Gurgel e a luta com Zé Mario no ADCC 2013: “Há 90% de chances de ser em SP”

Share it
Fabio Gurgel com seu pupilo Marcelinho Garcia

Fabio Gurgel, durante treino com Marcelo Garcia: “Depois do Marcelinho, acho que o Zé Mario é o maior vencedor de troféus do ADCC”

GRACIEMAG: Como surgiu a proposta dessa superluta entre você e Zé Mario Sperry, que já começou a ouriçar os fãs desde ontem?

FABIO GURGEL: Pois é, me tiraram do sofá (risos). Eu já estava escutando um zunzunzum, pois havia uma enquete na internet sobre quem deveria enfrentar o Zé Mario na próxima superluta, ele que venceu sua superluta na Inglaterra. E os nomes mais votados no site foram o do Rickson e o meu. Acho que essa não é uma missão para o Rickson. O Guy Neivens ontem me ligou e aceitei, será uma honra. Tirando o Marcelinho (Garcia), acho que o Zé Mario é o maior vencedor de títulos do ADCC.

Ele vem de vitória sobre o Renzo, venceu o absoluto lá, tem mais experiência no formato do torneio. Você tem lutas sem kimono marcantes?

Eu só disputei mesmo o ADCC 1999, quando perdi para um russo lá. O cara ficava correndo a luta inteira, só consegui tocar nele faltando 20 segundos de luta, coisas de Abu Dhabi antigo. Mas não me sinto em desvantagem de forma alguma, vamos lá para dar um espetáculo bonito para vocês. O curioso é que meia hora antes de o Guy me ligar para fazer o convite eu estava treinando sem kimono na Alliance. Toda sexta é treino sem pano na academia, espécie de sexta-feira casual, sem paletó (risos). Então estou sempre treinando, e podem crer que estarei numa forma física excelente.

Você não lutou Jiu-Jitsu com o Zé Mario até hoje. Como fica a expectativa?

Isso é o mais legal. O Zé é o único cara da minha geração que eu não lutei, até agora. Murilo Bustamante, Amaury Bitetti, Ricardo Libório, todo mundo eu acabei tendo de encarar. Mas com o Zé eu nunca cruzei. Só no absoluto do Mundial 1997 que ele e eu devíamos ter lutado a semifinal, mas ele acabou sendo obrigado a abrir, estava passando mal. Então a gente estava se devendo essa.

É uma luta imprevisível ou já dá para visualizar a postura de ambos?

Somos dois lutadores de estilos bem parecidos. Como eu estava brincando com você ontem, posso pedir para ele me puxar para a guarda, mas não deve ocorrer (risos). O principal para mim é entrar lá com a mentalidade de não apenas vencer, mas dar giro para o público, para não ficar algo que decepcione ninguém. Acho que ele também pensa assim, então será uma grande festa. E o melhor é que deve ser em São Paulo. Pelo menos é a previsão, tem 90% de chances de ser aqui no quintal de nossa casa. Gosto de viajar com os atletas e tudo, mas aqui no Brasil vamos poder promover o ADCC de uma forma muito melhor.

Alguma ideia de quem será seu córner?

A Alliance está sempre bem servida de campeões, então certamente terei alguém me passando as dicas certas. Pode ser o Marcelinho, o Rubens Cobrinha ou o Romero Jacaré, vamos ver isso com os treinamentos, dependendo de quem se destacar ali dentro dos treinos táticos e tudo mais. Na verdade, córner não adianta quase nada, não é isso que ganha luta, nem eu ganho luta para eles nem eles vão ganhar para mim. Mas vai ser legal. Também não sei quem vai realmente querer lutar no ADCC 2013, mas vamos estudar isso, temos tempo. Também temos de ver quem fica no córner dos nossos atletas, pois eu estarei lá com a cabeça de certa forma na minha luta, me preparando para fazer o meu trabalho.

Ler matéria completa Read more
There are 3 comments for this article
  1. Pingback: ImperioMMA – “ADCC 2013 com 90% de chances de ser em SP” diz Fabio Gurgel
  2. Pingback: Gurgel e a luta com Zé Mario no ADCC 2013: “Há 90% de chances de ser em SP” | Boxing Town

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *