

GRACIEMAG: O que você pode revelar dos treinos de Vitor para tentar surpreender o campeão Jon Jones neste sábado?

GILBERT DURINHO: Estamos muito confiantes, e principalmente o Vitor está muito confiante, focado e preparado. Fomos muito bem recebidos na equipe Blackzilians, na Flórida, e ele está com muito apetite para vencer. Essa oportunidade ganha deixou o Vitor muito animado e com a confiança lá em cima, o que é boa coisa. O Jon Jones é o cara a ser batido, claro, porém vejo quatro pontos positivos a favor do Vitor: seu boxe, seu Jiu-Jitsu, a velocidade e a experiência. São os quatro aspectos que vão fazer a diferença na hora da luta. O caminho é o boxe e o Jiu-Jitsu com muita velocidade para darmos o bote e surpreender.

Um dos cenários mais prováveis é Jon Jones botar para baixo. Treinaram muito isso?

Muito. Se for para o chão, estaremos preparados, o Vitor está com muitos botes da guarda afiados, e trabalhamos muitas defesas e ataques de cotoveladas. Vitor está pronto, como nos velhos tempos.

Que lições você aprendeu ao treinar com Belfort?

Aprendo muito com ele, não só no treinamento, mas na minha vida pessoal. Ele é um cara maduro, pai, marido, cristão, é um cara em quem me inspiro muito e admiro bastante. É uma referência para mim, dentro e fora do tatame. Ele é meu irmão.

Como você avalia o Durinho antes do reality show “TUF Brasil” e o Durinho depois do “TUF Brasil”?

O “TUF” foi uma experiência maravilhosa, principalmente para este meu início de carreira no MMA. Trabalhei com muitos atletas experientes e novos, participei dos treinos, do córner, da perda de peso, e no meio de toda essa pressão consegui ver resultados e constatar erros. Uma das grandes lições que tive dentro da casa foi aprender sem errar, pois consegui analisar e aprender com os erros dos outros.

Você está invicto no MMA. Qual será seu próximo compromisso?

Graças a Deus foram quatro lutas e quatro vitórias, e todas no primeiro assalto. Esses resultados foram fruto de todo um trabalho não só meu, mas de toda minha equipe: o Vitor, Cezar Mutante, Pedro (Lima, empresário), Casquinha e muitos outros. Meu objetivo é lutar fora do país agora, mas o próximo passo vou ver com o Vitor e o Pedro. Eles que cuidam disso, sou apenas um soldado e meu dever é estar preparado.

Ainda veremos você lutando de kimono?

Minha profissão hoje é o MMA, mas amo o Jiu-Jitsu, e se sobrar um espaço em que não atrapalhe meu trabalho, gostaria muito de competir de kimono sim.

UFC 152
Toronto, Canadá
22 de setembro de 2012

Jon Jones vs Vitor Belfort

Joseph Benavidez vs Demetrious Johnson

Michael Bisping vs Brian Stann

TJ Grant vs Evan Dunham

Matt Hamill vs Vladimir Matyushenko

Cub Swanson vs Charles do Bronx

Seth Baczynski vs Simeon Thoresen

Jimy Hettes vs Marcus Brimage

Igor Prokajac vs Vinny Magalhães

Mitch Gagnon vs Walel Watson

Charlie Brenneman vs Kyle Noke

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *