Zé Mario fala de Fabio Gurgel e Belfort vs Jones: “Terá no máximo 2 rounds”

Share it
Ze Mario ensina em seminario em Manchester

O treinador da equipe Blackzilians Zé Mario durante seminário de Jiu-Jitsu em Manchester, ano passado. Foto: Arquivos GRACIEMAG

GRACIEMAG: Como você recebeu o convite para fazer essa superluta com o Fabio Gurgel, no ADCC 2013?

ZÉ MARIO SPERRY: Recebi o convite com muita alegria. Lutar o ADCC sempre foi um prazer, imagine agora contra um dos maiores nomes da história do esporte.

O Fabio brincou que vai pedir para você puxar para a guarda… Como será sua estratégia para a luta?

O Fabio pode fazer o que quiser neste tipo de competição: trocar em pé ou puxar para a guarda. Ele tem técnica para isso. Mas ainda está bem cedo para definir estratégias.

Ele disse que tem 90% de chances de o ADCC do ano que vem ser em São Paulo. Muda algo lutar no Brasil, nos EUA ou na Europa?

Também fiquei sabendo justamente isto. Acredito que só não está fechado por causa das eleições municipais no Brasil. Para mim não muda nada. Contudo, seria ótimo lutar em casa. Só não decidi ainda onde vou fazer minha preparação, se aqui na Flórida ou no Brasil. Mas ainda está cedo, como disse.

Qual foi o fator principal para a sua ida para a equipe Blackzilians, aí nos EUA?

Acredito que foi um conjunto de fatores. A proposta em si foi boa, mas teve mais vantagens: os atletas com quem posso trabalhar, a proximidade com o Brasil, a liberdade que tenho de ir e vir ao Brasil, o clima, a sinergia com (o empresário e fundador da equipe) Glenn Robinson, a autonomia de fazer o que quiser no que se refere a treinamento, trabalhar nos EUA fazendo o que mais gosto… Enfim, estou muito feliz aqui.

Como é o seu dia a dia no comando da Blackzilians?

Ótimo. Eu puxo o treino duas vezes por dia. Algumas vezes ministro algumas aulas particulares para os profissionais, e na parte da tarde toco meu negócio no Brasil.

O UFC 152 está chegando. O que faz você confiar numa vitória do Vitor Belfort contra Jon Jones?

Sua velocidade. Claro que é uma luta difícil. Contudo, quem pode vencer Jon Jones? Acredito que para bater o campeão, é preciso ter velocidade como o Rashad ou o Lyoto – eles tentaram, perderam, mas acho que pudemos vê-los em momentos onde tiveram chance de definir o combate. Vejo uma luta de no máximo dois rounds. Quero crer que o Vitor vá surpreender com uma sequência de direto-cruzado, na velocidade, na definição da distância. Se a luta se estender, acho que o Jon Jones pode levar a luta para o chão e iniciar o fim da disputa por ali.

http://www.youtube.com/watch?v=zV_AZM3DLAo

Ler matéria completa Read more
There are 4 comments for this article
  1. Alexandre at 11:12 pm

    Passador nato, de outra época onde a rapaziada não arrastava a bunda no chão pra não levar queda ou por medo de jogar por cima…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *