Cristiano Marcello encara o “quarto do terror” para evitar turbulências no UFC Rio 3‏

Share it
O quarto do terror em Curitiba. Foto: Reprodução Twitter.

O quarto do terror em Curitiba. Foto: Reprodução Twitter.

Depois de pedir via Twitter uma chance no UFC Rio, o faixa-preta de Jiu-Jitsu Cristiano Marcello foi atendido e vai encarar o sueco Reza Madadi na HSBC Arena, 13 de outubro.

O carioca participou do reality show “TUF 15” e acabou nocauteado por Sam Sicilia, naquela que foi sua estreia no octagon. Agora, ele busca a primeira vitória no UFC.

Para isso, o ex-chuteboxer está treinando a todo vapor em Curitiba, enfrentando diariamente um covil apelidado de “quarto do terror”.

“Estou treinando com meu preparador físico, que está se revelando um grande treinador. Com certeza isso é um quarto do terror, na verdade a gente está fazendo um trabalho valioso para aumentar minha explosão e agilidade. Estou amarradão, o treino funcional junto com o ferro está ótimo”, disse o professor.

“Tenho treinado tudo o que posso – bastante muay thai com o Bruno Carvalho (lutador do M-1); wrestling com o Marcelo Zulu e a parte de chão com meu faixa-preta Ocimar Costa”, completou ele, que foi medalha de bronze nos Mundiais de Jiu-Jitsu de 1999 e 2000, na faixa-marrom.

Sempre lembrado pelo triângulo aplicado num furioso Charles “Krazy Horse” Bennet nos bastidores do Pride, Cristiano segue confiante em seu Jiu-Jitsu, útil em qualquer situação de perigo.

“A verdade que ali no vestiário do Pride eu acreditei no meu Jiu-Jitsu, e você tem de acreditar que é capaz. Quando você está numa situação extrema, o que vai funcionar é o seu treinamento, é o subconsciente que age ali na hora. Minha vida inteira treinei um Jiu-Jitsu refinado, e consegui impor isso na maioria das minhas lutas, e em especial naquele momento de perigo”, lembrou o casca-grossa, que não quer se afobar no UFC no Rio.

“A galera tem de entender que no MMA a luta começa em pé. Lógico que pretendo impor meu jogo e ir para a parte onde sou mais confiante e lá mostrar meu Jiu-Jitsu. Logicamente é isso que desejo, mas vou ter de passar por aquela turbulência antes. Só espero que eu faça a turbulência nele antes. Ele é um cara afiado no wrestling, não é oriundo da trocação, mas já sei que ele vai querer ficar na parte em pé. Bom, eu não vou fugir disso. No fim das contas, no entanto, quero imprimir meu Jiu-Jitsu e dar as boas-vindas com meu triângulo ou meu armlock”, entregou.

UFC Rio 153 – Aldo vs Edgar
Sábado, 13 de outubro de 2012
HSBC Arena, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro

José Aldo vs Frankie Edgar
Quinton Rampage vs Glover Teixeira
Jon Fitch vs Erick Silva
Phil Davis vs Wagner Caldeirão
Demian Maia vs Rick Story
Rony Jason vs Sam Sicilia
Gabriel Napão vs Geronimo Mondragon
Diego Brandão vs Joey Gambino
Gleison Tibau vs Francisco Massaranduba
Sergio Moraes vs Renee Forte
Luiz Banha vs Chris Camozzi
Cristiano Marcello vs Reza Madadi

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *