Bráulio Carcará e as lições no MMA: “Há alguns cliques que só ocorrem lá dentro”

Share it
Braulio Estima prepara investida antes de derrubar Chris Holland e finalizar no Titan FC MMA Foto Ryan Loco

Braulio Estima (short preto) prepara investida antes de derrubar e finalizar Chris Holland, no evento de MMA Titan FC. Foto: Ryan Loco/Divulgação

Aos 32 anos, Bráulio “Carcará” Estima fez sua aguardada estreia no MMA pelo evento Titan FC 24, em Kansas City, na última sexta-feira.

O campeão de Jiu-Jitsu e supercampeão do ADCC 2011 apagou Chris Holland com um katagatame aos 3min21s de luta, fazendo a alegria dos companheiros da Gracie Barra e da equipe de MMA Blackzilians, como Vitor Belfort, Rashad Evans e outros astros.

O pupilo de Zé Radiola comentou o que aprendeu com o GRACIEMAG.com.

GRACIEMAG.com: Foi um katagatame para ficar para sempre nas suas lembranças? Qual foi o pulo-do-gato?

BRÁULIO ESTIMA: Sim, certamente. Acho que o katagatame é uma das minhas armas mais fortes. Uma vez que consigo envolver o cotovelo, seja na montada, meia-guarda e algumas vezes até no cem-quilos, eu fico muito próximo do objetivo de encerrar a luta. Procuro focar bem em não perder aquele cotovelo durante o processo todo. Uso toda a parte do meu corpo para manter a pressão, mas o mais importante é o reajuste do ombro contra o pescoço do adversário, logo depois que eu passo o braço dele para o outro lado da cabeça.

Qual foi o momento da estreia em que você se divertiu mais?

Foi uma grande experiência para mim. Curti cada minuto, da preparação até o corte de peso. Achei que tudo saiu da melhor forma possível. Aprendi bastante durante essa jornada e principalmente durante a luta em si. Tem alguns aspectos do Jiu-Jitsu que só clicam quando você está lá em dentro, é algo inexplicável.

Você acha que errou muito? Alguma coisa que você já quer corrigir nas próximas?

Sim, e o maior erro foi me empolgar com a comida após bater o peso na balança em Kansas City. Comi tanto que na hora de entrar tive de vomitar por não ter conseguido chutar manopla no aquecimento. Eu não passei mal, mas estava estufado (risos).

E na hora da luta, alguma falha?

Acho que preciso entrar no cage já na pilha de guerra, pois entrei muito relaxado esperando que o caldo fosse engrossar aos poucos… E engrossa o tempo todo, não se pode bobear. Acho que também devo posicionar a guarda melhor pelo fato de a luvinha pequena não proteger muito dos golpes do adversário. Quem treina muito com luva de boxe tem de prestar atenção nisso.

Qual a dica que você deixa para o lutador de Jiu-Jitsu que pensa em praticar MMA?

Para ser profissional, é muito importante ter uma base em pé, nem que seja o suficiente para desviar a atenção do adversário antes de entrar nas pernas. Recomendo muito wrestling contra a parede e treinar muito Jiu-Jitsu com luva, sem camisa e vaselina no rosto para simular bem como é lá, porque escorrega muito mesmo. Gostei, foi um bom primeiro passo. Agora é melhorar minha guarda para não ficar caminhando para trás, que é onde mora o perigo.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *