Afie seu jogo de quedas e Jiu-Jitsu para o MMA com Bruno Frazatto

Share it

Bruno Frazatto na Seletiva Sul-Americana para o ADCC 2011. Foto: Mauro dos Santos/Olutador.com.

Apontado como o quarto colocado no ranking de competidores da IBJJF, lista que classifica oito lutadores para o IBJJ Pro League (veja aqui), Bruno Frazatto vem mudando de casca.

O colecionador de medalhas no Jiu-Jitsu está treinando forte para fazer seu retorno ao MMA. Invicto em quatro lutas, o peso-pena não calça as luvas desde 2007, e aguarda ansioso pela data da reestreia.

No vídeo abaixo, Bruno Frazatto, Ed Robles e Orlando Zanetti mostram, com exclusividade ao GRACIEMAG.com, algumas técnicas de MMA. Confira:

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article
  1. Augustomma at 1:16 pm

    Eu não gosto do chão do wrestling assim como não boto fé nas quedas vindas de caras do jiu jitsu,cada um na sua praia se completando,porém a visão do jiu jitsu sobre quedas é limitada assim como o wrestling é limitado na luta de solo!Parece maluquice,mas se eu fosse do jiu jitsu,passaria metade do meu tempo nos EUA treinando o wrestling se fosse lutar MMA,os wrestlers estão unindo bem seu esporte com o jiu jitsu,mas o contrario ainda não vi!

    • eterno aprendiz at 1:37 pm

      Muito bom seu comentário, Augusto! Para um atleta de jiu-jitsu trabalhar a luta de solo, precisa antes, é claro, levar para o solo. E é visível o fato de vários lutadores brasileiros, inclusive campeões mundiais de jiu-jitsu, estarem com dificuldades de derrubar seus adversários. Acredito que isso seja fruto dos treinos da maioria das academias de jiu-jitsu; geralmente, as lutas começam com os dois praticantes ajoelhados, quando deveria começar com ambos de pé, simulando uma luta real. Além disso, soma-se o fato de vermos muito em competições de jiu-jitsu, os atletas, mal começam a luta, já se sentam, aí vão para o MMA com essas manias e não conseguem obter êxito. Acredito que treinar wrestler pode ajudar, sem esquecer também do judô, outra arte fenomenal e, algumas vezes, desprezada, sem conhecimento de causa, por atletas de jiu-jitsu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *